Uma vida para sempre – Simone Taietti

0
511

“Uma vida para sempre” é um livro forte.

Diagramação simples, sem erros gramaticais ou de escrita, uma capa simples e muito linda.

É a narrativa da vida de Ethel, uma adolescente que nasceu com uma anomalia genética denominada CIPA – Insensibilidade congênita à dor com Anidrose. Ou seja, ela não sentia dor nem transpirava e esta condição poderia leva-la a morte pois:

Ela poderia ter alguma enfermidade e, por não sentir dor, não conseguir ser diagnosticada a tempo de ser salva;
– Ela não transpirava e  por isso não conseguia controlar a temperatura de seu corpo
– Uma bomba relógio onde ninguém saberia ao certo quando nem como explodiria.

Esta condição, de certa forma, impede que tenha uma vida normal como a de frequentar uma escola ou se divertir com amigos. Amigos? Os únicos que possuí eram pacientes de um hospital onde ela fazia fisioterapia e saber que os mesmos sentiam dor a fazia se sentir perto de algo normal.

Catharina era a única amiga que Ethel tinha fora do hospital e era considerada sua melhor amiga. Gertrudes era uma senhora idosa que fazia duas vezes por semana hemodiálise e era o mais perto que Ethel tinha de uma avó.

Uma coisa que me chamou muito atenção foi o fato de Ethel ser muito ligada a temas que envolviam a morte. Ela ia com muita frequência a enterros, fazia visitas a túmulos, vivia falando sobre a morte e queria que todas as pessoas entendessem que isso era uma preparação para aquilo que era a morte. Afirmava que ninguém se preparava para sua morte, quando o que todos queriam era manter este dia derradeiro distante o máximo possível.

Ethel conhece Vitor, um jovem de 19 anos que desde os 13 anos luta contra a Leucemia. Faz deste lindo garoto seu objetivo de vida e acredita que sua presença acalmaria ele nas horas de angustia e dor. De certa forma tinha razão. Tornam-se amigos e em seguida namorados indo de encontro a todas as probabilidades estatísticas.

O encontro de Ethel e Vítor é um dos ápices do livro, é onde a história começa a deixar o leitor preso. É uma sensação de angustia não saber de imediato o que vai acontecer com a história deles dois. Se ficarão juntos ou se irão se afastar.

Quando vi o tema em que o livro era envolto pensei logo no “a culpa é das estrelas” mas longe disso. O “uma vida para sempre” superou minhas expectativas e se eu não curti o livro no Jhon Green, o da Simone eu adorei”

Algo interessante foram as informações que a autora nos passou sobre cada uma das enfermidades, a questão da doação de sangue e de medula, o funcionamento dos centros de coletas, etc. Tudo isso feito de uma forma tão redondamente perfeito que não destoou em nada a narrativa do livro.

“Uma vida para sempre” é um livro de diagramação simples, mas sem erros gramaticais ou de escrita, tem uma capa simples, mimosa e muito linda.

É um livro de abalar as estruturas emocionais de qualquer pessoa!

Resenha de Ceiça Carvalho

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here