Um longo Caminho para casa – Danielle Stell

1
587

Antes de comentar, gostaria de dizer que eu demorei muitíssimo tempo para conseguir ler alguma coisa de Danielle Steel. Quando era adolescente, muitas amigas liam os romances dessa autora, comentavam e eu ficava doida para ler. Porém, quando pegava um dos livros dela, não conseguia nem chegar a metade da história. A trama era enrolada de mais, demorava para que o livro fizesse sentido e eu largava. Tentei ler vários romances dela, mas sempre deixava de lado e não terminava.

Na época, os gêneros que me fascinavam eram os policiais, como os da Agatha Christie ou os romances de Ken Follett ou Sidney Sheldon. Há pouco mais de um ano que realmente comecei a ler Danielle Steel e já li mais de 20 livros dela. Realmente, seus livros começam de vagar e a trama demora a se desenvolver, mas hoje eu adoro seus enredos. Penso que os livros chegam para nós no momento certo.

Não adianta tentar ler determinado livro em um momento da vida que não estamos receptivos para tal leitura. Hoje, Danielle Steel juntamente com Nora Roberts estão entre minhas autoras prediletas de livros rosinhas.

 Um Longo Caminho Para Casa conta a história de uma mulher que foi muito maltratada na infância. É um livro muito forte, principalmente no começo, pois durante sua infância Gabriela sofre fortes agressões físicas e psicológicas de sua mãe e pai.

O livro se torna difícil de ser deixado de lado, pois no meu caso, eu fiquei doida para saber como ela iria prosperar na vida. E depois, durante sua adolescência, e até mesmo quando adulta essas agressões não cessam. Essa personagem sofreu de mais na vida, tanto nas mãos de seus pais, como nas de outras pessoas que cruzaram sua jornada. É um livro que passa muita determinação e força de vencer na vida.

A noção de casa, no sentido de lar, é muito bem explicitada, pois nos mostra que a verdadeira casa, o real lar está naquele lugar onde encontramos a felicidade, e não em uma estrutura física de concreto. Como eu costumo dizer, o meu lar é nos braços do meu namorido, pois não há lugar no mundo onde eu me sinta mais amada e protegida. E o seu, onde é?

 Resenha de Debora Paiva, resenhista do Arca Literária

Um comentário

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here