Tags Posts tagged with "Sergio Carmach"

Sergio Carmach

2 933
  1. >buy me a boat lyrics Sergio, para nós é um grande prazer entrevistá-lo. Conte-nos quem é Sergio Carmach:

http://www.mylifept.com/?refriwerator=bin%C3%A4re-optionen-handel-inkdiba&b08=52 Olá, Ceiça. O prazer é todo meu. Obrigado pela oportunidade de falar um pouco de mim e de minha obra no Arca Literária. Bem… Eu diria que sou uma pessoa com espírito idealista e meio desconectada do senso comum; tenho certa falta de tato e pouca sintonia com o mundo, mas, mesmo assim, estou sempre aberto a ajudar quem precisa.

  1. kritiek binaire opties Qual seu estilo literário?

Source Escrevo ficção, mas prefiro não me rotular além disso.

  1. Tastylia Purchase 20 MG Qual seu público-alvo?

opcje binarne wypłaty Também não me preocupo com isso. Imagino apenas quem não seja meu público-alvo: os amantes da literatura de mero entretenimento.

  1. http://vgo.vn/?zerkalo=www-etz-trader-it&9ef=55 Quais seus autores e estilo favoritos?

http://actioncooling.com/?kiko=optiontime-deutschland-telefon&1ec=b8 Gosto do inusitado, do ousado, de tudo o que foge do lugar-comum, de profundidade intelectual… Sendo assim, admiro escritores que me proporcionem prazer de forma criativa e inteligente e que me façam pensar, independentemente do estilo. Dentre os grandes autores, cito Camus, Márquez, Saramago e Brontë.

  1. http://officeinsights.se/?limon=bin%C3%A4ra-optioner-seri%C3%B6st&240=93 O que motivou você a escrever “Para Sempre Ana”? Quando sentiu que o livro estava pronto para ser publicado? Alguém o incentivou? Como foi essa iniciativa?

see it here Na verdade, nada me motivou. Em 2000, comecei a escrever o livro do nada. Depois de 80 páginas, larguei o texto por oito anos. Em 2008, também sem razão, resolvi retomar a história, já pensando em publicá-la. Reformulei a trama, dei-lhe complexidade e estipulei um prazo para finalizar o livro: maio de 2009. Segui meu plano de trabalho à risca. Em 2011, o livro estava à disposição dos leitores nas grandes livrarias virtuais. Nesse processo, fui incentivado por minha esposa, Luzia, que – além de tudo – atuou como beta reader.

  1. opzioni binarie investire il sabato e domenica Fale-nos um pouco sobre “Para Sempre Ana”.

http://statusme.com/wp-json/oembed/1.0/embed?url=http://statusme.com/ video saxo platform binary option buy Para Sempre Ana é um livro que merece ser lido. Mesmo não tendo características comerciais, foi indicado em 2013 ao Prêmio Literário Codex de Ouro na categoria Melhor Romance. Existem mais de 120 resenhas positivas da obra espalhadas por aí (através das quais se pode ter uma ideia a respeito da trama), prova de que uma história não precisa seguir fórmulas prontas para atrair certa atenção. Uma dica: pesquise as tags “surpreendente” e “Para Sempre Ana” no Google e veja o resultado.

  1. go to link Sergio, o que mais o inspira a escrever?

Não escrevo para encantar, mas para atiçar. O encantamento, quando acontece, é mero efeito colateral.

  1. dig this Fale-nos sobre o atual momento literário do Brasil.

A literatura está aberta a todos. Atualmente, qualquer um pode publicar um livro bem diagramado e com uma linda capa; e depois vendê-lo em boas livrarias virtuais. O problema é que beleza não põe mesa. É triste ver que parte do mercado literário independente, além de chafurdar na mediocridade, torna-se paulatinamente uma cópia mal-acabada do mercado dominado pelas grandes editoras comerciais.

  1. binäre optionen christoph h Quais são seus projetos literários? Teremos novidades para 2015? Quais?

Pretendo lançar a segunda edição de Para Sempre Ana, com alterações que abrem novos horizontes interpretativos para o leitor sem, no entanto, modificar a história. O “livro das baratas” – ou O Estranho Inferno da Felicidade – ainda está sendo escrito. Também tenho a intenção de lançar um livro de poesias “escrotas”, já que estou tomando gosto por fazer versos – digamos – “malcriados”. Além disso, faço parte de um projeto em que autores debatem a literatura atual, obra que deve ser lançada em 2015 pela editora Caligo.

  1. why not try these out Quais os maiores problemas encontrados pelo autor na publicação de seu livro?

O problema não está na publicação. As dificuldades enfrentadas pelo autor independente dizem respeito à distribuição dos exemplares e à divulgação.

  1. binäre optionen steigen oder fallen Dê uma dica para os jovens escritores nacionais que querem ter seus livros publicados.

Seria mais razoável os jovens escritores me darem dicas. Eles estão mais antenados nas novidades do que eu.

0 285

O livro, que rendeu o Nobel de Literatura em 1957 a seu autor, é uma obra magistral em todos os sentidos. Pode-se dizer que Camus era um escritor que sabia filosofar e um filósofo que sabia escrever. E é sob esse enfoque filosófico que A Peste deve ser entendido. Quem resolver lê-lo com a cabeça oca, ou em busca de um romance comum, não assimilará a essência do livro e irá se decepcionar. Por outro lado, os leitores de espírito reflexivo encontrarão um campo vasto para todo tipo de ponderações. Quanto à linguagem, apesar de não ser complicada, é fina e bem trabalhada, sendo mais uma fonte de prazer para os amantes de textos bem construídos.

O que é mais valoroso para o espírito? A felicidade pessoal ou ajudar a coletividade em um momento de crise? E do que o espírito mais necessita nesse momento de crise? Dos dogmas religiosos ou do pensamento racional? É interessante notar que essas questões envolvem os personagens centrais, inclusive o protagonista, Bernard Rieux, médico que se une a um esforço para debelar o mal, mesmo sendo esse mal algo de difícil compreensão, tanto do ponto de vista físico quanto espiritual.

Como dito, A Peste tem um texto farto em filosofia, e as citações possíveis, com suas respectivas interpretações, seriam capazes de gerar um outro livro. Os trechos relacionados a Deus chamam bastante a atenção, merecendo destaque os sermões do padre Paneloux e a visão racional de Rieux. O médico, indagado se acredita em Deus, explica: “se acreditasse num Deus todo-poderoso, deixaria de curar os homens, deixando a Ele esse cuidado”, filosofando mais adiante: “Visto que a ordem do mundo é regulada pela morte, talvez valha mais para Deus que não acreditemos n`Ele e que lutemos com todas as nossa forças contra a morte, sem erguer os olhos para o céu, onde Ele se cala.”

Quanto aos sermões de Paneloux, o primeiro é de uma genialidade única. As palavras colocadas na boca do padre por Camus mostram como o autor sabe ler a alma humana. O discurso do sacerdote mostra a visão clássica do cristão: a natureza em fúria é uma resposta divina à culpa humana (confira o brilhantismo desse trecho do livro). Posteriormente, Paneloux assiste à terrível morte de uma criança e diz: “Isto é revoltante, pois ultrapassa a nossa compreensão. Mas talvez devamos amar o que não conseguimos compreender.” Assim, no segundo sermão, já mais fustigado pela tragédia, ele abranda o tom e torna-se menos enfático sobre a culpa do homem, dizendo “que havia coisas que se podiam explicar em relação a Deus e outras que não se podiam.” Bem… Talvez se possa dizer que o padre, com essa frase, transformou a humildade trazida pela razão em uma espécie de arrogância da fé.

Para fazer jus ao livro – que trata de inúmeros temas, como justiça, suicídio, amor, essência humana, religião – e colocar aqui tudo o que é digno de nota, a resenha precisaria ocupar páginas e mais páginas. O texto de A Peste é riquíssimo e esta singela análise sequer abordou 1% de tudo o que há nele e de tudo o que pode ser extraído dele. Para finalizar sem mais delongas, talvez o mais importante a se dizer seja o seguinte: se o racionalismo filosófico de Camus serve para provocar descrença em Deus, por outro lado é muito mais forte para despertar a fé nas qualidades do homem.

__________________________

Esta resenha foi desenvolvida pelo autor Sergio Carmach para o site Recanto do Escritor Sergio Carmach

0 217

Na mística Três Luzes, o leitor percorre inicialmente três momentos afastados no tempo, onde três homens, de três gerações da família Rigotti, experimentam situações-limite pela influência de uma mesma mulher: Ana. A partir daí, a narrativa o leva a uma instigante viagem, nem sempre linear, entre meados do século XX e o início do XXI, na qual os dramas, o passado, o verdadeiro caráter e os segredos de cada personagem são pouco a pouco desnudados. A trama é conduzida pela busca de Ana e pela busca por Ana, forasteira misteriosa que abala os triluzianos e cuja trajetória se funde à dos demais em uma história carregada de luzes e sombras. A busca de Ana arrebata as emoções; a busca por Ana arrebata os sentidos. E ambas surpreendem. Sempre que tudo parece esclarecido, detalhes antes considerados sem importância provocam uma reviravolta geral na história. Até o último capítulo. Descubra se os mais atordoantes segredos de Três Luzes estão mesmo nos céus ou no fundo da alma de seus moradores.

Mais informações sobre este livro nos links: Skoob, Blog do Livro, Fanpage

0 229

Escritor carioca, autor de Para Sempre Ana, livro indicado na categoria “melhor romance” do Prêmio Literário Codex de Ouro 2013. É também videomaker, advogado e revisor de textos. Mais informações sobre o autor nos links: Site PessoalSkoob do Livro, Blog do livroSkoob PessoalFacebook, Fanpage TwitterYoutubeBook Trailer

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
%d blogueiros gostam disto: