Suellen Medeiros

0
1016
  1. Fale-nos um pouco de você.
    Resposta:
    Meu nome é Suellen Medeiros.  Nasci e cresci em Rio Branco capital do estado do Acre. Desde pequena sou apaixonada pela palavra escrita, e esse grande amor foi o que me fez aprender a ler com quase cinco anos de idade. Perguntava o que estava escrito em livros, jornais, anúncios… Foi decorando que aprendi a juntá-las e antes que todos esperassem eu já estava lendo. Fantasiava-me nas histórias que os livros me traziam e ali vivi as melhores aventuras da minha vida, os melhores momentos. Por essa paixão acabei me formando em Jornalismo e logo em seguida em Artes Cênicas. Ambas pela Universidade Federal do Acre. São duas faculdades que se completam: uma nos envolve na palavra escrita, a outra, na interpretada.
                                                   
  2. O que vc fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?
    Resposta:
    Faço teatro desde os sete anos de idade. Com quinze anos criei o grupo “Conto com Amor” que até hoje percorre os leitos dos hospitais contando histórias para crianças, idosos e adultos. Sou servidora pública do estado do Acre trabalho com uma nova forma de humanização que tem como objetivo trabalhar com o próprio servidor para que ele aprenda a olhar tanto os colegas de setores como os usuários com um olhar diferente. Aquele olhar de que “posso ser a solução de um problema”. Para isso, ministramos palestras, oficinas e temos vários projetos que levamos até as Secretarias do estado. A minha inspiração vem do grande amor que sinto pela vida. É ela quem me faz criar personagens e colocá-los no papel como se eu mesma estivesse vivendo dentro daquela história. Acredito que a inspiração sempre esteve ao meu lado, mesmo quando eu era uma menina que sonhava acordada com aventuras, contos de fadas e romances perfeitos.
  3. Qual a melhor coisa em escrever?
    Resposta:
    A melhor coisa é fazer com que aquilo que está em seu coração ganhe vida a partir do momento em que você transcreve para o papel. Saber que de uma ideia surge uma historio/livro é fantástico. A sensação é de liberdade de realização. É criado um mundo que mesmo não sendo real vive porque você o alimenta com a mágica que as palavras trazem. Sem esquecer-se dos leitores e seus comentários, carinhos e incentivos. Eles nos alimentam com uma espécie de força de vontade que nos faz escrever mais e mais mesmo quando o cérebro pede por descanso.
  4. Você tem um cantinho especial para escrever?
    Resposta:
    Como trabalho o dia inteiro fora, e outras vezes preciso fazer atividades externas, vou escrevendo sempre que tenho um tempo. Pode ser no computador ou no meu famoso caderninho cor de rosa que muitos pensam ser um diário. Porém, tenho minha escrivaninha, que fica em um cantinho do meu quarto, que é onde passo mais tendo dando vida aos meus personagens. De vez em quando preciso dividir esse espaço com minha filha pequena e seus brinquedos. Ofícios de mãe.
  5. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?
    Resposta:
    Sou uma apaixonada por romances. Na verdade aqueles romances que podem acontecer com qualquer um de nós, os que têm a pitada de realidade em sua trama. Gosto de colocar um pouco de comédia também porque acredito ser uma combinação perfeita. Na realidade sou uma leitora para todos os gêneros, mas uma escritora que carrega o romance nas veias.
  6. Fale-nos um pouco sobre seu(s) livro(s). Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?
    Resposta:
    Tenho quatro livros escritos. O “Eles e Elas” é o primeiro, e está sendo publicado pela editora Hope em ebook na Amazon e se preparando para ganhar sua forma física. O livro fala de quatro casais e suas formas diferentes de amar. Daí surgiu a ideia para o título. Não é um romance onde se encontra a princesa ou o príncipe encantado. Cada casal precisará vencer barreiras e obstáculos para poderem ficar juntos, e na maioria das vezes precisa vencer seus próprios medos e o orgulho. Os nomes foram escolhidos de acordo com a personalidade do personagem. Alguns soam mais doces, outros mais fortes, carregando consigo a identidade própria de seus interiores. Meus demais livros se chamam “O Protetor”, “Raptando Noivas” e “Corações em Chamas”.
  7. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?
    Resposta:
    Posso responder falando de um dos personagens do livro “Eles e Elas”, Eduardo Pontes. O rapaz tem uma deficiência, o que me fez pesquisar tanto na prática, quando ia para os hospitais fazer as contações de história como na teoria: os motivos que acarretaram a deficiência, o tratamento, às possibilidades de cura… Antes de começar qualquer história faço as pesquisas e uso um roteiro para não fugir de toda a trama traçada.
  8. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?
    Resposta:
    Gosto dos romances de Nicholas Sparks pra mim é um grande romancista. A forma em que escreve seus romances é pura e cristalina. São tão reais que você pode se imaginar vivendo a trama na realidade. Ele usa uma linguagem poética que encanta.
  9. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado? Resposta: A dificuldade é tanta que agora que vou publicar meu primeiro livro. Mesmo as pequenas editoras cobram valores altos na publicação, principalmente se você é um autor novo, tentando embarcar no mercado literário.
  10. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?
    Resposta:
    É fantástico ver autores nacionais sendo descobertos e valorizados no meio literário. Cenário que antes visava bem mais os escritores de outros países. Quase não tínhamos espaços nesse mercado.
  11. Recentemente surgiram vários pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?
    Resposta:
    Com o acesso a sites onde se pode publicar gratuitamente seu livro, muitos se aventuraram a postarem suas histórias. As editoras estão levando em conta os números de acessos, comentários e a popularidade do escritor… Existem muitas histórias boas que por não terem muitos leitores são deixadas de lado. Como escritora, deixei de publicar nessas plataformas por medo de plágio, então me consideram “desconhecida”, o que não ajudaria nas vendas do meu livro. Seria necessário gastar um pouco mais em divulgação. A valorização é muito boa, mas às vezes injusta.
  12. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?
    Resposta:
    Ao entrar numa livraria, o leitor precisa escolher apenas um livro para levar consigo: o de um autor internacional que está fazendo sucesso e o de um nacional cuja sinopse chamou sua atenção. Ele acabará escolhendo o primeiro: o livro de um autor estrangeiro, conhecido e mais barato do que o nacional. E de praxe ver isso nas livrarias.
  13. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?
    Resposta:
    Sem dúvida “O Pequeno Príncipe”. Que escritor não sonha em escrever uma história que emocione gerações e pessoas de todas as idades?
  14. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria? (nome da musica + cantor) Resposta: Roupa Nova é a banda que me inspira e com certeza é a trilha sonora de todos os meus livros e dos que estão por vir. As letras falam do amor que busco passar: aquele que não é apenas carnal, mas que cresce dentro da alma e nos preenche por completo.
  15. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?
    Resposta:
    Seria tão injusto mencionar apenas um livro, já que tantos fizeram parte da minha vida. Mas citarei o escritor Pedro Bandeira e suas obras infantis e infanto-juvenis. Tenha quase todos os seus livros e agradeço pelo mundo mágico que me proporcionaram. Eles tornaram uma menina medrosa e cheia de traumas em uma mulher corajosa regada de sonhos.
  16. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?
    Resposta:
    Minha meta é conseguir publicar meus livros e continuar a escrever as ideias que não param de surgir em minha mente. Sonho em ver “Eles e Elas”, “O Protetor”, “Raptando Noivas” e “Corações em Chamas” nas mãos de leitores, que assim como eu, são apaixonados pela leitura. Tenho também projetos para o teatro e para o trabalho de contação de histórias. Quero amadurecer ainda mais, e fazer com que as minha palavras possam encantar pessoas e levá-las ao mundo maravilhoso das histórias.
  17. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso? Resposta: Muitos blogueiros se tornam grandes parceiros dos escritores, ajudando a divulgar suas obras, abraçando a literatura nacional, porém, sempre existem aqueles cujas criticas não são nada construtivas e desmotivam o escritor a continuar seu trabalho. Busco acompanhar o trabalho daqueles que difundem o que temos de bom com carinho e profissionalismo.
  18. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?
    Resposta:
    Com certeza, Pedro Bandeira, meu pai de coração. Queria muito que visse o poder que as palavras dele me tornaram. Se houve alguém em que pensava todas as vezes que tinha que fazer alguma escolha era o Pedro. Jornalismo e Artes Cênicas também são as formações desse escritor maravilhoso.
  19. Qual a maior alegria para um escritor?
    Resposta:
    É saber que sua obra está emocionando os leitores. É o carinho, a admiração… É ver mais um livro ser finalizado e já ter milhares de ideias para outras histórias. É, acima de tudo, viver e sentir o que se escreve.
  20. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.
    Resposta:
    Sabe esse caminho que você decidiu traçar? Ele às vezes parece que não vai dar a lugar nenhum e a vontade de voltar de onde veio é muito forte? Controle o medo e continue a caminhar. Se estiver cansado, pare e descanse, mas jamais desista. Os passos são árduos, porém tudo vale à pena quando estamos andando em direção aos nossos sonhos. Aquelas pessoas que te incentivam a desistir? Não as ouça! Só você sabe o valor daquilo que almeja. Ninguém além de você sabe das necessidades de seu coração. Siga, enfrente, vença suas limitações pessoais. Tenho certeza que no final o que estará em suas mãos valerá todos os sacrifícios que fizestes em tua jornada.

 Quer participar de nossas entrevistas? clique aqui!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here