Se eu Ficar – Gayle Forman

0
533

Foi em um dia de neve que a vida de Mia mudou. Com o cancelamento das aulas, sua família decide aproveitar o dia de “folga” para visitar os avós. O que acontece a seguir é algo extremamente fora de controle. Um acidente faz com que o carro em que sua família estava fique completamente destruído. Mas não deve ter sido tão ruim, certo? Mia ainda conseguia se mexer e a sua roupa estava completamente do mesmo jeito de quando a colocara. Ela ainda podia escutar a música tocando: a Sonata para violoncelo nº3 de Beethoven.

 A realidade assustadora toma conta quando ela vê o seu corpo desacordado, os médicos dizendo as suas condições e o fato de que ninguém conseguia vê-la. Milhares de perguntas começam a brotar em sua mente: Porque será que ela estava fora de seu corpo? Qual o propósito de tudo aquilo? Era estranho, pois ela era uma garota de dezessete anos, apaixonada por violoncelo, tinha uma família excelente, era extremamente apaixonada pelo Adam, e estava esperando por sua carta de admissão na Julliard.

 Enquanto o seu corpo estava no hospital recebendo tratamento ela escuta uma enfermeira dizer que a escolha de ficar era dela. Nada o que os médicos poderiam fazer iria adiantar se ela não quiser ficar. Mia iria ter que travar uma luta de escolhas. Morrer e deixar tudo para trás ou viver e encarar a vida com as consequências daquele trágico acidente? As memórias de sua família, amigos e da descoberta do amor irão ser essenciais em sua escolha. E ela deve escolher muito bem, pois como é citado no livro:

 “Percebi agora que morrer é fácil, viver é que é difícil”.

 {O que achei} 

 Sendo extremamente sincera, eu esperava mais do livro. Ele era um livro que eu coloquei bastante expectativa, pois, o filme mexeu tanto comigo e eu fiquei pensando que o livro iria ser mil vezes melhor. Dessa vez, eu tenho que dizer que preferi o filme. Vi que muitas pessoas amaram o livro, e, nada contra, é um livro que mexe com as nossas emoções e nos faz refletir. O que eu posso dizer é que faltou emoção na história. – para mim. Deixando isso bem claro.

Eu gostei da forma que a autora abordou sobre a família. Adorei os pais de Mia e da determinação dos dois para serem os melhores pais possíveis. O amadurecimento que os dois tiveram em prol da família, é realmente algo que gostei bastante. O amor de pai e de mãe é imenso – sempre achei -, e no livro ele é retratado de maneira pura e comovente.

O amor de Adam e Mia eu achei um pouco morno, acho que era porque só era mostrado retalhos do relacionamento dos dois…

O que mais foi colocado no livro foi o amor que Mia sentia pelo violoncelo. O violoncelo completou a pessoa que ela era, e, você percebe a profundidade que ela sente sobre este instrumento.

A leitura é rápida. Tem menos de 200 páginas e não tem capítulos, mas você poderia tomar como base as horas que se passam – sempre mostra. A diagramação é bem singular, com notas musicais em todas as folhas.

Não sei se deixei bem claro, mas, mesmo não tendo alcançado as minhas expectativas Se Eu Ficar é uma boa leitura.

 Resenha de Jessica Figueiredo, resenhista do Arca Literária e do blog Hora da Leitura

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here