Relação de Seriais Killers

1
284

1. David Berkowitz 
Berkowitz foi responsável por uma série de assassinatos a tiros em 1976, nos Estados Unidos. Sua arma era uma .44, e aterrorizava o povo de Nova Iorque indicando quando iria realizar novos ataques. Quando foi capturado, em agosto de 1977, admitiu estar por trás dos assassinatos e foi condenado a 25 anos na prisão por cada crime. Ainda preso, é muito pouco provável que Berkowitz verá o sol nascer fora das grades novamente.

2. Edmund Kemper
Além de matar suas vítimas, o serial killer Edmund Kemper, também americano, praticava necrofilia. Isto é, realizava atos sexuais com os cadáveres de suas vítimas. O assassino atuou na Califórnia em meados de 1970, e leva em seu “currículo” a morte dos próprios avós, quando tinha apenas 15 anos. Anos depois, matou e esquartejou seis mulheres na região de Santa Cruz. Nem mesmo a mãe de Kemper escapou das suas garras, e também se tornou uma vítima. Foi condenado em 1973, com um total de oito mortes. Apesar de pedir para ser punido com a morte, recebeu como condenação a prisão perpétua, sem a possibilidade de perdão.

3. Larry Bittaker e Roy Norris
Os “assassinos da caixa de ferramentas” – apelido de Lawrence Bittaker e Roy Norris -, assassinaram cinco jovens mulheres na Califórnia, em 1979. Os dois atuavam atraindo mulheres para sua van, e depois dirigindo para áreas com pouco movimento, onde as vítimas eram estupradas e torturadas até a morte. Foram presos em 1981. Norris escapou do corredor da morte por entregar Bittaker, e por isso recebeu 45 anos de prisão.

4. Ian Brady e Myra Hindley
Ian Brady e Myra Hindley mataram cinco crianças entre 1963 e 1965, na Inglaterra. Com requintes de crueldade, os jovens entre 10 e 17 anos eram abusados sexualmente antes de serem mortos. Ambos foram condenados à prisão perpétua quando foram pegos, sendo que Hindley acabou morrendo em 2002.

5. Kenneth Bianchi e Angelo Buono
Kenneth Bianchi e Angelo Buono foram responsáveis por levar o terror às pessoas da Califórnia entre 1977 e 1978. Os dois sequestraram, estupraram e mataram 10 garotas com idades entre 12 e 28, estrangulando todas elas. Bianchi tentou escapar da justiça alegando insanidade, mas foi constatado que ele estava fingindo sintomas mentais. Depois disso, aceitou admitir sua culpa e testemunhar contra Buono. Ambos receberam pena de prisão perpétua, e Buono morreu após um infarto em 2002.

6. Dennis Rader
O homem da foto foi responsável pela morte de 10 pessoas em Sedgwick, no Kansas-EUA. Com um período considerável de atuação, entre 1974 e 1991, Rader enviava cartas de provocação para a polícia com o codinome BTK (Bind, Torture, Kill – ou Amarrar, Torturar, Matar). O assassino seguia as pessoas até suas casas, depois invadia a residência, amarrava e matava suas vítimas. Atualmente, cumpre pena com previsão mínima de fim para 26 de fevereiro de 2180.

7. Donald Henry Gaskins
Em 1969, Gaskins deu início a uma série de assassinatos a pessoas que pediam carona, que ele encontrava enquanto dirigia pelas estradas da América do Sul. Ele é acusado de ter torturado e mutilado entre 80 e 90 pessoas. Foi preso em 1975, incialmente sendo condenado à morte. Entretanto, a pena foi alterada para a prisão perpétua. Um fato curioso é que uma de suas vítimas foi morta dentro da prisão de segurança máxima onde estava preso, esperando por sua pena. É o único homem da história a matar um colega de prisão na fila de espera da execução.

8. Peter Manuel
Peter Manuel matou nove pessoas nos arredores do norte escocês entre 1956 e 1958. Entretanto, segundo outras fontes, o número de vítimas na verdade é um pouco maior: 18. Confessou seus crimes depois de ser confrontado por sua mãe na estação de polícia onde estava. Foi condenado à morte, sendo um dos últimos executados na Escócia antes do fim da adoção do método no país.

9. John George Haigh
Conhecido pelo “simpático” apelido de “assassino da banheira de ácido”, Haigh foi um serial killer que atuou na Inglaterra em meados de 1940. Foi considerado culpado pela morte de seis pessoas, apesar de admitir ter matado nove. Atuava enganando pessoas ricas, mentindo se tratar de um homem de negócios e levando suas vítimas até um lugar onde pudesse atirar. Os corpos das vítimas eram dissolvidos em ácido sulfúrico, e o assassino posteriormente forjava documentos permitindo a venda de propriedades de suas vítimas. Em 1949, foi condenado à morte.

10. Fred & Rose West
Fred e Rose passaram longe de constituir um casal normal. Ambos torturaram, estupraram e assassinaram pelo menos 11 garotas jovens. Foram presos apenas em 1994, depois que a polícia conseguiu um mandado de busca e encontrou uma série de ossos humanos enterrados no jardim do casal. Fred sucidou-se antes de ser condenado, enquanto Rose foi presa em 1995 e condenada à passar o resto de sua vida atrás das grades.

11. Arthur Shawcross
Shawcross cometeu seu primeiro assassinato em 1972, depois de abusar sexualmente e tirar a vida de um garoto de 10 anos de idade em Watertown, Nova Iorque. Depois disso, estuprou e matou uma menina de oito anos – crime que fez com que fosse preso e condenado. Passou 14 anos na prisão, até ser liberado em 1988 e cometer ainda mais crimes. Depois de seu período atrás das grades, matou brutalmente 12 prostitutas com idades entre 22 e 59 anos. Capturado na cena do crime de sua última vítima, Shawcross confessou seus 12 assassinatos e recebeu 250 anos de cadeia. Morreu em 2008, vítima de um ataque cardíaco.

12. Peter Sutcliffe
Conhecido como o “estripador de Yorkshire (Inglaterra)”, Peter William Sutcliffe matou 13 mulheres, e tentou tirar a vida de outras sete. Ele tinha como alvo prostitutas de Leeds e Bradford, causando uma clima de medo no norte da Inglaterra. Foi preso em 1981 por dirigir com placa falsa. Durante seu interrogatório, acabou admitindo ter tirado a vida de 12 pessoas. Recebeu pena máxima, e até hoje vive atrás das grades.

13. Ricardo Ramirez
Assumidamente “devoto” a figura de Satã, Ricardo Leyva Muñoz Ramírez foi um serial killer americano que aterrorizou Los Angeles entre 1984 e 1985. Ricardo atirava, esfaqueava, estuprava e mutilava suas vítimas – que iam de garotas de nove anos de idade até casais de idosos. Uma de suas marcas era deixar desenhos de pentagramas nas cenas de crime. Foi capturado em 1985, tendo sido sentenciado à morte. Entretanto, ficou na fila de espera para ser executado durante 23 anos, até morrer por conta de um linfoma em junho de 2013.

14. Jeffrey Dahmer
Dahmer era conhecido como o “canibal de Milwaukee”, e foi um serial killer americano responsável pelo estupro, assassinato e mutilação de 17 homens entre 1978 e 1991. Também cometeu atos de necrofilia e canibalismo, mutilando e cozinhando partes do corpo de suas vítimas. Dahmer eventualmente foi preso depois de uma suposta vítima ter conseguido imobilizá-lo e chamar a polícia. Em 1992, foi condenado por 15 de seus assassinatos, e recebeu como sentença 15 penas de morte. Entretanto, apenas dois anos depois ele acabou sendo morto por um colega de detenção no Columbia Correctional Institution.

15. Dennis Nilsen
Dennis Nilsen foi um serial killer homossexual que tirou a vida de 15 outros homossexuais em Londres, entre os anos de 1978 e 1983. Ele dissecava suas vítimas e então queimava seus corpos e jogava os restos na privada. Isso acabou levando à sua prisão, quando foram descobertos restos de carne humana em seu esgoto. Nilsen foi condenado em 1983, e continua preso até hoje em Yorkshire, na Inglaterra.

16. Ted Bundy
Um dos mais conhecidos serial killers do século 20, Ted Bundy foi um americano que cometeu sequestros e estupros de várias jovens garotas durante os anos 70. Pelo menos 12 vítimas de Ted foram decapitadas, mantendo várias cabeças em seu apartamento como troféus. Capturado várias vezes, escapou da polícia duas vezes. Em 1989, morreu na cadeira elétrica.

17. Charles Ng e Leonard Lake
Charles Ng e seu cúmplice Leonard Lake estupraram, torturaram e assassinaram entre 11 e 25 pessoas em Calaveras County, na Califórnia. Os crimes vieram à tona quando Lake cometeu suicídio e Ng foi capturado furtando objetos em uma loja da região. Na casa de Lake, foram encontrados restos humanos. Lake está preso desde 1999, e Ng está atualmente na lista de espera para ser executado na Prisão de San Quentin.

18. John Wayne Gacy
Gacy estuprou e assassinou 33 garotos adolescentes entre 1972 e 1978 em Chicago. Ele levava as vítimas até a sua casa prometendo trabalho e dinheiro, posteriormente matando os garotos por estrangulamento com um torniquete. O assassino enterrou 26 de suas vítimas abaixo da sua casa. Condenado à morte, esperou 14 anos na lista de espera até ser executado com uma injeção letal em 10 de maio de 1994.

19. Andrei Chikalito
Chikalito foi um serial killer russo, responsável pelo estupro, assassinato e mutilação de pelo menos 52 mulheres e crianças na Rússia entre 1978 e 1990. Confessou, no entanto, um total de 56 assassinatos, sendo considerado culpado por 53 deles em abril de 1992. Foi fuzilado em fevereiro de 1994.

20. Tommy Lynn Sells
Tommy Lynn Sells é considerado um dos serial killers mais notórios da história dos Estados Unidos, tendo supostamente matado 70 pessoas entre 1985 e 1999. Em um de seus crimes, esfaqueou uma garota de 13 anos 16 vezes. Foi capturado durante um de seus crimes, quando invadiu o quarto de uma garota de 10 anos de idade e a esfaqueou diversas vezes. A garota, no entanto, sobreviveu e conseguiu avisar os vizinhos. Posteriormente, a vítima concedeu um retrato falado à polícia, que levou à prisão do criminoso. Foi condenado à morte continua até hoje esperando por sua condenação.

21. Gary Ridgway
Outro dos mais conhecidos serial killers americanos, Gary Ridgway foi preso em 2001 por quatro assassinatos. Entretanto, confessou ter matado pelo menos 70 mulheres em Washington entre 1980 e 1990. Escapou da pena de morte providenciando confissões e levando a polícia aos restos mortais de suas vítimas. Foi considerado culpado pela morte de 49 pessoas, e recebeu pena de prisão perpétua.

22. Pedro Rodrigues Filho
E chegamos ao brasileiro da lista. “Pedrinho Matador”, como ficou conhecido, matou pelo menos 71 pessoas, e foi condenado a 128 anos de prisão. Entretanto, a lei brasileira permite o cumprimento de apenas 30 anos atrás das grades. Pedro cometeu seu primeiro assassinato aos 14 anos de idade, e depois começou a matar uma série de traficantes locais. Aos 18 anos, já havia tirado 10 vidas. Na prisão, matou mais 47, e continuou matando até que sua pena chegou a 400 anos. Entretanto, foi solto em 2007, depois de cumprir 34 anos. Em 2011, voltou a ser preso.

23.Daniel Camargo Barbosa
Barbosa foi um serial killer responsável pelo estupro e assassinato de 150 jovens garotas na Colômbia e Equador durante os anos de 1970 e 1980. Ele confessou 72 assassinatos. Depois de ser preso em Quito, levou as autoridades até os restos mortais de suas vítimas, sendo condenado em 1989 a 16 anos de prisão. Em novembro de 1994 foi assassinado pelo tio de uma das suas vítimas.

24. Dr. Harold Shipman
Shipman foi um médico inglês e um dos serial killers mais conhecidos da mundo inteiro. Foi considerado responsável por aproximadamente 250 assassinatos. Era um médico respeitado em sua comunidade, mas seus colegas começaram a desconfiar quando as taxas de morte na região começaram a subir. Além disso, o número de cremações também aumentava de maneira acelerada. Uma grande quantidade de corpos foram posteriormente exumados e revelaram doses de diamorfina. Mais tarde foi comprovado que Shipman injetava propositalmente doses fatais em seus pacientes, causando várias mortes. Ele então forjava documentos atestando a vontade do paciente em ser cremado, lucrando com os procedimentos de cremação. Foi condenado a 15 sentenças de morte, e acabou se enforcando em janeiro de 2004 em sua cela na prisão de Wakefield.

25. Pedro Alonso Lopez
Para muitos, Pedro Alonso Lopez, é o maior serial killer da história. Acusado de estuprar e matar mais de 300 garotas ao redor da América do Sul. Ele atraía suas vítimas para lugares escondidos, onde as estuprava antes de matá-las com uma série de métodos brutais – principalmente estrangulamento. Lopez foi preso depois de ser encurralado por comerciantes enquanto tentava realizar um sequestro. Confessou ter cometido cerca de 300 assassinatos, mas a polícia acreditou nele apenas depois de encontrar uma espécie de túmulo com várias de suas vítimas. Eventualmente, 53 corpos foram encontrados. Cumpriu 18 anos de prisão até ser liberado no Equador e deportado para a Colômbia, onde foi preso novamente em 2002 e recebeu pena de morte.

26. Richard Trenton Chase
Chase foi um serial killer norte-americano que matou seis pessoas no intervalo de um mês na década de 70, recebendo o apelido “Vampiro de Sacramento” por beber o sangue de suas vítimas e devorar partes de seus corpos. Segundo o assassino, o motivo de seus crimes era prevenir que nazistas amigos de alienígenas transformassem seu próprio sangue em pó através de um veneno que eles haviam colocado sob a saboneteira que ele tinha em casa.
Suas vítimas foram Ambrose Griffin, um engenheiro de 51 anos de idade, Teresa Wallin — que estava grávida —, Evelyn Miroth, de 38 anos e Don Meredith, vizinho de Evelyn, assim como Jason, de 6 anos, e David, de 22 meses, filho e sobrinho de Evelyn, respectivamente. Todas as vítimas foram mortas a tiros, e Chase foi pego depois de ser visto por uma testemunha enquanto tentava se livrar dos corpos.
O serial killer foi condenado a morrer na câmara de gás, mas acabou cometendo suicídio na prisão, morrendo devido a uma overdose de antidepressivos que o médico da instituição havia prescrito.

27. Joachim Kroll
Kroll foi um serial killer e canibal alemão que, embora tenha sido condenado pela morte de 8 pessoas, admitiu ter assassinado ao menos 13. Também conhecido como “Canibal de Ruhr”, Kroll foi preso em 1976, depois de policiais que investigavam o desaparecimento de Marion Ketter — uma menina de 4 anos — em um prédio residencial ouvirem uma história estranha de um dos moradores.
O homem em questão contou que, após perguntar ao vizinho — Kroll — se ele sabia o que poderia estar entupindo o encanamento do prédio, ele simplesmente respondeu “tripas”. Os policiais foram ao apartamento do assassino e encontraram o corpo da menina cortado em pedacinhos. Alguns pedaços estavam guardados na geladeira, enquanto uma das mãos estava sendo cozida em uma panela com água fervente.
Os investigadores também descobriram que os intestinos de Marion realmente estavam obstruindo o encanamento. Kroll contou à polícia que costumava fatiar partes dos corpos de suas vítimas e prepará-los para economizar na conta do supermercado e, em 1982, o canibal foi condenado a cumprir nove sentenças de prisão perpétua. Ele morreu na cadeia em 1991, depois de sofrer um ataque cardíaco.

28. Preto Amaral
Nascido em Minas Gerais, chegou a residir em vários estados do país, até que finalmente decidiu ficar em São Paulo. José Augusto do Amaral, conhecido como Preto do Amaral, atraía jovens rapazes com a proposta de dar-lhes trabalhos rápidos, uma espécie de bico.
Assim que alguém caía em sua história, ele levava a vítima para um local deserto e ali, o estrangulava e violentava seu cadáver. Em 1926, ele matou e estuprou o corpo de 3 rapazes. Mais tarde, outros 3 jovens prestaram queixa à polícia contra ele, e haviam 5 rapazes desaparecidos, provavelmente, vítimas do homem.
Assim que foi preso, o exame médico averiguou que Preto do Amaral tinha um pênis muito grande, e que segundo ele mesmo, isso o atrapalhava a ter relações sexuais e foi ocasionado por uma simpatia feita quando era mais jovem. Morreu antes mesmo de ser julgado, no ano de 1927.

29. Bandido da Luz Vermelha
João Acácio Pereira da Costa, nasceu em Santa Catarina mas era morador de Santos desde criança. Ficou conhecido como Bandido da Luz Vermelha, não foi por acaso. Ele praticava assaltos à residências com frequência, mas de uma forma muito peculiar: antes de invadir uma casa, sempre desligava a energia antes. Entrava descalço, e mascarado ao estilo faroeste, usando uma luz vermelha para iluminar seu caminho. Foram cerca de 7 anos cometendo crimes do tipo sem ser pego. Responsável por 77 assaltos na cidade de São Paulo, entre 1960 e 1967.
Se transformou em serial killer quase que por acaso. Os 4 homicídios cometidos por ele não foram planejados. Matou uma pessoa após uma briga de bar, e as outras 3, foram vítimas que reagiram aos seus assaltos. Ele conversava com suas vítimas, e uma delas, diz que foi obrigada a cozinhar para ele enquanto terminava o assalto. O homem foi condenado a 351 anos de prisão, mas cumpriu apenas 30, conforme mandam as leis brasileiras. Pouco tempo após sair da prisão, foi assassinado em uma briga de bar. Irônico, não?!

30. Vampiro de Niterói
Marcelo Costa de Andrade, era morador da Rocinha, no Rio de Janeiro. Teve uma infância conturbada, sofria com problemas psicológicos e ainda se prostituiu dos 10 aos 20 anos. Depois de adulto, desenvolveu certo interesse por religião e misticismo. Afirmava ser evangélico.
No ano de 1991, Marcelo foi denunciado pelo sequestro, estupro e homicídio de um garotinho de apenas 6 anos, sendo acusado ainda, de cometer tal atrocidade na frente do irmão mais velho da criança, de 11 anos. Após isso, abusou dele também.
Depois de ser preso, ainda confessou que foi responsável pelo estupro e morte de outros 13 garotinhos de Niterói, afirmando que essa seria uma forma de libertá-los para que pudessem ir para o céu. Como se já não bastasse, o apelido de Vampiro de Niterói foi dado a ele, pois bebia o sangue de suas vítimas, com a intenção de tomar a beleza delas para ele.

31. Chico Picadinho
Francisco da Costa Rocha cresceu no Espírito Santo. Filho de um rico exportador de café e uma prostituta. Foi renegado pelo pai, que não queria saber de sua existência. A mãe, continuava trabalhando como prostituta para sustentar os dois.
Sem nunca ter tido uma base familiar, teve uma juventude bastante conturbada, regada a sexo e drogas. Em 1966, cometeu seu primeiro crime. Logo depois de ter relações com uma moça, a estrangulou. Para esconder o ato, esquartejou o corpo. Um amigo dele ficou sabendo do acontecido e o denunciou para a polícia, fazendo com que Chico fosse condenado a 20 anos de prisão, porém, ficou preso apenas por 10 anos já que apresentava bom comportamento.
Depois que foi solto, voltou a cometer o mesmo crime. Uma garota de programa foi estrangulada e esquartejada, tendo as partes de seu corpo escondidas em uma mala. O homem novamente foi pego, e desta vez condenado a 30 anos de prisão, e permanece até hoje.

32. Monstro de Guaianases
Morador de São Paulo, Benedito Moreira de Carvalho era bombeiro da Força Pública, foi expulso depois de ser acusado de tentar estuprar uma jovem menor de idade. Já havia sido preso duas vezes antes de receber o apelido de Monstro de Guaianases.
No ano de 1946, foi preso por estupro. Em 1949, foi solto e 2 anos depois, cometeu o mesmo crime. Tornou-se um estuprador em série. Já no ano de 1952 , começou a matar suas vítimas. Ele abordava mulheres e, às vezes, crianças, pedindo sexo.
Ao receber resposta negativa, estrangulava as vítimas e violentava seus corpos. São registradas ao todo, 29 vítimas sendo que destas, 12 foram mortas. Benedito morreu na cadeia, após um infarto.

33. Febrônio Índio do Brasil
Nasceu em Minas Gerais, mas morou a maior parte de sua vida no Rio. Havia sido preso 8 vezes por roubo, furto, chantagem, fraude, entre outros crimes. Fingia ser dentista depois de roubar um diploma.
Febrônio foi acusado de várias tentativas de estupro seguidas, e acabou assassinando um rapaz de 20 anos de idade e uma criança de 10. Foi preso em 1927, e ainda matou o colega de cela, que havia se negado a ter relações sexuais com ele. O caso ganhou bastante repercussão na mídia nacional, o que fez com que outros 6 jovens fossem até a polícia identificá-lo como estuprador.
No peito do homem, estavam tatuadas as letras D C V X V I, que tinham para ele, alguma mensagem sobre santidades, já que Febrônio dizia ter criado sua própria religião. Tinha problemas mentais graves, e por essa razão, não pôde ser condenado por nenhum de seus crimes. Foi encaminhado para um manicômio, onde ficou até a morte, em 1984.

34. Pedrinho Matador
Foi aos 14 anos que Pedro Rodrigues Filho cometeu seu primeiro assassinato, ao matar o filho do vice prefeito de sua cidade natal, em 1968, e também o vigia de sua casa. Ao se mudar para São Paulo, antes mesmo de completar 18 anos, foi o responsável por uma chacina, onde invadiu o casamento de um rival e matou 7 pessoas. Justifica dizendo que era para vingar a morte de sua namorada.
Foi condenado a 128 anos de cadeia, passando 30 anos preso, e foi aí que se “consagrou” como matador. Ele assassinou 47 pessoas. O que mais impressiona é que chegou a matar o próprio pai, este, que havia matado a mãe de Pedro a facadas. Finalizou a vingança ao comer seu coração.
No ano de 2007 foi solto, mas 4 anos depois, voltou para a cadeia. Tem em sua ficha 71 homicídios, e afirma ainda que foram sempre contra homens maus e que cometeram algum tipo de violência contra mulheres ou crianças. Poderá ser solto em 2019, já com 65 anos de idade.
E aí pessoal, o que acharam da matéria? Tem algum outro caso bizarro que deixamos de contar aqui? Compartilha aí com a gente!

 

Um comentário

  1. Fiquei bem impressionada com a matéria…
    Achei os casos nacionais bem peculiares e alguns eu não conhecia…
    Senti falta do Maníaco do Parque…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here