O Último homem do mundo – Taís Cortez

0
568

Patrícia Oliveira é uma famosa atriz, mas com a fama sua dedicação a filha, Amanda (16 anos), diminuiu drasticamente. O que tornou a menina uma criadora de confusão, pois Amanda faz de tudo para demonstrar sua independência, mesmo que isso seja prejudicial ao próprio futuro.

No inicio do livro vemos que Amanda começará em novo colégio, dessa vez um semi-interno, e seu objetivo nele é conseguir a quarta expulsão seguida. Mas as coisas não estão saindo como o planejado, já que o diretor consegue ver além da motivação que Amanda alega e, por mais estranho que possa parecer, a garota começa a gostar do colégio e das colegas de quarto, Paulina e Maíra.

Entretanto, nem tudo são flores e logo no começo ela já detesta um casal do colégio. E eles entram em uma troca de armações e briguinhas. Mas muitas páginas ainda passarão trazendo algumas reviravoltas e alguns aprendizados para a vida.

O enredo é leve e os dramas são os característicos da adolescência. A autora se utilizou de clichês conhecidos, como garota problema em um colégio novo é “inimiga” da patricinha do local. Eu realmente esperava algo mais, mas o que encontrei não alcançou, infelizmente, minhas expectativas. Acho que esperava algo um pouco menos previsível, pois eu até gosto dos clichês, só que alguns detalhes me pareceram um pouco forçados.

Os capítulos são relativamente curtos e a diagramação simples. A narrativa é feita em primeira pessoa pela Amanda e se prestarmos atenção também podemos ver sobre ela mais do que a própria adolescente é capaz. Ela é uma personagem divertida e apesar de agir de forma irresponsável, ela consegue ser o oposto em vários momentos.

Os personagens me conquistaram aos poucos, dos secundários, principalmente, Patrícia Oliveira, Paulina e Maíra. O diretor Alexandre também precisa do seu destaque, pois ele tenta sempre ser justo.

Essa história é daquelas para ler em uma tarde, pois a leitura é fácil e leve. Um pouco previsível como eu já mencionei, mas ainda sim, uma leitura agradável. Indico para quem gosta de romances adolescentes.

 “? Amanda, por favor, comporte-se desta vez… ? pediu, quase implorando.

? Do que você está falando, mamãe? Eu sempre me comporto… ? respondi, sarcástica.”

Anna Gabriela, resenhista do Arca Literária e do blog Minhas Resenhas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here