O tempo entre costuras – Mariá Dueñeas

0
667

Um livro muito especial

Terminei a leitura de uma historia espetacular. Durante os meus anos de livraria, indiquei este livro para dezenas de clientes. Conhecia o enredo, mas até então não havia lido. Várias destas clientes em outras oportunidades me agradeceram pela indicação; algumas outras já tinham lido e recomendavam a história com muita empolgação.

“O Tempo Entre Costuras” da María Dueñas é um livro ímpar. Para quem gosta de romances fujam do lugar comum, para quem anseia experimentar uma obra com teor não só de entretenimento é uma oportunidade que não pode ser desperdiçada.

A história se passa nas primeiras décadas do século XX.  A Espanha vive os horrores da guerra civil que abalou o país. Depois, depara-se com o caos que tomou conta de toda a Europa por causa da II Grande Guerra Mundial.  Além da terra do general Francisco Franco, Lisboa e Marrocos são os locais onde a trama se desenrola.

A protagonista do enredo se chama Sira Quiroga. Uma jovem madrilenha que desde cedo aprende sobre a arte da costura. Suas instrutoras são sua mãe e D. Manuela, dona do ateliê onde mãe e filha trabalham, que mais tarde iriam ter outras importâncias na vida da nossa personagem.

Simples e recatada, Sira imagina sua vida futura igual a de tantas mulheres que ela conhece, mas uma paixão avassaladora muda seu rumo que parece já traçado, paixão essa que fará a jovem espanhola ir do êxtase à penúria.  E ao levantar-se do seu estado de desgraça, encontrará nas linhas, agulhas, tecidos e demais objetos de costura o caminho que a tornará uma outra mulher.

Por se passar numa época de grande importância para o povo espanhol, o romance traz aspectos, fatos e personagens que não fictícios. A autora apresenta uma vasta bibliografia de pesquisa onde colheu informações para melhor fundamentar o livro. Maria Dueñas é professora universitária na área de Filologia Inglesa, o que certamente ajudou na construção tão eficaz da obra.

É um livro para ser degustado com muito sabor. São 470 páginas que a gente lê sem perceber o tempo passar.

Resenha de Renato Neres, resenhista do Arca Literária

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here