O Que me Disseram As Flores – Alane Brito

6
754

É com muita satisfação que inicio essa resenha, O Que Me Disseram As Flores foi um dos livros mais emocionantes que já li. Trata-se de uma história de época, que é algo que eu simplesmente amo e conta a história de Ângela e William, dois jovens que foram prometidos em casamento antes mesmo de nascerem. Santiago e Afonso, pais dos jovens, eram grandes amigos e para selar tal amizade, resolveram prometer seus filhos em casamento.

Os jovens concordavam com tal promessa, porém, conforme Ângela foi crescendo, a mesma deixou de concordar com esse futuro ao lado de um rapaz que ela conhecia apenas através de cartas. Em uma dessas cartas ela resolve pôr fim ao compromisso, mas sabendo do desejo da filha, Santiago passa a interceptar as cartas que a mesma enviava ao noivo, bem como as que William enviava para ela e dessa forma, manteve a promessa viva, mesmo sabendo do desejo de Ângela em romper o noivado, acreditando que ao conhecer o gentil e determinado William a filha passaria a amá-lo e esqueceria a vontade de cancelar o compromisso, pois tanto ele como Elisa, mãe da moça, faziam muito gosto nessa relação. Mas não foi isso que aconteceu.

Ao chegar na fazenda de Santiago e Elisa, William ficou encantado com a beleza da noiva, e apesar de já tê-la visto em fotografias enviadas pelo futuro sogro, concluiu que a moça era ainda mais bela. Mas Ângela não deu trégua, tratou de contar ao noivo do seu desejo de romper com a promessa e como o mesmo não desistiu do noivado, a moça decidiu que faria o impossível, mas se livraria desse futuro angustiante, daria um jeito de William desistir desse noivado e não seria jamais uma boa companhia para o noivo. William era obstinado e amava a noiva mesmo antes de conhece-la, mantinha um amor verdadeiro, além da certeza de querer cumprir com a promessa feita pelo falecido pai. A partir da chegada de William na fazenda a história se desenrola entre ele tentando conquistar a amada e Ângela fazendo o possível para afastá-lo, alegando sentir ódio do noivo.

 O que me disseram as flores é uma história singular, a autora consegue nos mostrar os detalhes da história de forma, simples e apesar de descrições rápidas, consegue ser detalhista. A história inicia nos tempos atuais e começamos a conhecer os personagens através de um diário encontrado por uma parenta da Ângela, a partir daí somos apresentados a Santiago e Afonso e aos motivos que os levaram a selar a promessa de casar os filhos. Depois de conhecermos um pouco os pais dos noivos é que a história principal começa a se desenrolar e de uma forma simples, Alane Brito desenvolve uma história envolvente e muito gostosa de ler.

 Essa é uma daquelas histórias cheia de personagens encantadores, Santiago e Elisa são um casal apaixonado, pais amorosos, pessoas gentis e corretas. Conhecemos também os amigos de Ângela, os irmãos Lílian e Felipe, jovens educados, amigos de verdade e com atitudes e diálogos cativantes. Dona Vera é a governanta da casa, que sempre tem uma palavra sensata e um ombro amigo, mas também conhecemos Leonardo um personagem que de início mostra-se um gentil cavalheiro, mas que no decorrer da história demonstra que não é tão equilibrado quanto parece.

 Ângela é a típica moça encantadora, sedutora, bonita, porém, com um temperamento forte, orgulhosa e que não suporta ser contrariada, enquanto William é o cavalheiro dos sonhos, bonito, educado e respeitador. Esse foi um dos livros mais cativantes que já li, emocionante, simplesmente transformador. Confesso que ao final da leitura precisei de um momento para me recompor e mais um momento para fazer a resenha, tamanha emoção que senti ao final da leitura.

 Esse livro traz uma história intensa, contada em terceira pessoa, mas que traz em alguns momentos frases retiradas do diário da Ângela. Possui uma capa muito bonita, mas com um tom de melancolia, o que não diminui em nada a sua beleza. William é um rapaz encantador, impossível de não amar, enquanto Ângela as vezes me fez sentir um pouco de raiva, devido a sua acidez e temperamento difícil, entretanto, a sua força é inquestionável e não podemos dizer que ela não tinha motivos para estar irritada, afinal, estava sendo obrigada a se casar.

A história Possui um final muito diferente do que eu imaginava e acredito que a intensão da autora era passar um recado aos leitores, uma mensagem sobre a importância de mantermos o coração aberto e sabermos aproveitar o hoje. A importância de aproveitarmos as pessoas e encarar as situações que a vida nos apresenta de coração aberto e mesmo quando algo não acontece da forma como desejamos é importante experimentarmos antes de dizer que não gosta, pois muitas vezes acabamos perdendo oportunidades ímpares por não se permitir experimentar antes de dizer não.

 Outra mensagem passada é sobre o respeito aos sentimentos das outras pessoas, sobre o perigo de usar o outro em prol dos nosso desejos, sem ao menos medir as consequências. Outra mensagem um pouco menos explícita no início e meio do livro, mas que foi mais exposta ao final é sobre o amor que os pais depositam em seus filhos e sobre como os seus conselhos são valiosos, apesar de nem sempre acertarem as intensões são sempre as melhores.

 Indico esse livro para todos que não temem se emocionar, derramar lágrimas, como eu derramei ao final da leitura, pois sim, faz tempo que não choro lendo um livro, mas foi impossível segurar as lágrimas com esse. Indico para todos gostam de romances, de mocinhas fortes e difíceis e de cavalheiros dispostos a conquista-las.

A lição da vez? Dessa vez a lição é que o orgulho é um inimigo frio e calculista, que pode até te ajudar a te levantar nos momentos bons, mas que te abandona nos momentos ruins. Que o hoje é o momento mais importante e por isso deve ser vivido de coração aberto, pois não sabemos se alcançaremos o futuro. Que um coração partido pode corroer todo o corpo e por isso a importância de não ferir propositalmente o coração de alguém. Que a vida é curta, passa muito rápido e por isso devemos aproveitar ao máximo a companhia das pessoas que amamos,

Até breve…

signature

6 Comentários

  1. A Alane se Garante!
    Lia sua resenha está demais!! Como sempre kkkkkk
    Gosto da forma como expressa seu ponto de vista sobre a obra ao invés de ficar só presa em descrever o leu. Você descreve o que sente.
    Gostei da abordagem do livro, mas quero mesmo é ver resenha do O segredo dos Becker.
    Abraços!

    • Obrigada Fernando. Fico felize que tenha gostado, pois, seus textos são sempre muito bons. E a Alane realmente é show.

  2. Obrigada Alane, que bom que gostou. Você é que estar mais que de parabéns pela história, é emocionante e passa uma meansagem maravilhosa.

  3. Que linda história, já sou uma pessoa emotiva por natureza, sei que irei ficar emocionada ao ler esse livro. Como sempre ótima resenha Lia.

  4. Que resenha maravilhosa, Lia!! Fico tão feliz que tenha gostado do meu livro e ainda mais por ter captado lindamente a mensagem que eu quis passar. Muuuuuito obrigada por suas palavras!! Você simplesmente arrasou!!

    Beijos!!!!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here