O Príncipe dos Canalhas – Loretta Chase

6
1085

Meu primeiro Romance de Época. Eu adorei!

Como li no formato ebook eu não posso descrever a diagramação ou qualidade das páginas. Mas farei melhor, me dedicarei a falar sobre a narrativa.

Sebastian, lord belzebu, filho do diabo, dentre outros apelidos, nasceu no ceio de uma família muito rica. Filho do segundo casamento de seu pai. Teve a infelicidade de nascer com alguns atributos renegados para sua família. Nasceu sem a beleza esperada. Por este motivo era rechaçado por seu pai e sua mãe não soubera dar amor e atenção adequadamente.

Devido a alguns problemas familiares a mãe de Dain o abandonou aos 8 anos de idade e seu pai não aguentando a “feiura” de seu filho o colocou em um colégio interno para que desta forma ficasse livre daquela “aberração”.

Dain sofreu bulling entre seus colegas internos devido a sua aparência mas aprendeu a se defender e conquistou “respeito” ou medo de todos. E assim ele cresceu, foi para a faculdade, enriqueceu por meio de seu conhecimento e devido a apostas e jogatinas. Era temido por todos o que ainda tinham “coragem” de se aproximar dele.

Todos os seus relacionamentos eram com prostitutas, as considerava como mercadoria de troca e por isso não tinha obrigações com elas.

Jessica Trend, uma bela mulher, 27 anos, solteirona para os padrões da época, perdera seus pais há algum tempo e fora criada sob os conselhos de sua avó que em sua juventude era uma linda mulher, desejada por todos e considerada até sua velhice como uma “Fatal Female” (mulher fatal).

Jessica e Dain se encontram em uma loja de antiguidades e naquele momento os nervos e o desejo afloraram mas o pudor e a desconfiança prevaleceram, mas a partir daquele momento não se olhariam de uma forma angelical. Nesta loja, Jess encontra uma peça de antiguidade e negocia com o vendedor, acaba comprando por um valor totalmente irrisório a aquele pedido anteriormente e isso chama atenção de todos na loja e aos que ouviram a história posteriormente. Percebe-se naquele momento que Jess não era qualquer uma e que supria de uma inteligência totalmente diferente de seu irmão Bertie Trend, amigo de Dain e atolado em dívidas por causa da bebida e da jogatina.

O desenrolar do relacionamento entre Jess e Dain é digno de um filme. Os diálogos, os encontros, as angustias, as asperezas, as necessidades, o desejo, tudo, nos faz delirar em cada uma de suas páginas.

Um Romance que deixa água na boca e o desejo de uma continuação. Escrito em terceira pessoa. A autora soube trabalhar cada um dos personagens de forma prazerosa.

É um romance entre uma “gata e um rato” com direito a todas as intrigas, brigas e discussões possíveis e impossíveis.

Para completar a bela narrativa a autora consegue descrever de forma prazerosa momentos quentes entre seus principais personagens e estas partes apimentam profundamente a leitura.

Não há como não se apaixonar pelo Sebastian e pela Jessica. Definitivamente é um livro que pode ser lido inúmeras vezes e seu romance jamais será clichê.

 Gostaria de parabenizar à Ed. Arqueiro pelo belo livro!

Ceiça Carvalho

O Melhor comentários nesta resenha ganhará um kit de mimos! Participe!

6 Comentários

  1. Primeiramente, também nunca tive contato com romance de época e como já havia dito em várias oportunidades, esse livro seria, possivelmente, o primeiro contato meu com o gênero.

    Segundamente, uma pena que ebooks não tenham um capricho a mais na diagramação ( até as vezes tem sido ridículo alguns perderem a formatação simples). Mas o bom é que não perde tempo falando nisso, já que para mim, o conteúdo é mais importante (nesse caso a narrativa é mais importante do que sua apresentação – em outras palavras, sua diagramação).

    Terceiramente, (eu vou ficar enumerando errado até o final desse comentário? Sim, vou sim) sobre os personagens. Será que Sebastian é tão feio assim ou será uma metáfora para algo? Será que ter ou não um rosto aceitável o tornaria um ser humano ou uma aberração? Em seu breve resumo, lembrei-me de Quasimodo, o Corcunda de Norte Drame, que para todos era um monstro, mas alguém se der o trabalho de se aproximar, verá a beleza real.

    Por fim, a Trend se mostra ser essa pessoa que não enxergaria apenas o que está de fora do Corcunda e sim todo o conteúdo. Achei um diferencial esse livro está em terceira pessoa, já que muitos livros atuais estão com a péssima mania de está com a narrativa em primeira pessoa, que depois de um tempo lendo vários livros, você acaba achando isso chato, já que você perde alguns detalhes que podem ser trabalhados de forma imparcial e de vários ângulos se a narrativa tiver como observador e não em primeira pessoa.

    Também é uma coisa positiva o romance não ser clichê, mas uma vez esses autores tem a péssima mania de juntar todos os clichês numa colcha de retalhos e vender como um livro de ideia original. Depois de tais declarações em sua resenha, adorei e com certeza estou com mais vontade de ler esse livro.

    E creio que preciso repetir mais uma vez, a Arqueiro está de parabéns por vários livros bem interessantes e de ótima qualidade!

    Beijinhos =*

  2. Primeiramente, também nunca tive contato com romance de época e como já havia dito em várias oportunidades, esse livro seria, possivelmente, o primeiro contato meu com o gênero.
    Segundamente, uma pena que ebooks não tenham um capricho a mais na diagramação ( até as vezes tem sido ridículo alguns perderem a formatação simples). Mas o bom é que não perde tempo falando nisso, já que para mim, o conteúdo é mais importante (nesse caso a narrativa é mais importante do que sua apresentação – em outras palavras, sua diagramação).
    Terceiramente, (eu vou ficar enumerando errado até o final desse comentário? Sim, vou sim) sobre os personagens. Será que Sebastian é tão feio assim ou será uma metáfora para algo? Será que ter ou não um rosto aceitável o tornaria um ser humano ou uma aberração? Em seu breve resumo, lembrei-me de Quasimodo, o Corcunda de Norte Drame, que para todos era um monstro, mas alguém se der o trabalho de se aproximar, verá a beleza real.
    Por fim, a Trend se mostra ser essa pessoa que não enxergaria apenas o que está de fora do Corcunda e sim todo o conteúdo. Achei um diferencial esse livro está em terceira pessoa, já que muitos livros atuais estão com a péssima mania de está com a narrativa em primeira pessoa, que depois de um tempo lendo vários livros, você acaba achando isso chato, já que você perde alguns detalhes que podem ser trabalhados de forma imparcial e de vários ângulos se a narrativa tiver como observador e não em primeira pessoa.
    Também é uma coisa positiva o romance não ser clichê, mas uma vez esses autores tem a péssima mania de juntar todos os clichês numa colcha de retalhos e vender como um livro de ideia original. Depois de tais declarações em sua resenha, adorei e com certeza estou com mais vontade de ler esse livro.
    E creio que preciso repetir mais uma vez, a Arqueiro está de parabéns por vários livros bem interessantes e de ótima qualidade!

    Beijinhos =*

  3. Primeiramente, também nunca tive contato com romance de época e como já havia dito em várias oportunidades, esse livro seria, possivelmente, o primeiro contato meu com o gênero.
    Segundamente, uma pena que ebooks não tenham um capricho a mais na diagramação ( até as vezes tem sido ridículo alguns perderem a formatação simples). Mas o bom é que não perde tempo falando nisso, já que para mim, o conteúdo é mais importante (nesse caso a narrativa é mais importante do que sua apresentação – em outras palavras, sua diagramação).
    Terceiramente, (eu vou ficar enumerando errado até o final desse comentário? Sim, vou sim) sobre os personagens. Será que Sebastian é tão feio assim ou será uma metáfora para algo? Será que ter ou não um rosto aceitável o tornaria um ser humano ou uma aberração? Em seu breve resumo, lembrei-me de Quasimodo, o Corcunda de Norte Drame, que para todos era um monstro, mas alguém se der o trabalho de se aproximar, verá a beleza real.
    Por fim, a Trend se mostra ser essa pessoa que não enxergaria apenas o que está de fora do Corcunda e sim todo o conteúdo. Achei um diferencial esse livro está em terceira pessoa, já que muitos livros atuais estão com a péssima mania de está com a narrativa em primeira pessoa, que depois de um tempo lendo vários livros, você acaba achando isso chato, já que você perde alguns detalhes que podem ser trabalhados de forma imparcial e de vários ângulos se a narrativa tiver como observador e não em primeira pessoa.
    Também é uma coisa positiva o romance não ser clichê, mas uma vez esses autores tem a péssima mania de juntar todos os clichês numa colcha de retalhos e vender como um livro de ideia original. Depois de tais declarações em sua resenha, adorei e com certeza estou com mais vontade de ler esse livro.
    E creio que preciso repetir mais uma vez, a Arqueiro está de parabéns por vários livros bem interessantes e de ótima qualidade!

    Beijinhos =*
    http://www.umsofaalareira.blogspot.com.br

  4. estranho pais acharem seu filho feio e o colocarem num colégio interno p/se livrarem dele, mas com sua inteligencia soube aproveitar de sua feiura, queria muito saber o final do livro.

  5. Oi Ceiçs,

    Desde que li a primeira resenha sobre Príncipe dos Canalhas, senti que não seria uma leitura Boa para mim. A sensualidade e o romance de época da obra não me atrai, por isso acho que não darei lugar para a Jess no meu coração literário! Sei que ela vai sofrer muito com isso, mas não posso fazer nada se ela me atraiu. Kkk’
    Brincadeiras a parte, mas curti a sua resenha, a leitura sim parece fluir muito bem, mas como já disse a obra não faz meu tipo. Parabéns!

  6. Amei essa resenha, so que discordo de alguns detalhes, para um pai e uma mãe por mais feio que seu filho seja para eles é o mais lindo, o mais tudo, lógico que é um romance,mas mesmo o sendo, não significa ignorar ou renegar um filho, por ele ser feio ou diferente das demais crianças, todos sem excessão merece respeito, amor, carinho, fiquei com um gostinho de quero mais para ler o romance.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here