O dia em que Deus chorou – Igor Alcantara

0
512

Igor Alcantara:

Nascido na pequena cidade de Janaúba-MG em 07 de Maio de 1977, Igor Alcantara mudou-se logo cedo para Brasília-DF, onde viveu a maior parte de sua vida, tendo morado ou visitado quase todas as unidades da federação.

Desde cedo ele foi levado a ler compulsivamente. Como estudava no período da manhã e morava longe, só podendo voltar para casa à noite, gastava suas tardes em uma biblioteca de Brasília.

Por isso, desde seus nove anos de idade, leu diversos clássicos da literatura. Aos dez anos já conhecia a obra de Oscar Wilde, aos onze já havia lido Homero e Dante e aos doze, todas as peças de Shakespeare e boa parte dos livros de Kafka, Dostoievski e Machado de Assis, seus autores preferidos.

Seu primeiro conto, “A Flor de Moscou” foi escrito aos onze anos. Desde então ele nunca parou de escrever. Boa parte do que produziu foi perdido, mas algumas coisas ainda persistem. Outras tantas obras ele simplesmente escreveu como presente a alguns amigos, não guardando cópias das mesmas. Já algumas foram perdidas durante o tempo.

Igor Alcantara é um autor que acredita que escritores precisam se arriscar em terrenos antes não explorados. Por este motivo seus livros são de estilos diferentes entre si. É apenas saindo da “zona de conforto” que se pode realmente evoluir na arte das palavras.

Apenas após os trinta anos de idade publicou algumas de suas obras escritas no passado e textos inéditos. Com as novas tecnologias gráficas, esse antigo sonho tornou-se realidade.

Logo após a publicação, algumas de suas obras foram premiadas em diversos concursos literários, o que representou o início do reconhecimento de seu talento como escritor.

Se quiser saber mais sobre Igor Alcantara, além de obter informações adicionais sobre este e outros livros, visite a página pessoal do autor:
http://www.igoralcantara.com.br

Sinopse: Imagine que você pudesse se tornar Deus. O que faria? Como alcançar essa condição? E se a única forma de você existir seja criando algo vivo, sendo o Senhor dessa criatura? Pode ser que nada disso seja possível ou mesmo que toda a humanidade nem ao menos exista, sendo apenas um mero sonho divino. Quando Ele acordar, será o fim do mundo. Isso é verdade ou não passa de uma crise de loucura dos personagens?
É noite. Chove muito. Um acidente. O condutor morre. Jacques está sozinho, perdido, no meio do nada. Ele corre até encontrar abrigo. A pessoa e o local que ele conhece depois disso mudarão sua vida para sempre. Todas as certezas dele a partir de então são destruídas. O que seu misterioso anfitrião esconde? De quem é o túmulo que ele encontra? Ele está louco? Morto? Ele existe realmente? O que é o vulto que o persegue? A única coisa que ele sabe é que a cada dia que passa, é como se um novo universo fosse criado dentro dele mesmo.
O Dia em que Deus Chorou não é uma obra religiosa e sim um romance onde em meio ao suspense da narrativa, o leitor é apresentado às ideias e teorias dos personagens a respeito de diversos assuntos. O texto é narrado em primeira pessoa e transmite a quem o lê todas as angústias e dúvidas de uma mente paranóica que tenta manter-se lúcida em meio a um ambiente de incertezas.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here