O cantar da Sariema – João Leles Martins

0
520

O livro O cantar da Sariema de João Leles Martins, publicação da Chiado Editora, tem 225 páginas de um papel delicado e de uma gramatura que passa como um veludo nos dedos. Sem contar que as páginas tem rodapé com um arabesco, que mostra a delicadeza da obra do autor. Com uma capa lúdica e colorida, dá vontade de começar a ler ao pegar no livro.

A obra é cuidada e detalhista, coberta de histórias e casos, foi iniciada com uma abertura ritualística, um prelúdio, evocando Saúde e Paz! Uma obra de conteúdo familiar, genealógico, que traz passagens e personagens do Brasil, e dados importantes da genealogia familiar do autor. Começa com Prefácio da escritora Kátia Eli Pereira, ressaltando a importância dessa obra que nos ensina um pouco de cada Arte, com sua linguagem autêntica e de fácil acesso.

 Na primeira parte, ele fala das famílias Couto e Barroso, originárias de Minas Gerais, que iniciaram suas vidas na cidade de Quirinópolis, no estado de Goiás. Nessa cidade, se estabeleceram, fizeram a vida e as famílias foram formadas. Temos o personagem Miguel Martins do Couto, casado com Maria Rita do Espírito Santos e Teófilo Barroso Neto, casado com Maria Cândida do Carmo, que são os avós do autor, e que deram origem às famílias que formaram a árvore genealógica que de origem a essa obra. Personagens como Chacrinha, Almir Sater, Silvio Santos e tantos outros, conhecidos dos brasileiros são citados na obra, fazendo uma referência às Artes e à memória cultural.

 Na segunda parte, o Autor nos fala do bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva, o conhecido e destemido Anhanguera, que é considerado o descobridor do Estado de Goiás. Além dos episódios culturais e históricos, o autor nos conta passagens engraçadas e bem humoradas, tornando a leitura leve e divertida.

A terceira parte do livro fala dos dados históricos sobre a cidade de Quirinópolis, localizada na região sudoeste do Estado de Goiás. Ela é formada com a chegada dos desbravadores, ainda em 1832. É promovida à categoria de Freguesia, com o nome de Nossa Senhora D’Abadia, distrito de Rio Verde e mais tarde, recebe o nome de Quirinópolis, transformada já em cidade em 1943.

Em por último, João Leles faz um encerramento marcante, renovando os votos de Paz a toda a Humanidade de uma forma ritualista e comovente! É um livro que mostra a importância da família em nossas vidas e mais ainda, o valor que devemos dar ao nosso passado, que permeia nosso presente e conduz nosso futuro! A leitura de O Cantar da Sariema é inebriante, por trazer à tonam registros de nossa cultura e de nosso povo, com delicadeza e bom humor. Um livro delicado, como o autor nos revela ser à todo tempo! De fácil entendimento, que deixa o leitor com vontade de sorver as páginas de maneira imediata! Recomendo o livro para os amantes de boas histórias e casos!

Resenha de Alessandra Mhorgana, resenhista do Arca Literária

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here