Neiva Meirele

3
1024
  1. Fale-nos um pouco de você.

 – Escritora, mãe, esposa, dona de casa, 25 anos, evangélica. Sou uma pessoa otimista e persistente, o tipo de pessoa que acredita que sonhos se realizam e que nada é impossível para aquele que acredita.

  1. O que vc fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?

– Trabalho apenas com os livros há mais ou menos 10 anos, os últimos 3, profissionalmente. Quando eu tinha 11 anos participei de um bate-papo com uma escritora e então não tive mais dúvidas sobre a minha vocação. Escrevi meu primeiro livro aos 14 anos (Acho que Cresci!), inspirada na amizade com minha irmã e mais cinco amigas inseparáveis, todas estudantes da mesma turma. Desde então tudo ao meu redor tem servido como inspiração.

  1. Qual a melhor coisa em escrever?

 – Eu encaro a escrita como uma terapia,  não sei viver sem escrever, então posso afirmar com toda certeza que a melhor coisa em escrever é a sensação de liberdade, a sensação de que posso estar no lugar que eu quiser, da maneira que eu escolher.

  1. Você tem um cantinho especial para escrever? 

– Não tenho um cantinho específico para escrever, principalmente porque sou mãe de um menino de 3 anos, o Juan Pablo, e preciso ficar de olho nele o tempo todo rs. Então acabo escrevendo quase sempre na sala enquanto ele assiste desenho animado.

  1. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?

– Eu escrevo romance, sem dúvida é o gênero que me identifica. Mas também já fui contratada para escrever uma biografia.

No livro que terminei de escrever recentemente decidi arriscar um pouquinho e mesclei pitadas de fantasia ao romance. Gostei muito do resultado.

  1. Fale-nos um pouco sobre “A hora da verdade”. Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?

– A Hora da Verdade foi meu primeiro lançamento, pela Modo Editora. Escrevi a história em 2008. Eu queria criar algo que reunisse aventura, romance e suspense, mas tudo isso seguindo mais para o lado da comédia romântica, então nasceu A Hora da Verdade. O título é sempre bem complicado. Eu admiro quem consegue dar um título à sua obra tendo escrito apenas a sinopse. Eu só consigo ter certeza do título após concluir a obra. Em relação aos nomes dos personagens, normalmente quando os coloco no papel já conheço a personalidade de cada um deles, de maneira que o nome vem automaticamente.

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?

– Faço todos os tipos de pesquisas possíveis. Leio jornais, revistas, converso com pessoas que entendem do assunto que pretendo abordar e, claro, pesquiso muito na internet. Antes de dar início a uma nova história, preciso ter certeza do que estou escrevendo, por isso a pesquisa é fundamental.

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

– Não me inspiro num único autor, especificamente, mas acredito que cada história que leio me deixa algum aprendizado que levo para minha carreira como escritora. Eu procuro ler bastante, vários gêneros e temas diferentes.

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

– Bom, eu sempre digo que sou escritora das antigas. Eu prefiro trabalhar até a exaustão em um livro antes de partir para o próximo. Tenho apenas dois livros publicados (A Hora da Verdade e O Plano é o Amor), embora eu tenha mais de 10 livros escritos.

Logo que descobri que era possível mandar originais por e-mail para que as editoras avaliassem, enlouqueci, e mandei para várias editoras. Obviamente recebi inúmeros “nãos”, mas hoje tenho consciência de que eram obras que não estavam prontas, precisavam ser lapidadas.

  1. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?

– Eu acho que os escritores nunca tiveram tantas facilidades como têm agora. Acredito que, pela primeira vez, todos têm a chance de mostrar seu talento a nível nacional, mas cuidado porque agora o leitor é o jurado rsrs. O que me alegra é saber que autores maravilhosos estão tendo a chance de brilhar.

  1. Recentemente surgiram vários pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

– Com toda sinceridade, eu acho preocupante. O problema é que muitos dos novos autores estão vendendo seus livros apenas para seguir a onda, sem pensar no consumidor. Como leitora, eu me sinto sacaneada quando compro livros/e-books recheados de erros porque obviamente esse livro não passou por uma revisão e etc, etc, etc… (prefiro nem comentar, pois o debate vai longe). O que me preocupa é que os escritores que realmente se esforçam, batalham, dão o melhor de si e investem do próprio bolso na intenção de levar ao seu leitor algo profissional, acabam se prejudicando. A má fama sempre corre rápido, é por isso que precisamos ser muito cuidadosos quando decidimos lançar um livro seja ele físico ou digital.

  1. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

– Eu sempre digo que vou ser a escritora mais feliz da face da Terra quando puder vender meus livros por R$9,90. Realmente, devido aos preços elevados, os escritores nacionais acabam levando mais essa desvantagem em relação aos estrangeiros.

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

 – E se Fosse Verdade, de Marc Levy.

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria?

– Vivir sin aire – Maná

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

–  Indomável – Nick Vijicic (o livro que mudou minha maneira de ver a vida).

  1. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

Tenho dois projetos que devem ser meus próximos lançamentos (isso se a gente não mudar tudo de última hora, porque vida de escritor é uma loucura rsrs).
O primeiro, trata-se da biografia que mencionei anteriormente. Nessa biografia vamos falar abertamente sobre a vida amorosa de um famoso cantor gaúcho com uma jovem muitos anos mais nova do que ele, com quem viveu nos anos que antecederam sua morte. Existe uma possibilidade muito grande de a história ser adaptada para o cinema.
O outro projeto é um romance romântico, seguindo o mesmo gênero de O Plano é o Amor, ou seja, romance cristão. Ainda não posso falar muita coisa sobre ele, mas posso adiantar que a história aborda temas como: escolhas, preconceito, drogas, música, Ongs e claro, muito romance, isso tudo sob o ponto de vista cristão, que é nosso público alvo.

  1. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

– Procuro acompanhar sempre. Embora as críticas negativas me deixem pra baixo por alguns dias (fico me sentindo a pior escritora do mundo rs), é através delas que aprimoro minhas histórias. Eu acho que se houver respeito está tudo bem, ninguém é obrigado a gostar, mas é obrigado a respeitar. O problema é quando o blogueiro não gosta do livro (muitas das vezes porque nem sequer gosta do gênero) e detona a história sem pensar nos sentimentos do autor, que é um ser humano como outro qualquer.

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

– Maurício Gomyde. Sou fã de sua escrita e adoraria poder trocar ideias com ele.

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

 – Sem dúvida nenhuma é receber o carinho dos leitores. Saber que um leitor se tornou seu fã e que lerá tudo o que você escrever, isso não tem preço.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

– Quero deixar meu eterno agradecimento aos leitores. Vocês fazem toda diferença na minha vida, são a razão pela qual procuro me aprimorar diariamente. Quero deixar registrado que amo receber os recadinhos de vocês.

Aos que estão ingressando na carreira, minha dica é: foco, persistência, paciência , fé e muita leitura. O resto a vida se encarrega de trazer.

Agradeço ao Arca Literária pela oportunidade. Foi um prazer responder a esta entrevista e mostrar um pouquinho mais do meu trabalho.

3 Comentários

  1. Que linda! Amo os livros da Neiva e fiquei super curiosa com Um toque de Mágica. Sucesso sempre!

  2. Amei responder cada uma das perguntas, você é sempre maravilhosa em suas entrevistas, Ceiça. Muito obrigada por abrir as portas do Arca para meu trabalho, esse espaço é muito importante para a carreira de qualquer escritor. Espero que os leitores gostem também 😀

    Beijos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here