Mexendo Com Maconha?

0
782

Em 1987 a costa brasileira viveu uma história surreal! Um navio de bandeira panamenha, mas que havia zarpado de Singapura, Tailândia, com uma carga de 22 toneladas de maconha que estava dividida em cerca de quinze mil latas com mais de um quilograma, cada, e destinava-se a descarregar em Miami…

 

O nome do navio era Solana Star e havia sido fabricado no Japão em 1973, onde recebeu o nome de Foo Lang III. Era um pesqueiro (atuneiro – preparado para a pesca de atum).

 

Porém em 1987 saiu de Cingapura, fez uma escala na Austrália e iria direto para os EUA, mas teve que fazer um reparo na costa brasileira.

 

A Polícia Federal brasileira, que desde o Regime Militar recebe ordens do Departamento de Polícia Federal americano e também já teve e ainda tem muitas operações patrocinadas por aquele país, foi acionada pelo DEA para tentar prender o navio e a carga com as 22 toneladas de maconha. A fim de que a mesma não chegasse até Miami.

 

Em 15 e 16 de agosto uma fragata brasileira, a F-44 Independência saiu na captura do Solana Star, pois não se sabia do atraso do navio para reparos, de maneira que não o encontraram na costa brasileira.

 

Duas semanas depois a Marinha de Guerra recebe nova ordem para procurar o navio e dessa vez foi o Contratorpedeiro Sergipe D-35 a sair para a região marítima de Angra dos Reis. Eu servia nesse navio nesse período e lembro que já estava pronto para ir para casa (baixar terra, como falamos na linguagem naval), quando o Comandante mandou cancelar as licenças, de modo que os que já tinham ido embora se deram bem.

 

Fiquei chateado e, de repente, um ônibus contendo uns 20 policiais federais parou no píer e os agentes embarcaram no navio.

 

Zarpamos e eu estava sentado na popa do contratorpedeiro conversando com um policial e, esse acabou me dizendo qual o objetivo da missão, pois até ali não tínhamos ideia concreta do que aqueles policiais estavam fazendo ali.

 

O agente me disse que estávamos procurando um Rebocador de Alto Mar que tinha uma carga de contrabando e, depois, acabou revelando que era maconha!

 

Passamos próximos à Ilha Grande, chegamos perto da Baía de Angra, mas não vimos o rebocador suspeito! Mas o navio não era um rebocador e nos viu de perto! Ficaram desesperados com nosso poder de fogo e, assim que nos afastamos de volta para a Base Naval, eles se dirigiram para o alto mar e se livraram das 15 mil latas de maconha!

 

A corrente marítima acabou trazendo para as praias as milhares de latas e pescadores, surfistas, banhistas encontraram as latas boiando e fizeram a festa!

 

A polícia recuperou menos de quatro das vinte e duas toneladas da droga e aquele foi o Verão “da lata”! Virou gíria e quando alguém perguntava se algo era bom perguntava se era “da lata”!

 

O país tinha se livrado havia pouco tempo da Ditadura Militar e esse episódio acabou se tornando um símbolo de mudanças, pois muitos que viam a maconha como algo assustador perceberam que fazia menos mal que o álcool e em cidades como Parati, Ubatuba… os Caiçaras acharam muitas latas e as venderam a fim de reformar ou consertar seus barcos, casas… Muitos lucraram com as latas e no Rio, a cidade da vanguarda, acabou utilizando o incidente como um símbolo de liberdade!

 

O navio Solana Star atracou no Rio de Janeiro, ficou retido e mais tarde foi leiloado. Teve o nome modificado para Tunamar, mas naufragou na primeira viagem como pesqueiro em 1994.

 

Ao passar pelo Centro Histórico de Parati e em algumas localidades de Ubatuba ainda se pode ver empresas, restaurantes e outros locais lucrativos que nasceram graças ao dinheiro da maconha da lata!

 

Eu sei que alguns pensaram que eu iria falar de liberação ou de não liberação do uso da maconha, mas eu só quis lembrar essa história que ocorreu aqui no Brasil, onde um helicóptero contendo 450kg de pasta base de cocaína (suficiente para produzir mais de 2 toneladas do pó que um mineiro famoso gosta de cheirar ou 10 toneladas de crack, esse flagelo terrível) foi esquecido e ninguém está preso ou respondendo processo por esse delito, embora a polícia federal brasileira, prestadora de serviços do FBI, DEA e CIA (especialmente no ímpeto de desestabilizar nosso país com prisões que causaram até agora mais de 300 mil desempregos), saiba a quem pertence a cocaína e o helicóptero…

 

Ronaldo Rhusso

 

 

 

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here