Lívia Lorena

0
585
  1. Fale-nos um pouco de você.

Meu nome é Lívia Lorena, tenho 30 anos, trabalho com comunicação. Amo minha família, incluindo meu gato Godofredo, curto livros, séries e filmes.

  1. O que você fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?

Sempre trabalhei com comunicação, mas adoro tudo o que envolve artes e cultura. Já fiz curso de teatro, cantei em um festival de música com algumas amigas, dancei de líder de torcida na faculdade, já fui Alice, fiz potes de biscuit, além de certa vez, com uns 10 anos, ter criado o roteiro de uma peça de teatro cujo tema era vampiros. No mais, eu sempre amei qualquer tipo de manifestação artística e escrever veio com a leitura. Desde novinha frequentava a biblioteca do bairro. Lá pelos 14 anos, escrevi um conto bem bobinho, um romance adolescente. Depois, em parceria com uma amiga, escrevemos uma distopia chamada As Jóias de Era. Quando eu falo de inspiração, posso afirmar com certeza que veio de meus sonhos e pesadelos insanos, que cá entre nós, muitas vezes dão de 10 a 0 em muitos roteiros de cinema. rsrs

  1. Qual a melhor coisa em escrever?

Escrever, acho que é quase igual atuar, só que com controle sobre a vida de cada personagem. Você se torna responsável por todos os sentimentos de uma pessoa que nem existe no mundo real, mas na sua cabeça chega a conversar com você. É quase um sonho consciente onde você pode ser quem quiser.

  1. Você tem um cantinho especial para escrever? 

Sinceramente não tenho um lugar especial, sabe. Eu levo sempre comigo caneta e papel. O livro que lancei em 2012, Redenção (disponível na Amazon.com) eu escrevi quase todo durante longas viagens do trabalho feitas de carro. Mas se eu tivesse que escolher um local, seria meu quarto.

  1. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?

Amo escrever fantasias. Sejam sobre vampiros, fadas, mágicos, outras dimensões. Deixar a mente sair da “caixa” me deixa cheia de alegria. Escrever o Um Amor de Recomeço, foi o gênero mais diferente pra mim até hoje. Nunca fui ligada em romance e em coisas muito melosas, mas eu sonhei com o enredo e no dia seguinte já estava escrevendo alguns trechos.

  1. Fale-nos um pouco sobre seu(s) livro(s). Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?

Bom, meu primeiro filho de muitos anos é o As Jóias de Era, e é basicamente um livro sobre jóias poderosas que estão sob domínio de meninas em uma dimensão chamada Era. Essa história é bastante jovem e é uma verdadeira celebração às amizades que temos quando adolescentes. Depois vem o Redenção, uma série de três livros, sendo o segundo o Sacrifício e o terceiro Ressurreição. Os livros também falam de fantasia, são mais adultos e têm como tema vampiros. O Redenção é sobre a busca da personagem principal, a Ruby, pela redenção de sua alma, já que ela não entende porque nasceu uma vampira. O Sacrifício narra a história da Ruby depois de alguns acontecimentos bem impactantes do primeiro livro e como ela vai lidar com o fato de ser tão especial para toda uma raça. O nome foi escolhido porque aqui, ela é colocada de frente a um imenso sacrifício, cujo qual poucas pessoas conseguem superar. Ressurreição, o livro final, retrata a busca da Ruby em reparar o que houve no segundo livro e nos leva a crer na ressurreição da carne e espírito. Um Amor de Recomeço é basicamente o que a história sugere; o recomeço para a Lia, personagem que está buscando novos caminhos, depois de ter enfrentado muita tristeza. Em Um Amor de Recomeço, os nomes das personagens principais apareceram de modo bem inesperado. Parece que quando eu sonho ou vejo a história em minha cabeça, cada pessoa já vem com seu nome. Há uma particularidade engraçada quanto ao nome da Lia. Eu já tinha terminado de escrever todo o livro com um nome X – que não era Lia – e resolvi começar a ler um romance nacional sobre príncipes e princesas, onde a personagem principal tinha o mesmo nome. Para evitar comentários optei por alterar o nome X para Lia. Foi difícil acostumar, mas hoje já tenho a impressão de que a Lia, no fundo, sempre foi Lia. J

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?

Leio muito sobre o tema que quero abordar, olho fotos, converso com quem tem mais propriedade e no caso dos livros ambientados em São Paulo, vou até os lugares para captar cada detalhe.

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

Sim! Eu amo Dracula de Bram Stoker, Anne Rice e Pedro Bandeira. Livros de terror e suspense me prendem muito e me ajudaram bastante, mas também leio sem problemas qualquer outro gênero.

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

Ahh sim! É tão difícil ter esse sonho realizado. Eu só publiquei o Redenção, os demais livros da série, infelizmente, não consegui espaço e nem verba para, o que me afastou das palavras por mais de um ano. O desânimo era tanto que nem ler eu queria mais. Perdi completamente o prazer, mas graças a Deus ele voltou esse ano e tem ficado mais intenso. Estou batalhando a publicação do Um Amor de Recomeço. O negócio é tentar não desanimar.

  1. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?

Eu acho que quem diz “Brasileiro não lê”, precisa conhecer mais nossos autores, os grupos de leitura e eventos literários. É fato, que temos muito o que melhorar, mais investimento para ser feito, um mercado amplo e com grandes possibilidades de crescimento, mas temos pessoas apaixonadas por livros, que vivem intesamente cada história e elas merecem ser valorizadas. Precisamos agir com mais foco no todo, nesse mercado que tem tanto potencial.

  1. Recentemente surgiram vários pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

Eu paguei alguns serviços para o Redenção ser publicado e confesso que fui bastante displicente com ele em sua primeira edição. Coisa de quem tava começando, completamente crua, sem aquele jogo de cintura. Acho que falta busca de diálogo. Muitos autores acham que pagar e ter o livro fisíco na mão é o final, mas aprendi de forma bem complicada que publicar um livro, não deve ser encarado como um sonho, mas como um negócio que merece atenção, comprometimento, merece uma revisão de qualidade feita por alguém de confiança, merece uma capa de qualidade, merece uma divulgação de qualidade. Eu pequei por demorar a entender isso, via a publicação do Redenção como a realização de um sonho, mas ele nunca foi só isso, ele é o que eu tenho de mais valor: um punhado de ideias organizadas.

  1. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

Infelizmente vivemos num país bastante injusto quanto a preços, mas a verdade é que o custo de produção tem que ser pago de alguma forma e é uma pena que as editoras não tenham maior incetivo por parte do governo para propagar a leitura aos quatro cantos do país.

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

A Série Harry Potter!

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria? (nome da musica + cantor)

Um Amor de Recomeço, Que Seja, da banda Bicho de Pé. É linda!

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

São tantos e tantos tipos e tanto pra ler ainda… Fica difícil demais pensar em um só.

  1. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

Tenho! Comecei a escrever uma nova fantasia, também inspirada em um sonho lindo. Ela mistura a magia que envolve a Lua e o Mar.

  1. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

Acho que sinceridade e críticas positivas e construtivas estão aí para elevar o nosso trabalho. Eu, na posição de leitora e cliente, gosto de ser ouvida, por isso busco entender o lado do leitor sempre que ele é sincero e educado. rsrs

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

Ai, eu acho que a Anne Rice.

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

Sentir que o leitor conseguiu mergulhar em sua mente através de um livro seu.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

Determinação e planejamento. Tomem cuidado com pessoas que queiram se aproveitar da sua vontade de realizar um sonho, infelizmente tem muitos aproveitadores por aí. Contem a ajuda de pessoas que já passaram pelo mesmo caminho. Converse, troque experiências, fale com autores, leitores e blogueiros. Não tenha medo nem vergonha de perguntar. Estude! Esteja sempre disposto a mudar para melhor e principalmente, nunca deixe de sonhar e lutar para concretizar.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here