Dica de escritora: Roberta Souza fala sobre ‘Cinquenta tons de cinza’

3
882

Alguns livros chegam nas terras tupiniquins já marcados por estrondoso sucesso. A euforia causada por eles incute uma enorme curiosidade! O comum é que isto venha no rastro, principalmente, dos livros polêmicos. Isto aconteceu de forma bombástica com a coleção Cinquenta Tons, da autora E.L. James, publicado no Brasil pela Editora Intrínseca. As emoções e reações causadas pela coleção foram enormes e controversas: paixão, aversão; curiosidade, indignação; admiração, menosprezo; entre outras. Com toda essa reverberação de opiniões, fui descobrir e conhecer, afinal, o que existe nos Cinquenta Tons? Vamos à história:

Livro I – Cinquenta Tons de Cinza

Anastásia Steele, uma jovem universitária americana, ao fazer um favor para sua amiga Kete, se vê frente a frente com um homem poderoso, lindo, rico, educado, misterioso e que a faz sentir desejos incontroláveis: Christian Grey.Imediatamente uma atração irresistível se instala entre os dois. E, a partir daí, a virgem e ingênua Ana, se vê envolvida pelo poder encantador, pela força sexual irresistível de Grey.

Mas para ela poder ficar com ele e descobrir seus mistérios existem regras, e Ana precisa decidir se aceita a forma estranha de “relacionamento” que o controlador e irresistível Christian oferece, e ele precisa aprender a controlar seus instintos fortes demais para a virgem Ana.

Livro II – Cinquenta Tons Mais Escuros

Christian só aprendeu uma forma de “amor”: submissão x dominação. Ana, mesmo envolvida e se esforçando para superar seus medos e limites, desiste do sedutor e dominador Christian. Porém a separação é dolorosa para ambos. Grey descobre que não pode e não quer viver sem Ana.

Assim, uma nova fase se inicia. Ana começa a entender os traumas e o peso do passado de Christian e ele, se abre para aprender e aceitar o amor que Anastásia oferece. Os dois aprendem, têm suas primeiras vezes em muitas coisas e descobrem o amor juntos, cada um da sua forma. Ele precisa superar seus medos e suas barreiras. Ela precisa enfrentar a raiva de uma ex-submissa em crise que ameaça matá-la.

Livro III – Cinquenta Tons de Liberdade

Para um eterno solteirão, Christian dá um enorme passo ao se casar com Ana. A família dele, grata e feliz pela mudança, apoia Anastásia nesta nova vida, tão diferente para ela.

Além de ter que lidar com a absurda necessidade de controle de Christian, ela precisa aprender a conviver com o seu primeiro amor e com a crise que se instalou por ela estar grávida.

Não bastando isso, o perigo ronda a vida do casal e Christian se vê frente à possibilidade de perder Ana para sempre. Dois mundos, duas personalidades, uma só vida.

Minha opinião:

Realmente, toda a trama dos três livros é recheada de cenas eróticas quentes e de relações sexuais bem detalhadas, sexo instigante, selvagem, doce, bruto, forte e, muitas vezes, impactante. Esta é a base, a cor mais forte para o desenrolar do romance de Christian Grey e Anastásia Steele.
Mas é, também, uma história sobre traumas, perdas, frustrações, sobre a descoberta do amor, da cumplicidade, da partilha.
O bilionário Christian, aparentemente tem tudo: uma linda família, beleza, juventude, poder, fama… Mas sobre ele pesa a sombra de seu passado, que o fez ser quem é.
Anastásia é simples, ingênua, forte, estabanada, sonhadora… E não recua frente a um desafio. Principalmente se este desafio se tornar a coisa mais importante de sua vida.
Entre cenas quentes, encontros e desencontros acontecem. O amor nasce e cresce forte entre os dois, criando novos caminhos para o casal.
Achei a história linda, como um conto de fadas moderno. Quase uma adaptação sacana de “Uma Linda Mulher”, onde o inacessível e inabalável poderoso empresário se rende aos encantos de uma linda prostituta.
Profundo, o livro, criticado principalmente pelas cenas de sexo, nada mais é do que um tapa na cara dos hipócritas que acreditam que o sexo ainda precisa ser tratado como tabu.

3 Comentários

  1. Gosto muito dos três livros. Gosto mais ainda da trama ser desenvolvida sobre a perspectiva de só um dos personagens, dando ao leitor a chance de imaginar o que poderia estar a se passar na mente do outro. Acho eu em minha humilde opinião que esse preconceito das pessoas acharem que o livro só trata sobre sexo, é culpa do marketing feito em cima do livro, por que td a imagem de venda do livro que eu vi vinha a imag da capa do livro um trecho com um relatos sexuais e uma imagem picante no fundo. Esses livros não foram julgados pela capa e sim pela propaganda.

  2. É exatamente isso que eu tento explicar para as pessoas que não conhecem a fundo os livros e acabam tendo um pré – conceito de que eles não prestam e são basicamente sexuais, adoro a história de amor deles dois desenvolvida em toda a trama, toda a complexidade da mente do Christian, o motivo dele ser do jeito que é… Essa trilogia é muito mais do que apenas sexo! Amo

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here