Lia Moraes

0
772

Entrevista

  1. Fale-nos um pouco de você.
    Sou psicóloga formada na PUC-Rio e trabalhei ajudando diversas famílias e crianças durante boa parte da minha vida.
  2. O que vc fazia/faz além de escrever?

De onde veio a inspiração para a escrita? A inspiração para a escrita surgiu por ser mãe de uma criança hiperativa e ter sentido falta de um livro que abordasse de forma leve e descontraída o cotidiano dessas crianças.

  1. Qual a melhor coisa em escrever?
    Saber que o leitor vai gostar do que ler.
  2. Você tem um cantinho especial para escrever?
    Não tenho um cantinho especial para escrever. Escrevo em diversos lugares que me dão inspiração.
  3. Qual seu gênero literário?
    Já tentou passear em outros gêneros? Não tenho um gênero literário de minha preferência. Hoje meu foco é estudar línguas estrangeiras e ler a respeito de saúde e cultura.
  4. Fale-nos um pouco sobre seu(s) livro(s). Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?
    A inspiração surgiu através do meu filho que é hiperativo. Então todos os dias ao chegar em casa tinha algum motivo para me inspirar. E foi ao longo da jornada dele até se tornar um publicitário bem sucedido que fui me inspirando..
  5. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?
    Ao longo da minha carreira de psicóloga fiz muitos cursos que me ajudaram a ter uma opinião definida e positiva a respeito da hiperatividade, também conhecida como TDAH.
  6. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?
    No momento que escrevi meu livro me inspirei em livros infantis para usar a melhor linguagem e forma de me expressar. Visei ser bem agradável para as crianças e seus pais.
  7. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?
    Não tive dificuldade. Inclusive meu livro já está na segunda edição e ruma à terceira.
  8. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?
    Eu acho que vem mudando. Com o avanço tecnológico a literatura e a forma de conhecimento estão se tornando muito digital. Então os pais no meu ponto de vista devem ter a responsabilidade de apresentar aos seus filhos o hábito saudável da leitura. A tecnologia vai estar presente em todos os lugares e momentos dos seus filhos. Isso é uma realidade. Porém o hábito saudável de ler pode cair em esquecimento, se não for desenvolvido de maneira saudável e adequada.
  9. Recentemente surgiram vários pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?
    Este boom deve-se à grande facilidade de se editar um livro atualmente. Mas considero isso bom.
  10. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?
    É uma pena porque no momento de crise as pessoas passam a comprar menos livros. Mas ainda acredito que o custo benefício de ler ou comprar um livro para se dar de presente ainda é muito interessante. Comparando-se o preço de um livro com outros artigos, eu acho que o livro ainda pode ser considerado relativamente barato.
  11. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?
    O meu livro infantil João Agitadão. Já li diversos livros fantásticos mas minha vontade de escrever a respeito da hiperatividade infantil para crianças surgiu exatamente pela pouca oferta de bons livros que abordam esse tema.
  12. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria?
    Não consigo associar uma trilha sonora ao livro. Até porque ler é algo que normalmente fazemos sem interferências sonoras.Mas se tiver que escolher uma eu falaria “Aquarela” do Toquinho que lembra a infância do meu filho que me inspirou.
  13. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?
    Já li diversos livros que colaboraram e permanecem contribuindo para que minha vida se torne mais agradável.
  14. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?
    O meu projeto mais presente é divulgar o meu livro pois acredito que ele possa ser bem útil para as crianças hiperativa e seus pais. Paralelo a isso eu procuro o bem estar da mente e do corpo. Adoro estar com as minhas netas e conviver com minha família.
  15. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?
    Acompanho sim. Dedico parte do meu tempo lendo comentários dos meus leitores no Facebook e por e-mail. É o modo de saber o que o leitor pensa.
  16. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?
    As crianças. Talvez se fosse para escolher uma pessoa, escolheria o Maurício de Sousa que deve ser o escritor com o maior número de leitores infantis.
  17. Qual a maior alegria para um escritor?
    O retorno positivo de seus leitores.
  18. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.
    Leiam mais pois o prazer da leitura surge com a prática.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here