Lais Maria

0
581
  1. Fale-nos um pouco de você.

Lais Maria – Bem, eu sou bastante reservada. Não estou muito acostumada a ser centro das atenções, então falar sobre mim é um pouco complicado, mas, vamos lá… Tenho 25 anos, sou natural de Natal-RN.

Amo ler, ouvir música e assistir filmes. Se me fizerem escolher entre balada e cinema, eu vou preferir cinema. Faço bem o tipo que curte cultura geek.

  1. O que vc fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?

Laís Maria – Já desejei ser de tudo nessa vida, mas escritora é onde mais me identifico. Desde que me entendo por gente gosto de ler, assistir animes, séries e filmes , então isso desenvolveu muito meu lado criativo. A iniciativa de ser escritora, teve inicio em blogs de fanfics, onde eu comecei como leitora, depois arrisquei como escritora. A experiência foi mais complicada do que parecia, mas me apaixonei pelo hobbie de imediato. Foi onde conheci diversas pessoas maravilhosas que me apoiaram e que gostavam do que eu escrevia. Incentivo que só me deixou mais segura sobre ser essa profissão que eu queria para minha vida.

Eu trabalhava em uma empresa de telemarketing e larguei tudo para tornar o sonho de ter um livro escrito por mim real, mesmo sem ter nenhum roteiro pronto. Loucura, não é? Mas eu sou assim mesmo! Gosto de apostar no que me faz feliz, não no que enche meu bolso. No entanto, não é algo que aconselhe ninguém a fazer. (risos) Batalhar para conquistar o que deseja é muito bom, mas tudo se torna mais difícil quando isso é feito de bolso vazio. Cedo ou tarde a realidade bate na porta fazendo você acordar. (risos e choro) Aprendi que é bom sonhar, mas sem tirar os pés do chão.

  1. Qual a melhor coisa em escrever?

Laís Maria – Brincar com a realidade. Entrar na mente de uma pessoa criada por você e observar o mundo por uma ótica diferente da qual se está acostumada. É uma experiência simplesmente fascinante!

  1. Você tem um cantinho especial para escrever? 

Laís Maria – Tenho sim. Meu quarto.

cantinho laís

  1. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?

Laís Maria – Drama e romance. Já tentei algo relacionado a suspense e fantasia, mas não deu muito certo. Eu sou uma romântica incurável. Mesmo que não seja minha intenção, quando inicio um enredo acabo dando destaque a um casal se apaixonando. Faço o possível para não me preocupar de início sobre a impressão que o leitor terá. Se o enredo que estou escrevendo me agrada, acredito que também será capaz de agradar outra pessoa. Isso ajuda muito a preservar a identidade dos meus manuscritos.

  1. Fale-nos um pouco sobre seu(s) livro(s). Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?

Laís Maria – A idéia iniciou depois que Tay e eu lemos uma série literária na qual somos muito fãs. Após ler o último livro, imaginei como seria escrever um romance onde o personagem principal sentia um amor parecido com o protagonista da série que havia lido, com a diferença que meu personagem principal foi privado de viver com a mulher que amava. Logo após veio a idéia de um triângulo amoroso. Contei a base do enredo a Tay e ela se apaixonou de imediato. Juntamos nossas idéias e a história foi tomando forma.

Um protagonista nos pareceu bastante orgulhoso, outro, bastante ambicioso, então foi daí que surgiu o nome “Orgulho e Ambição”.

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?

Lais Maria – Primeiro pesquiso sobre o lugar em que o enredo irá acontecer. Cada lugar possui sua cultura e seus modos. Li uma vez que o espaço em que a pessoa interfere na personalidade desse alguém, então peguei essa mania. Logo após vem as características e gostos de cada personagem. Desde o estilo de roupa, formação acadêmica e os hobbies mais simples.

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

Laís Maria – Sou muito fã da J.K. Rowling. Amo Harry Potter e tudo criado por ela desde os meus onze anos. A forma detalhista e profundidade de sentimentos em que ela cria seus personagens e enredos é fascinante. Jamais chegarei a sombra do que ela é, mas, ela me inspira muito.

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

Laís Maria – Bem, este é meu primeiro livro que será publicado. Sou um pouco perfeccionista, então demoro muito até finalizar os meus enredos. Se escrevo algo que não me agradou, prefiro que ninguém mais leia aquilo. Por conta disto nunca apostei em algum manuscrito meu anterior a “Orgulho e Ambição”.

  1. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?

Laís Maria – Acredito que assim como eu, muitas pessoas sonham em ter seu livro em uma estante de livraria e sendo bem visto pelo público. Sei o quanto dá trabalho escrever um enredo bem construído. Para mim, a fórmula do sucesso ainda não foi encontrada. Nada vem fácil. Você tem que batalhar para conseguir o que quer. E poucos tem dimensão da dificuldade que é publicar um livro no Brasil.

  1. Recentemente surgiram várias pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

Laís Maria – Diria que hoje se aposta mais em quantidade do que em qualidade, infelizmente. As vezes a culpa não é apenas do autor. Por trás de um livro publicado, há o trabalho de uma equipe. Mas, é o autor que está a frente para oferecer a cara a tapa. Se o livro publicado for desesperador como a pergunta descreve, é porque os membros da equipe não fizeram seu trabalho tão bem quanto deveriam.

  1. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

Laís Maria – Um absurdo visto por quem está de fora, mas muito justo para os que observam de dentro. Se o leitor soubesse o quanto o mercado literário nacional oferece ao autor por cada livro que publica, teria vontade de pagar muito mais pelo livro. Digo isso porque já fui leitora e também pensava que eram muito caros, mas hoje, sei que o autor tem que aceitar o pouco que lhe dão e ter toda fé do mundo para que seu livro seja bem aceito. Sem contar que também há a taxa de impostos absurda que nosso país cobra em cada produto colocado no mercado. O maior roubo está nisso. Mas é melhor não lembrar a ninguém da condição que nosso país se encontra, e arriscar deixar alguém deprimido. (risos)

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

Laís – As Crônicas de Gelo e Fogo. Sou fã da J.K. Rowling, mas acredito que George R. R. Martin é melhor escritor da atualidade. O universo que ele criou é coisa de um mega gênio. Jamais seriei capaz de criar algo tão grandioso, mas não custa sonhar. (risos)

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria? (nome da musica + cantor)

Laís Maria – Gosto de ouvir música enquanto escrevo, pois ela me deixa mais conectada com os sentimentos dos personagens. Sendo assim, costumo criar uma trilha sonora para cada personagem que escrevo. Em “Orgulho e Ambição”, as músicas de Ed Sheeran foram muito significativas. Não consigo escolher apenas uma.

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

Laís Maria – O livro da minha vida é a Bíblia, não poderia ser outro. É minha base para tudo que faço. Mas, o último livro que li e me marcou muito, foi “O Extraordinário” da R. J. Palacio. É o tipo de livro que você lê desejando que o mundo inteiro também o leia.

  1. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

Laís Maria – Além da série Orgulho e Ambição e do primeiro livro publicado pela Em Foco editora, estou escrevendo outros livros. Dois romances com nomes nada convencionais. (risos) “Maldição Quatro” e “O Colecionador de cadáveres”.

  1. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

Laís Maria – Sou sincera em dizer que não faço isso com muita frequência, mas de vez em quando dou uma conferida, para saber se o romance que estão lendo é realmente bom e vale a pena ler. Acho que é uma forma excelente de divulgação. Deixa o público alerta, a respeito do que pode encontrar. Apesar de que gosto é igual umbigo, cada um tem o seu. Algumas pessoas só saberão na realidade se irão gostar mesmo daquilo, se conferir por elas mesmas.

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

Laís Maria – J.K. Rowling. Minha vida zera, se ela algum dia ler um manuscrito meu. Se ela disser que adorou então, podem providenciar minha certidão de óbito e cavarem a cova, pois eu estarei Morta feat. Enterrada em questão de minutos.

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

Laís Maria – Ver sua obra sendo tratada com carinho e respeito. Significa que seu trabalho e noites sem dormir não foram em vão e você estava certo o tempo todo em acreditar no seu sonho.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

Laís Maria – Aos leitores de “Orgulho e Ambição”, só tenho que agradecer por sempre serem tão gentis conosco. Sem vocês escrever esse livro não seria tão prazeroso. Minha gratidão a vocês chega as nuvens.

Se você acredita no seu talento, não importa em que seja, apenas siga em frente. Não deixe que te digam que você não consegue. Se você acredita em Deus, peça força e mantenha fé nele, sem perder a confiança em si mesmo. Se você faz parte dos que não acreditam que há um ser maior olhando por todos nós, nada te impede de acreditar na capacidade que existe dentro de você, caro amigo. Sonhe alto, mas sem tirar os pés do chão. Estude, escreva com dedicação e carinho. Seja gentil e justo com os elogios e críticas que receber. Deposite na sua obra o que há de melhor dentro de você. Não ofereça ao público algo vazio, por ser apenas o que o público está acostumado a receber ou você só será mais um entre os mesmos. Mostre a que veio. Preencha seu trabalho com qualidade e nada será capaz de distruí-lo ou desmerecê-lo.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here