Kacau Tiamo

1
658
  1. Fale-nos um pouco de você.

Sou Kacau Tiamo, 41 anos, escritora e mãe de três pessoinhas lindas. Hoje eles tem 19, 17 e 8 anos, e são a razão do meu viver.

  1. O que vc fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?

 Já fiz muitas coisas nessa vida. Sou confeiteira,  depiladora e artesã.  Hoje vivo dos livros. Inspiração… comecei a escrever por não estar satisfeita com o que eu lia. Todas as mocinhas eram lindas, corpos esculturais, seios durinhos, cintura fina… e eu não era nem um pouco assim. Queria um livro onde eu me visse na personagem. Então criei Jessica, protagonista de Calor latente, gordinha, mãe e madura…

  1. Qual a melhor coisa em escrever?

A melhor coisa em escrever para mim é criar um mundo novo de possibilidades, histórias de um amor lindo, fugir da realidade e me entreter no meu mundo imaginário.

  1. Você tem um cantinho especial para escrever?

Não tenho ainda um lugar especial, mas pretendo. Hoje escrevo onde for, na mesa da sala, no sofá, na cama… rs

  1. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?

Meus livros são romances eróticos, new adult.  Já escrevi um mini conto de fantasia, drama e também em parceria com uma amiga escrevi uma duologia, que é um romance light.

  1. Fale-nos um pouco sobre seu(s) livro(s). Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?

Nos meus livros, procuro sempre superar barreiras que encontramos no dia a dia, sejam preconceitos, bulling, saúde… por diversas vezes recebo comentários como “ Você me descreveu perfeitamente, está acontecendo isso comigo” . Sobre inspiração para títulos, eles aparecem para mim depois que já escrevi uma boa parte do livro. Paro e penso em uma palavra que caberia perfeitamente na história… sobre nomes e sobrenomes de personagens eu  pesquiso, dependendo da descendência do personagem. Como em Sedução irresistível, Ramon é um Baiano com descendência espanhola. Para descobrir qual seria seu nome, pesquisei nomes e sobrenomes comuns na Espanha, acabei ficando com Ramon Marrero.

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?inesquecivel

Toda possível. Em Sedução irresistível eu viajei para Salvador, prestei atenção nos detalhes… no jeito das pessoas, enfim uma pesquisa de campo. Em Incondicional eu pesquisei muito a doença de Ella e todo o lado psicológico de quem passa pelo câncer e também de quem cuida dos pacientes como médicos e enfermeiros. Sou formada em educação física e fiz uma parte do estágio em recreação na oncologia infantil, depois com laboral, trabalhando diretamente com os médicos, então usei parte da minha vivência para a pesquisa…  Tudo desde filmes, músicas, comida típica, lugares, tudo bem pesquisado em livros, internet e na vivência.

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

Não, procuro fazer o que meu coração manda e a inspiração pede. As vezes a história chega todinha na minha cabeça, apenas escutando uma música, ouvindo uma frase, ou uma notícia na TV…

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não c onseguiu ser publicado?

 Não, desde o primeiro livro que escrevi, tenho tido uma boa aceitação. Até porque eu sou independente, publico meus livros na amazon e os faço em físico. Ano passado a Universo dos livros entrou em contato comigo e entrei para a editora, lançando Sedução irresistível com eles.

  1. Recentemente surgiram vários pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

Acho que se temos um sonho temos que torná-lo realidade. Com a publicação independente, muitas pessoas acham que é só escrever e publicar, mas tem todo um trabalho em cima de um livro pronto. Ele tem que ser lapidado, editado, reestruturado, revisado e então lançado. Não acho que existam histórias ruins, apenas precisam ser lapidadas e polidas, como um diamante bruto. Ele é uma pedra como qualquer outra, mas bem trabalhado fica deslumbrante.

  1. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

Para o autor independente, é quase impossível vender um livro por menos de 35 – 40 reais. Primeiro por falta de dinheiro para fazer uma grande tiragem, o que baratearia os custos. Todo o trabalho de revisão, capa e diagramação sai muito caro, além do preço da impressão na gráfica. Então, conhecendo esse lado do trabalho e seus custos, não acho que o preço esteja elevado, apenas justo pelo preço que se paga para fazer um livro físico hoje, como independente.

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

Harry Potter.  Amo histórias de bruxos e dragões… rs

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria? (nome da musica + cantor)

Love Me Harder  – Ariana Grande e The Weeknd

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

Teve um que me marcou, na adolescencia. Gina da  Maria José Dupré . Acho que ali a sementinha de escritora foi plantada em mim. Rs

  1. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

Ah, sim. Em breve sairá um livro inédito que mexerá muito com as leitoras, que as farão me amar ou me odiar durante a história, amar, odiar e amar o mocinho durante o livro todo. Será um livro polêmico. Pronto, mas sem data de lançamento ainda. E  ainda no mês de Junho lançarei o livro 3 de Caminhos do coração, uma série de contos hot e muito românticos.

Além desses estou escrevendo Amor infinito, a continuação de Indomável que sai ainda esse ano e mais 3 histórias de superação, garra e muito amor .

  1. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

 São opiniões individuais e sem embasamento. Um autor não é uma ilha. Ele precisa de gente em volta, de leitores, críticos e apoiadores. O trabalho dos blogueiros é essencial para todo e qualquer autor. Só que alguns ainda não perceberam ou tiveram algum desentendimento com um ou outro e acabam generalizando.

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

Seria meu pai, com toda certeza.

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

A maior alegria e ver seu livro sendo bem aceito, receber o feedback dos leitores, saber que de alguma maneira conseguimos tocar o outro através de nossas histórias.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

 “Acredite em si mesmo. Acredite em suas ideias, sonhos e lutem para que virem realidade. Você é capaz. Você consegue. Se não acreditarmos em nós mesmos, quem irá acreditar? “

Deseja ser entrevistado por nossa equipe? Clique aqui!

Um comentário

  1. Que bacana essa entrevista, a Kacau arrasa nos livros mas é diva mesmo em sua simpatia e carinho com os leitores. Tive o prazer de convencê-la na Bienal e a mulher é demais.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here