Severa Mácula – Joice Bittencourt

1
1044

No livro “Severa Mácula” a autora brasileira Joice Bittencourt cria um resort em uma ilha paradisíaca para contar muito mais do que o tórrido romance entre Aarão e Isadora. Se valendo do casal protagonista, a escritora remonta a história da fictícia Ilha Kaleo e da trágica família que a possui.

 “A severa mácula forjada pelas escolhas de meus pais jamais deixará a minha pele”

 Quando Isadora, em busca de um recomeço, chega para trabalhar na ilha, o leitor se sente entrando em um episódio do seriado norte-americano “A Ilha da Fantasia” (Fantasy Island, 1978-1984). No livro não temos o famoso anão recepcionando os turistas endinheirados e funcionários, mas é impossível não associar a figura do anfitrião da série, Sr. Roarkee – interpretado pelo autor sexagenário Ricardo Montalbán – ao afável, porém em cada página mais enigmático, Nicholas, gerente e o mais antigo morador da ilha.

O paraíso perdido é muito bem descrito, com o castelo da família Kaleo isolado no topo da ilha e o moderno resort de luxo contrastando com a vila dos funcionários, dando um clima de “Dirty Dancing: Ritmo Quente” (1987) – filme que também brinca com a dinâmica entre funcionários pobres e hospedes ricos. E é exatamente isso que Isadora acredita que está acontecendo com ela quando se depara com o desconhecido Aarão.

 “Uma desconhecida recém chegada em minha vida me fez esquecer o limite entre o querer e o precisar”.

 O enredo do encontro e romance do casal não foge do clichê que poderia facilmente ser resolvido se Isadora perdesse cinco minutos com uma pesquisa na internet sobre seu novo emprego, o que realmente seria recomendável antes de fazer as malas, mesmo que estivesse fugindo de uma ocorrência desagradável. Contudo, a situação clichê funciona bem na trama, afinal, quem nunca fantasiou em encontrar com um deus saído do mar necessitando de cuidados e acabar tendo a melhor noite de sua vida?

As cenas de sexo entre os protagonistas são abundantes, variadas, bem detalhadas e sim, apimentadíssimas, sendo altamente recomendado para leitores que apreciam a literatura erótica. Uma característica diferente é que nos dois primeiros terços de “Severa Mácula” é Aarão quem narra os encontros calorosos, dando uma visão inusitada ao livro, deixando bem interessante. Provavelmente, o único pecado é que os cuidados com o preservativo se esvaem logo após o primeiro encontro e muito antes de Isadora descobrir quem realmente é Aarão.

Sendo cada capítulo intercalado entre as vozes dos personagens principais, a narrativa se torna dinâmica e a leitura rápida. Da maneira que o enredo foi construído, o leitor converte-se a cúmplice dos segredos, assim o foco não recai nos mistérios sobre a família Kaleo e sim quando essas incógnitas serão reveladas e quais serão as consequências. Será que a ensolarada ilha está fadada a testemunhar as tragédias de várias gerações?

 “Quantos segredos estão escondidos em suas paredes? Máculas severas de almas miseráveis. Amores trágicos e vidas perdidas, memórias que jamais serão contadas.

A beleza que esconde a dor…”

 signature

Um comentário

  1. Nossa, senti um clima de mistério ai. O casal principal é muito interessante, mas o que mais me chamou a atenção são os segredos dessa família.

    Parabéns pela resenha

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here