Humildade

1
866
Humildade

A humildade é uma qualidade humana muito admirada. Apreciamo-la mais ainda naqueles que têm muito mais do que nós, ou até mais do que a grande maioria: as pessoas famosas, proeminentes, que se destacam, ricas, bonitas, eficientes no que fazem. Elas têm tudo para não ser humildes, mas são.

O dicionário Michaelis define assim a humildade:

1 Virtude com que manifestamos o sentimento de nossa fraqueza.

2 Qualidade de humilde.

3 Condição de quem é pobre.

4 Demonstração de respeito, de submissão aos superiores.

5 Sentimento de inferioridade.

Não concordo com “sentimento de inferioridade”. Não acho que humildade seja isso – está mais para modéstia. A humildade é uma das Sete Virtudes da Igreja Cristã – assim como temos os Sete Pecados. As Sete Virtudes vêm do poema épico Psychomachia, de Prudêncio, na Idade Média. Cada virtude opõe-se a um pecado. A humildade confronta a vaidade; segundo os conselhos de Eclesiastes, na Bíblia, “é tudo vaidade, e o homem não passa de vaidade”.

Então humildade, ao menos do ponto de vista cristão, que prevalece em nossa sociedade ocidental, é o que mais devemos buscar. Já que “tudo é vaidade”. E é algo que naturalmente chama a atenção. Poucas pessoas gostam de alguém vaidoso e arrogante – talvez apenas as que sejam como ele. Humildade é a característica mais marcante de Jesus Cristo em sua caminhada na terra: ele, o Filho de Deus, se fez carpinteiro, pobre e foi pregado na cruz. Ele levou isso aos seus discípulos, como um dos valores básicos que agradam ao Pai dos Céus. Do lado oriental, o islamismo original defende a ajuda aos pobres e aos necessitados, e a submissão diligente e absoluta diante de Alá, o grande e único deus, como reles homens; as religiões do norte do Oriente, mais voltadas ao misticismo, falam em autoconhecimento, harmonia, união e paz. São formas de humildade. Não querer ser mais do que os outros, não se preocupar em suplantá-los, ser bom para si mesmo e, assim, para os demais. Resignar-se.

A humildade pode ser negativa? Não deve ser confundida com baixa autoestima ou modéstia. A modéstia é ausência de vaidade, mas também sobriedade e moderação. É algo aquém da humildade, muitas vezes prejudicial, é como não dar valor. Temos que ter algum orgulho próprio, alguma vaidade para termos confiança em nós mesmos e nos amarmos. Isso não significará que não seremos humildes. Ah, é tão complicado! Até porque uns podem achar alguém humilde, e outros não. Eu, ou você, podemos nos achar humildes e a maioria não pensar assim.

Mas a humildade é uma qualidade realmente admirável, do ponto de vista da imensa maioria das pessoas. E é algo que pode ser criado, na busca por nos tornarmos pessoas melhores.

Confesse: não é muito fácil achar por aí pessoas realmente humildes. Nossos políticos, as pessoas à nossa volta que querem “puxar nosso tapete”, os invejosos, os prepotentes, avarentos, rancorosos e mentirosos. Tudo o que, provavelmente, todos nós somos, ao menos um pouco. Ser humilde não é ser perfeito, mas a humildade tem que prevalecer ao que a destrói.

Humildade sempre é necessária em algumas circunstâncias, como trabalho, família e diante de Deus (ou do seu deus). Ela nos dá a consciência de nossas limitações e impede que sejamos inconsequentes e maus. Coloca-nos no nosso devido lugar. Instiga a bondade, a cooperação, a igualdade, a justiça, a compaixão. O amor também é humilde.

Para descobrirmos como ser humildes, precisamos nos espelhar naqueles que consideramos assim. Ou que outras pessoas considerem.

É importante ter humildade, mas não ser idiota. Não se deixar pisar – só às vezes isso pode ser indispensável. Humildade é simplicidade. Não precisa ser como Francisco de Assis, que andava mendigando nas ruas, mas ter essa virtude no coração, com tudo o que temos e sonhamos. Reconhecer nossos erros e tentar mudar; ajudar ao próximo, mesmo sem receber nada em troca; não desprezar as pessoas, até porque um dia poderemos precisar delas; não contar vantagem; não ser tão exigente e requintado; não ser ganancioso a ponto de ficar cego e subjugar o que é certo.

Todo mundo gosta de pessoas humildes. Exceto os que não são nada humildes – e, desses, não precisamos.

É difícil descrever o que é humildade, mas a gente sabe reconhecer. E é lindo. É memorável. É afável.

Só os humildes são realmente grandes.

Um comentário

  1. Gostei muito do texto e concordo que é difícil dizer o que é ser humilde, mas que de fato reconhecemos quem é, e que a humildade na verdade deve existir no coração das pessoas. Se eu fosse definir uma pessoa humilde, eu certamente diria que trata-se de uma pessoa empática e humana, que se preocupa verdadeiramente com o próximo e só possui bons sentimentos para com as outras pessoas, eu diria que trata-se de uma pessoa que não possui preconceitos e que deseja o melhor para todos a sua volta. Acredito que ser humilde tem haver com reconhecer seus erros, suas habilidades e principalmente as suas fraquezas, além de estar sempre disposto a melhorar.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here