Foi em maio de 2013…

8
1299

Escrever para mim sempre foi como uma válvula de escape, por eu ser sempre tão tímido não sentia confiança em falar da minha vida – de qualquer área dela – para ninguém, mesmo na alegria ou na tristeza; mesmo nas turbulências e desastres. O que me mantinha integro e sem um mundo inteiro nas costas sempre foram meus cadernos de anotações, eles são meus melhores amigos que me conhecem de corpo e alma – além de Deus.

Agora… Por que estou relatando isso?

Estou rindo agora comigo mesmo galera, é que há exatos quatro anos eu tinha acabado de entrar na faculdade de Administração e me despertaram um interesse incomum – o amoroso. E tímido como sou… adivinhem… corri para meu caderno e relatei sobre, mas a questão é que não foi somente isso, junto do relato acabei escrevendo um poema, que agora relendo esta página de 4 anos atrás – 01/05/2013 – recordo-me claramente daquele dia e fico rindo sozinho aqui porque não deu em nada :). Pobre garoto Estudioso, Recatado e do Lar.

Eis o poema:

“Uma chance”

Te acho demais, sem precisar de muito

Te acho uma graça, mesmo longe do meu mundo

Será que não poderíamos

Nos conhecer um pouco mais?

Nada demais…

Quanto te vejo, é como naqueles filmes…

Um golpe de olhares, coração batendo forte

Sinto-me vivo, feliz, por essa sorte

Então, vamos sair por aí?!

Uma noite dessas, sem pressão

Apenas diversão

Então, veremos se vai

Nós dois dar certo, para algo mais

De apenas papo furado e aperto de mãos

Então, aceitar papear, ou só um aperto de mãos?

Quando te vejo, meu coração acelera

Não tão racional como se espera

Apenas quero ter uma chance com você

Te mostrar minha vida, te conhecer

Meus pensamentos ultimamente são sobre você

São irreversíveis as doses de querer um pouco de você

Então, vamos marcar algo e no perder

Em qualquer lugar, fugir, sorrir

E apenas aproveitar, dar chances ao que vier a rolar

Te vejo e esqueço até de mim

É como um feitiço submetendo-me a ti

Estou lendo Nicholas Sparks,

Um romance assim:

Dois corpos se encontram e se amam

Mas não é tão simples assim

Podemos ser nossos protagonistas aqui

Basta eu criar a coragem e você…

… Você querer…

Mesmo que seja só diversão, mas sendo

Você e eu… é tudo o que importa.

Só quero um pouco de ti

O bastante para sucumbir

Esse meu desejo de ti

Vamos caminhar por aí

Nos divertir e sorrir

Sem nos preocupar

Uma noite dessas,

Só eu e você e ninguém mais

Para atrapalhar o que na noite se faz.

 

Piegas né?! Concordo, pobre garoto inocente. Mas recordar é sempre bom.

Então, se você gostou comenta aí em baixo isso ajuda bastante e deixem também ideias do que querem ver nas próximas postagens :).

Abraços a todos!

Fernando Mello

Para quem quiser me conhecer melhor meus links estão aqui em baixo:

Facebook: https://www.facebook.com/fernando.melo.1696

Linkedin: https://www.linkedin.com/in/fernando-mello-7a7888120/

Skoob: https://www.skoob.com.br/usuario/1117420

Wattpad: https://www.wattpad.com/user/Fernandinhomello

 

8 Comentários

  1. Fernandinho amei! E você ainda diz que o personagem Tiago do seu livro A garota por quem me apaixonei não é você….arammmmm

  2. Que bonitinho. Sabia que você fazia poemas, mas nunca vi nenhum deles…
    Agora vendo esse quero o resto

  3. Obrigado Priscila, você sempre sendo gentil comigo :). Assumo que dá certa vergonha expor esse poema, mas achei tão natural que resolvi escrever sobre.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here