Fernando Luiz C. Junior

0
707
  1. Fale-nos um pouco de você.

Olá, meu nome é Fernando Luiz, tenho 24 anos, solteiro, estudo Letras na UNINOVE e sou viciado em livros e escrita (bom acho que isto esta na cara rsrsrs) Sou apaixonado por filmes e Dinossauros, já sabem qual o filme mais aguardado para 2015. Moro com a minha mãe, irmã e dois sobrinhos lindos que são a minha vida, escrevo todos os dias, pois atualmente estou desempregado, Faço revisões  cobrando barato para autores nacionais iniciantes e divulgo autores no meu site www.literapoint.com que é o meu xodó.

  1. O que vc fazia/faz além de escrever? de onde veio a inspiração para a escrita?

Sempre gostei de escrever, mas nunca pensei em publicar. Se não fossem meus colegas pedindo capítulos não teria criado o meu primeiro livro. Além de escrever eu gosto de ouvir música e desenhar (são horríveis, mas me faz passar o tempo) Adoro assistir series, minhas favoritas são The Walking Dead, Avatar a Lenda de Korra, Supernatural, e Gotham. Elas me ajudam muito na hora de escrever algo caótico ou superpoderoso.

  1. Qual a melhor coisa em escrever?

Depois que você começa não para mais, você esta no ônibus e quer escrever, os personagens discutem na sua cabeça, você enxerga seus personagens nas pessoas no metro. Acredito que todo escritor é meio louco e é bom ser diagnosticado com esta loucura.

  1. Você tem um cantinho especial para escrever?

Infelizmente não, moro de aluguel com a minha família, quando escrevi meu primeiro livro tinha a minha “caverna” Meu quarto onde eu passava horas escrevendo, mas agora na casa nova tive que abdicar do meu cantinho para dar mais espaço para as crianças. Escrevo na cama, na mesa da cozinha em qualquer lugar que tenha uma tomada e fique próximo da geladeira rsrsrss.

  1. Qual seu gênero literário? já tentou passear em outros gêneros?

Escrevo muita Fantasia, o novo gênero Literatura fantástica onde mundos se encontram, Sim e consegui, escrevi uma narrativa de 114 páginas sem poderes ou monstros um romance alá Nicholas Sparks ( Quem dera)

  1. Fale-nos um pouco sobre os livros “Legados – Herança de Sangue” e “Anjo da guarda”

Legados é uma série de 5 titulos cujo somente o primeiro foi publicado até o momento, é a prova que sou fã viciado em Stan-Lee e Marvel, escrever sobre Mutantes e poderes não é fácil, a quem faça comparações, mas Legados é uma narrativa envolvente sobre Poder, Honra e Força, muita intriga, bruxaria e é claro um romance  envolvente.

Anjo da Guarda é a crença da minha família. Quem leu e achou interessante ver a família Morales rezar antes da meia noite no natal, e repetir diversas vezes a palavras Amém, sim esta é a minha família. A narrativa fala de alma gêmea e anjos da guarda, não parece, mas isto tem ligação.  Uma coisa que me fez escrever Anjo da Guarda em 3 meses foi a morte de uma prima minha, pois esta era a minha Beta. Ela leu somente o primeiro capitulo e eu não tive coragem de mudar nada, como falamos para as crianças da família e é o que esta no livro “Anjos são parentes nossos que morrem e voltam para nos proteger” Ela acreditava em anjos, o livro é dedicado a ela, sei que ela gostaria de ter lido toda a narrativa e sei que ela esta nos protegendo.

  1. Onde encontra inspiração para os nomes dos personagens?

Amigos e parentes me dão inspiração para os nomes e para as características dos personagens, meu amigo Diego Silva é o Griph da série Legados (não pessoal, ele não voa kkkk), mas ele tem quase dois metros de altura, esta sempre com a cabeça nas nuvens então lhe dei asas na história.

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?

Para Legados tive que conhecer a vida de Stan-lee e descobrir que ele criou os X-men como uma luta contra o preconceito. Pesquisei sobre Darwin e a teoria da evolução, e descobri que todo ser humano é um mutante, eu acredito nisto, estamos evoluindo sempre.

Para Anjo da Guarda me embrenhei nas igrejas católicas da região, busquei mais sobre os anjos e adorei colocar a praça da Sé e o marco zero com cena final do livro, isto tem tudo haver com a narrativa. Uso muito a internet, mas anjo da guarda foi o único que me fez sair do meu casulo e conhecer a cidade a noite e no dia.

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

Tive muito apoio de Hermes Lourenço e Elaine Velasco, suas obras me ajudaram muito. A frase “ A chave é acreditar” do livro do Hermes, me ajudou muito, mas muito mesmo neste caminho que escolhi. Gosto dos escritos de Eduardo Spohr e sou fascinado por Nicholas Sparks.

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

Sim, o segundo livro da série legados irá demorar um pouco, não por problemas em encontrar uma editora, mas por não conseguir pagar o que cobram, ainda é difícil encontrar uma editora gratuita. Tenho dois livros completos, histórias inéditas no meu notebook, ainda não publiquei por este motivo, prefiro pagar as contas a gastar muito com o livro que é mal divulgado( no caso da série Legados) Eu sozinho não consigo divulgar, se não fosse a Arca e outros parceiros eu dependeria da Editora e ficaria no zero a zero ate hoje.

  1. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?

Sinto uma mudança de 2011 quando iniciei minha carreira, sei que só publiquei em 2013, mas acompanho de perto os autores. Vejo editoras que não publicam Literatura Nacional abrindo selos para poderem investir neste gênero, conheço autores recebendo propostas e isto é um sinal que a ignorância humana esta mudando. Livros estão começando a serem lidos e vendidos, mesmo os jornais e outras mídias tendo como manchetes os internacionais, nossa literatura esta crescendo.

  1. Recentemente surgiram vários pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

Todos querem escrever almejando fama, eu não busco isto, eu busco um sorriso de um leitor feliz em ler o que eu criei. As pessoas escrevem coisas absurdas, sim isto é fato,  as editoras não leem os livros para a provação, encontramos capas lindas e miolos ( interior do livro) grotescos, mal revisados e com diagramações fora de foco. Acredito sim como disse acima que a literatura esta crescendo, mas fico com medo do que pode vir com este crescimento.

  1. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

Eu sei quanto custa um livro na gráfica e encontro dois pontos para estes preços:

Primeiro: Editoras que só vendem em seus sites e cobram caro; Isto é ridículo, tire de seu slogam a frase ajudando a literatura nacional, a única coisa que esta ajudando é o seu bolso.

Segundo: Livros que são vendidos em livrarias e nas editoras; Preço de livro é tabelado, o que muda é valor do frete, livrarias ganham 40%, Editoras ganham 50% e o autor somente 10%. Se na livraria o valor não for alto, todos morrem de fome, é justo este valor, eu pago 45 reais em um livro (desde que seja bom) o que nos pega são o primeiro caso, editoras pequenas, títulos ótimos e preços altos. Querem acompanhar o mercado, mas não valorizam o que mais lhe vai dar sucesso. Os leitores, se eles não compram, para que manter o preço alto?

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

Não vou dizer Tolkien rsrsrs Mas, Tolkien é uma boa ideia dentro de uma cabeça esperta. Se for nacional Raphel Draccon, falo o nome do autor por que todas as ideias foram…. UAU,  sabe você lê e fica dois minutos encarando a capa do livro penando em como esta aquele mundo depois que você concluiu a história srsrs Um dia a minha imaginação chega neste nível.

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria? (nome da musica + cantor)

Já escolhi. Kkkkkk

Legados, toda a série foi escrito regrado ao som dos albuns 19 e 21 da cantora Adele em especial e música Set fire to the rain que acompanha todos os livros.

Anjo da Guarda, tive que trocar o CD se não iria riscar kkkkk Beyonce com Flaws and All e Scared of Lonely.

Agora os outros, tem musica pra burro srsrsrrs

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

Nicholas Sparks – O Melhor de Mim. É um livro o qual eu me identifiquei de corpo e alma com o protagonista Dawson, pois como ele eu já me afastei por amor e já dei o melhor de mim por alguém, quando eu li foi como se eu estivesse morrendo com ele. Ainda pretendo mandar uma carta para o Nicholas e perguntar por que matar Dawson Cole?

  1. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

Sim, projetos finalizados: Inesperado, conta vida de um homem que ao receber um telefonema, descobre que e pai de um rapaz de 17 anos. Muitas brigas, confissões e intrigas entre pai e filho.

A última Explosão. –livro um Salvação e Paraiso : Um mundo onde o sol esta tão quente que as pessoas estão morrendo( o nosso?) E um rapaz  chamado Leon Tosdy consegue um chance de salvar as pessoas levando-as para longe do sistema solar.

Livros em andamento: Recomeçar –  O que você faria se estivesse na frente do assassino do seu filho. Rodrigo Santos pensou em varias coisas, mas a única que conseguiu fazer foi manda-lo embora. (ficou com vontade de saber o que acontece? Outro romance, sem poderes)

Filho das Trevas – este eu estou trabalhando muito, filhos de Deuses Egípcios  correndo contra o tempo para impedir que uma arma criada pela Deusa Isis caia nas mãos de seu cunhado Seth, a única arma capaz de matar um Deus. O Protagonista é filho do Deus Anúbis. Dialogos em egípcio e árabe e muitas lutas, maldições e tempestades de areia.

A última Explosão –livro 2 –As Luas de Gamoha –Continuação de Salvação e paraíso conta a chegada de Leon e os tripulantes da terra em um planeta sem sol

Anjo da Guarda – No céu milhões, na terra poucos, unidos um só. Parece uma continuação, mas é um Spin –off, nunca um personagem foi tão aclamado quanto a anja Andreza do livro Anjo da Guarda, devido pedidos de leitores, estou criando uma narrativa que se passará 30 anos antes dos eventos de Anjo da Guarda.

  1. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

Vejo Blogueiros fazendo criticas absurdas sobre livros maravilhosos, dizendo ser blogueiros só para conseguir livros ( quantos eu enviei em troca de uma resenhas e não ganhei nada), Mas também vejo fieis divulgadores, amigos e fãs que fazem suas criticas boas e ruins mantendo a ética e o respeito.

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

Difícil escolher um só, eu escolheria todos os autores que eu divulgo no Literapoint, pois eu os leio e posto a minha opinião, acharia lindo, isto se reverter.

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

Ser entrevistado pelo Arca Literária rsrsrs

Acredito que ver seu livro receber boas opiniões, ser divulgado, receber ajuda de pessoas que você nem conhece, mas querem ver seu livro pronto. Ceiça você tem uma participação em Anjo da Guarda, você me mandou o link com as igrejas e eles ajudaram e muito, obrigado. Ter este conato, conhecer pessoas, mesmo estando longe, receber um comentário ou um e-mail de alguém de outro Estado falando “olha achei dez” isto é uma das maiores alegrias de ser escrito.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

Ahhhhhhhhhhhhhh acabou, eu ficaria respondendo a noite toda rsrsrs. Obrigado ao Arca por me dar esta oportunidade, quero agradecer aos autores do LiteraPoint em especial Hermes Lourenço e Elaine Velasco, vocês foram os primeiros e estão até hoje, o Litera evoluiu com vocês e eu sou grato. Para uma amiga que virou fã e que irá iniciar a leitura de Anjo da Guarda, Dani Faraday, nos conhecemos no Shopping e você é a mais nova amiga que tenho, muito obrigado pelo seu apoio.

Aos autores nacionais eu vou lhes dar o conselho que recebi quando enviei meu original de Legados para as 7 primeiras editoras.

“Seu primeiro retorno nunca será positivo, pode esperar, pois é difícil aceitarem um nacional”.

Este conselho quem me deu foi Hermes M Lourenço em seu blog A arte de Escrever, me deixou com os pés no chão, eu sempre penso no não antes do sim e isto me ajuda a não sonhar com algo que é possível, mas é difícil, o sucesso. Para que saibam o meu primeiro retorno foi positivo, alias, as 7 editoras aceitaram o original. Lancei pela APED, paguei pouco, parcelado, mas não tenho o auxilio necessário. O Sim, nem sempre é bom, antes de assinar o contrato pesquise sobre a editora, conheça os autores para não se arrepender.

Estou disponível no meu facebook pessoal e na página do LiteraPoint, auxiliando autores e sempre que possível divulgando.

Obrigado.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here