Estilo do Autor X Estilo de Época: As várias faces do Estilo...

Estilo do Autor X Estilo de Época: As várias faces do Estilo Literário

http://asappharmacy.com/wp-content/uploads/2014/05/Medication-Management-Patient-Review-by-ASAP-Pharmacy-Slide-06.jpg/ É sobre isso que iremos conversar:

  • Estilo é uma forma peculiar que o autor tem de usar os mais variados recursos e técnicas linguísticas para escrever o seu texto.

where did you buy cytotec in Detroit Michigan Descrições mais longas e detalhadas, ou ao contrário: marcada pela objetividade e frases curtas; O uso de uma determinada figura de linguagem com frequência; vocabulário mais simples ou mais rebuscado ou ainda uma ambientação com ênfase em detalhes que para muitos outros autores seriam desnecessários- todas essas características podem ser percebidas não só pela critica especializada como pelos leitores e fãs desse autor.

check this É comum alguém se referir ao “Estilo de Machado de Assis” Ou mesmo “Estilo Tolkien” para explicar um texto.

http://barbararogers.com.au/?gimenes=opsione-binaria-che-cosa-e&68b=cb Em Relação à obra de Machado de Assis pode-se destacar a ironia na chamada fase de realismo (ou que os críticos consideram “madura”) ou ainda o Romantismo, em que os críticos identificam com sua fase inicial.

forex öppettider uddevalla Já Tolkien- J R R Tolkien, autor de “Senhor dos Anéis”-era um hábil criador de cenários, a descrição minuciosa e a morte de seus personagens- mortes reais ou falsas, aumentando o impacto em um mundo fantástico e verossímil.

http://tinyiron.net/?serpantin=opcje-binarne-demo-konto&f67=cd G R R Martin inspirou-se em Tolkien e em seu estilo narrativo para criar a aventura “Crônicas de Gelo e Fogo”, que faz sucesso inclusive na versão seriada do canal por assinatura HBO como “Guerra dos Tronos”.

http://www.huskipics.com.au/?kamatoznik=internet-trading-system&f55=7b Leia o que GRR Martin tem a dizer sobre o estilo de Tolkien:

blind dating watch online  “Eu era um estudante universitário quando Tolkien conseguiu seu primeiro grande sucesso comercial. Naquela época, universitários começavam a ler O Senhor dos Anéis e eles logo usavam broches com as palavras “Frodo lives”. Nós também tínhamos pôster no dormitório. O que me impressionava, porém, eram os pôsteres que não eram sobre as capas dos livros ou sobre a imagem de qualquer um dos personagens. Eles eram sobre os mapas da Terra Média, que foi o primeiro ícone de O Senhor dos Anéis, e que mostra a importância do cenário. O Cenário torna-se um personagem na fantasia.”

check my blog E ainda:

http://esperia.com.au/?agryst=best-completely-free-dating-sites-uk&0bf=46 “Tolkien foi meu grande modelo em muito disso. Embora eu difira de Tolkien em importantes formas, eu não sou segundo para ninguém com o meu respeito por ele. Se você olhar em O Senhor dos anéis, começa com um foco apertado e todos os personagens estão juntos. Então, ao final do primeiro livro da sociedade [do anel] se divide e eles têm aventuras diferentes. Eu fiz a mesma coisa. Todo mundo está em Winterfell no início, exceto a Dany, então eles se separaram em grupos e, finalmente, aqueles que se separaram também. A intenção era aventura para fora, em seguida, curvar e voltar juntos. Encontrar o ponto em que começa a virada tem sido um dos assuntos com que eu tenho lutado”.

iq option numero tel Tomando como base esses dois autores, então surge outra pergunta:

click here for info Será que esse jeito de narrar seriam características próprias do autor ou seriam manifestações do estilo de época?

  • Estilo de época ou Escolas literárias: As manifestações artísticas demarcadas nos estilos de época foram produto de um contexto histórico-social dominante.

http://maltonmc.co.uk/wp-content/themes/klasik/images/prettyPhoto/dark_square/sprite.png Assim, o Romantismo (inclusive o período romântico de Machado de Assis) originou-se no contexto político-social da Revolução Francesa.

binäre optionen 30 sekunden Não vou me alongar no aspecto didático das Escolas Literárias. Porém, só a título de curiosidade ou lembrança dos estudos de Literatura do Ensino Médio, os principais estilos literários no Brasil foram:

  • Romantismo, realismo/naturalismo, Simbolismo e Modernismo.

web Enquanto alguns críticos consideram que o modernismo iniciou-se em 1922 com a semana de Arte Moderna e permanece até os dias atuais, muitos críticos consideram que vivemos uma fase chamada Tendências Contemporâneas ou Literaturas contemporâneas:

migliore piattaforma per opzioni binarie 2017 São essas as principais características da Literatura Contemporânea:

Your Domain Name Mistura de tendências estéticas (ecletismo)/União da arte erudita e da arte popular/Prosa histórica, social e urbana/Poesia intimista, visual e marginal/Temas cotidianos e regionalistas/Engajamento social e literatura marginal/Experimentalismo formal/Técnicas inovadoras (recursos gráficos, montagens, colagens, etc.)/Formas reduzidas (minicontos, minicrônicas, etc.)/Intertextualidade e metalinguagem.

Todo autor é um bom leitor e, certamente, possui um vasto repertório literário que, não raro, constitui-se de obras de seus autores preferidos-aqueles autores que se adéquam ao perfil de cada um e possui pontos de vista semelhantes, perante seu contexto político-social.

Ainda que essa identificação passe despercebida, ela existe e é fundamental na formação do novo autor.

Assim,quando um antigo  professor de literatura identificou em meus exercícios literários o estilo de Luis Fernando Veríssimo, ele estava identificado em mim traços de “(…)  Um tom coloquial e elegante. Luís Fernando coloca em suas crônicas personagens que representam a realidade brasileira, usando essas criações como forma de ironizar questões sociais e políticas. Dessa maneira, faz uma crítica velada e carregada de humor”.

Entretanto, há uma diferença crucial entre estilo inspirador e plágio.

Além de o plágio ser a usurpação do direito autoral, ainda constitui crime.

Textos inspirados, porém, podem denunciar o autor que serviu de inspiração, contudo, evidencia também um traço marcante do autor em questão, e que fazem com que o autor tenha aquilo que determinamos como “Um estilo próprio”.

Determinadas características atuais em livros de fantasia, por exemplo, buscam o estilo fantástico de Tolkien influenciado não pela obra literária e sim pela versão cinematográfica da obra. Por serem linguagens diferentes e terem ritmos contrários, muitas vezes um mero detalhe que no filme possa ter passado em poucos segundos de exibição, numa Cena de Ação da Obra Literária original será amplamente explicado e definido, rendendo inúmeros parágrafos ou até capítulos inteiros!

Muitas obras hoje foram contaminadas por uma visão roteirizada do cinema, empobrecendo a descrição de cenários, pecando pela falta de detalhamento de perfis de personagens e mesmo insistindo em certa “objetividade” típica de seriados de televisão que não constituem um estilo literário, porém.

O que essa tendência irá ocasionar na literatura, os críticos de amanhã serão capazes de dizer.

Espero, contudo, que a literatura – especialmente o gênero narrativo Romance-não perca sua essencial característica de transformar a sociedade através da reflexão do leitor e torne-se mais um produto do meio e que, muito menos, venha a se traduzir em nova escola literária.

 Fonte:

http://educacao.globo.com/literatura/assunto/autores/luis-fernando-verissimo.html

http://brasilescola.uol.com.br/literatura/estilos-epoca.htm

https://pt.wikipedia.org/wiki/Estilo_de_Machado_de_Assis

http://tolkienbrasil.com/noticias/diversas/george-r-r-martin-meu-final-refletira-o-senhor-dos-aneis-por-shaun-gunner/

Artigos similares

0 274

0 205

Nenhum comentário

Deixe um comentário