Entrevista com o Autor Leonardo Ottonelli

0
800

 1- Leonardo para nós é um grande prazer entrevistá-lo. Fale-nos um pouco sobre você.

O prazer é todo meu. Gostaria de agradecer pela oportunidade em poder divulgar o meu livro na plataforma de vocês. Para mim, um autor que está lançando seu primeiro trabalho, ter meu livro e nome vinculados a Arca Literária é uma ótima forma de alcançar novos leitores. Bom, eu sou o Leonardo Ottonelli, um ator e cantor que atualmente inclui em seu currículo a função de autor. Amante desde sempre do estilo literário vampiresco. Esse universo sombrio sempre me fascinou, seja através dos livros, ou dos filmes e seriados que acompanho e reverencio há muitos anos. Com o passar do tempo, comecei a criar meus próprios personagens e escrever, rabiscar ideias que foram ganhando muita força e vida própria ate se tornarem um livro.

 2- Qual seu estilo literário?

Meu estilo literário é ficção, mesclado com uma boa dose de terror e suspense.

 3- Qual seu público alvo?

Meu público alvo é o público adolescente. Por isso que meu livro está cheio de ilustrações além de referências a bandas de rock como a Thirty Seconds To Mars e Evanescence, entre outras. Os jovens gostam desse apelo visual, essas linguagens ajudam a me conectar com essa tribo tão exigente e inteligente. Claro que contendo também muito conteúdo. O livro tem uma linguagem clara e objetiva. Uma forma direta para me comunicar com esse público. Um público que cultua esse estilo literário e consome os livros relacionados assim como as grandes produções cinematográficas e os seriados vampirescos. Mas é importante ressaltar que o perfil do meu livro está sendo bem abrangente. Pelo que eu percebi desde que lancei o primeiro volume, O Pingente de Sangue está atingindo leitores de 12 a 80 anos. E isso é sem dúvida uma grande conquista.

4- Quais seus autores e estilos favoritos?

Meus autores favoritos são: Anne Rice de Entrevista Com O Vampiro e Rainha Dos Condenados, assim como L. J. Smith da série Diários de Um Vampiro. Além de Oscar Wilde e George R. R. Martin da série Crônicas de Gelo e Fogo. Meus estilos favoritos são: épicos, terror, suspense, fantasia e ficção.

5- O que te inspira a escrever? Quando sentiu que estava pronto para publicar? Alguém incentivou, como foi esta iniciativa?

O que me inspira a escrever são: os filmes, os livros que eu leio, os seriados que eu assisto, as bandas de rock que costumo ouvir. Eu senti que estava pronto para publicar o livro quando percebi através de inúmeras revisões que a história estava redondinha, todos os capítulos bem desenvolvidos com muita coerência e precisão. Na verdade quando eu percebi que havia escrito uma história bem interessante que tinha potencial, eu fui ate o meu editor e mostrei os rascunhos para ele. Ele adorou a sinopse do livro, e decidiu publicá-lo.

 6- Fale nos um pouco sobre “O Pingente de Sangue”.

 O Pingente de Sangue é um livro de ficção com toques de terror e suspense. A história começa com Bryan, um jovem artista inglês, morador da cidade de Londres que vê sua vida transformada ao aceitar o convite para entrar em uma sociedade secreta. A partir do momento em que ele ingressa nessa sociedade, sua vida muda drasticamente, onde sua humanidade é confrontada com a imortalidade. E questões mais triviais e comuns como pagar o aluguel de seu ateliê, são substituídas por questões como defender a humanidade das forças ocultas do mal.

 7- Leonardo o que mais lhe inspira a escrever?

 O que mais me inspira a escrever são os livros e filmes que eu vejo.

 8- Fale nos sobre o atual momento literário do Brasil. Quais as principais dificuldades que você encontra, hoje, para a publicação de livros?

 Eu acredito que o momento literário atualmente encontra-se em evolução. Desde que ingressei no mercado, tenho observado o quão rico nós somos em autores e obras nacionais. Seja dentro do meu estilo literário como outros. Existe uma demanda muito boa de novos autores. É claro que o espaço é pequeno. E tenho aprendido ao longo dos meses que devemos galgar nosso nome gradativamente através dos eventos de divulgação assim como nas redes sociais virtuais. A internet para essa nova geração de autores, ao qual me orgulho em fazer parte, é uma ferramenta fundamental para atingir meu público alvo que é um consumidor assíduo desse universo digital. A principal dificuldade que encontro atualmente é justamente a concorrência com os grandes Best Sellers e autores internacionais mundialmente reconhecidos. A maioria das editoras vai priorizá-los tanto na parte da publicação como divulgação. Acho que o Brasil ainda é muito influenciado pela literatura estrangeira, mas percebo esse movimento dos novos autores nacionais em que cada vez mais, estamos conquistando mesmo que em proporções menores, nosso espaço no mercado editorial brasileiro.

9- Quais são seus projetos literários? Teremos novidades para 2015? Quais?

 Com certeza em 2015 haverá novidades. Eu estou finalizando a continuação da saga o Pingente de Sangue! Lançarei o segundo volume ainda no primeiro semestre de 2015. Onde os conflitos dos personagens ficarão mais intensos bem como suas histórias.

 10- Quais os maiores problemas encontrados pelo autor na publicação de seu livro?

 Acredito que os maiores problemas que eu encontrei ao tentar publicar o meu livro, são aqueles mais recorrentes entre todos nós autores iniciantes. Encontrar uma editora que acredite em nossa história, que compre nossa ideia e publique seu livro sem querer interferir na concepção ou estrutura da obra.

 11- Dê uma dica para os jovens escritores nacionais que querem ter seus livros publicados.

A dica que eu dou é perseverar sempre. Se você acredita na sua história, acha que suas ideias vão tocar e de alguma forma emocionar o próximo, corra atrás de uma boa editora, uma que esteja disposta a transformar sua obra em realidade. É importante não se iludir. A busca por uma editora na maioria das vezes é um processo lento e o não, é muito recorrente durante essa busca. Por isso devemos sempre perseverar. Por mais difícil que pareça, alguma editora acreditará em nosso livro e comprará nossa ideia. É fundamental distribuir seu material para todas as editoras, não limitar-se aos grandes selos editoriais querendo ser contratado por uma editora famosa. Pode acontecer, mas é mais importante estar atento as oportunidades, do que aos nomes de peso. As dificuldades existirão sempre, é importante estar seguro do seu caminho e principalmente de sua obra. E acima de tudo, amar o que faz. Assim, as coisas fluem naturalmente.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here