Despedida de Solteira: Amande – Mila Wander

3
831

A literatura hot existe há séculos – nem sei dizer quando começou, na verdade. Mas o grande ‘boom’ da literatura hot, pelo menos por aqui no Brasil, foi quando E. L. James lançou ’50 tons de cinza’ e fez milhares de mulheres suspirarem pelo Sr. Grey.

O grande problema do ‘boom’ da literatura hot é que todos os enredos que surgiram partindo desse boom possuem muitos pontos em comum, o que faz com que a maioria das histórias não possuam nenhum conteúdo consistente, além das narrativas de cenas sexuais.

Quando comecei a ler ‘Amande’, achei a leitura arrastada por conta da quantidade de detalhes que a protagonista dá em relação à sua vida e a chatice generalizada que é. Depois entendi que essa narrativa arrastada era proposital; no começo do livro, enquanto a protagonista fala de si mesma de forma tão tediosa, eu só conseguia pensar: ‘Puta merda! Alguma coisa precisa acontecer pra melhorar a vida dessa coitada’. E acontece.

Como eu disse, Amande é tão chata que você vai se surpreender ao descobrir que ela possui amigas e está num relacionamento – tão chato quanto, empurrado com a barriga, inclusive – a 9 anos e – coitado do cara! – de casamento marcado. Mais chocante que isso, é saber que as amigas gostam tanto dela que organizam uma despedida de solteira pra ela – e, acredite se quiser – ela vai.

Do momento em que você descobre que a tal despedida de solteira vai rolar, a leitura flui maravilhosa e deliciosamente bem. Eu nem senti. Li tudo em um dia! Amande é um personagem que progride bastante durante o livro – mesmo que em alguns momentos, você simplesmente queira morrer de tanta raiva dela – e a forma como ela vai superando cada uma de suas crises é muito legal.

E o Caleb? Caleb é aqueles ‘crushes’ que só existem em livros: inteligente, prendado, bonito, sensível, cozinha, faz massagem… e ainda se apaixona perdidamente pela ‘sem graça’ da turma. Enfim, puramente fictício, mas que você vai AMAR conhecer e ficar sonhando com ele por dias. E, diferentemente do Sr. Grey, Caleb não possui um passado traumático nem segredos obscuros e tal. Ele é envolvente, sedutor e incrivelmente sexy sem apelar pro BDSM.

Recomendo fortemente a leitura, apesar de, como eu disse lá no início, você encontrar um padrão comum na literatura hot ‘pós boom’. A leitura é tranquila, leve, não tem rodeios e, apesar de ter um enredo ‘previsível’, você fica torcendo o tempo todo pra que as coisas aconteçam o quanto antes e essa ansiedade – as borboletinhas no estômago acontecem de verdade – é muito gostosinha. Vale a pena!

 signature

3 Comentários

  1. Pela sua resenha para ser um livro bem legal, apesar daquela certa mesmice que os livros hot tem trazido, mas gostei de saber que o caleb não apelar pro BDSM, em geral os livros hot tem trazido muito isso, muito do cara que apenas manda, é cheio de transtornos do passado e a mulher só obedece.

    Parabéns pela resenha.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here