Cristina Pezel

0
708

  1. Fale-nos um pouco de você.

Sou Cristina Pezel, publicitária, casada e tenho três filhos. Gosto de ler ficção e principalmente fantasia. Aprecio muito as obras de C.S. Lewis, Tolkien e George Martin. Também adoro séries como Star Trek, Lost, GOT, The Walking Dead e The Big Bang Theory. 

  1. O que vc fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?

Eu trabalho com informação e produção gráfica e editorial numa organização. Minha mente está sempre ávida por criar coisas. Sempre fui ligada à música e adoro escrever desde criança, mas fiquei um longo tempo sem criar textos. Em 2013 voltei a escrever e isso serviu para uma retomada de algo muito construtivo para mim.

  1. Qual a melhor coisa em escrever?

É poder viver em mundos paralelos que construímos para completar o mundo que achamos ser real. A realidade não nos basta. O escritor vive ansiando essa vivência em outros lugares, situações… e quer compartilhar isso com todos para que cada um tenha sua própria experiência. 

  1. Você tem um cantinho especial para escrever? (envie-nos uma foto)

Qualquer lugar silencioso que tenha um notebook ou tablet e em que eu possa ficar absorta,  sem sofrer interrupções! O ato de escrever é muito intenso e interrupções me deixam um pouco atordoada. Bem, com três filhos pequenos é muito difícil alcançar esse “estado da arte”, mas procuro por isso.

  1. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?

Meu gênero é fantasia, mas escrevo também ficção científica e suspense (apenas contos), além de textos com temáticas infantis e infantojuvenis.

  1. Fale-nos um pouco sobre seu(s) livro(s). Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?

Para O MUNDO DE QUATUORIAN me propus a criar um mundo ficcional com toda a complexidade decorrente – estrutura política, social, personagens, locais… e transformar isso tudo numa estória de fantasia com protagonistas apresentados desde a sua infância até a idade adulta. Os nomes dos personagens e locais sempre têm algum significado (ou revelador, ou sobre suas características) e foram pesquisados com base nas linguagens como o latim, havaiano, indígena etc.

O meu outro livro, o infantojuvenil a ser lançado pela editora Bambolê,  está no forno. Não posso divulgar maiores detalhes agora. Só posso dizer que vai agradar muito a garotada entre 8 e 12 anos! Em breve colocarei mais informações em meu site.

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?

A criação dos locais e personagens de O MUNDO DE QUATUORIAN foi resultado de vários meses de pesquisa em enciclopédias, artigos na internet e fotos de locais inóspitos da Terra. Com isso tentei criar um mundo verossímil composto das terras de Probatus, Caldária, Jucundus e Crystallos. Os vulcões têm um papel relevante na história, mas isso é melhor deixar para o leitor descobrir!

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

Acredito que os mais influentes no estilo de minha narrativa sejam GRRM, Lewis e Tolkien.

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

Eu entrei neste mundo editorial numa época ruim… 2015 e 2016 são anos cruéis para as editoras e também para novos autores, pois ninguém quer se arriscar a investir em nomes desconhecidos. No gênero fantasia, as editoras têm preferido apostar em autores internacionais com “retorno certo”. Espero que em breve o cenário melhore para todos nós e os autores nacionais ganhem seu espaço.

10. Recentemente surgiram vários pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

Acho que o leitor fica com muita dificuldade para separar o joio do trigo e ele precisa garimpar muito para achar autores bons. Por isso os blogs literários tem um papel muito importante. Com relação ao excesso de livros lançados, penso que isso acaba também prejudicando os escritores que pretendem seguir carreira e tem um cunho mais literário, mas isso faz parte do jogo e quem for bom vai ter seu lugar.

11. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

O preço é algo relativo, pois o livro pode custar tanto quanto uma má refeição fast-food que todos pagam sem reclamar. Acho que para os leitores o ideal seria uma queda no valor dos ebooks, mas realmente não sei dos impactos para a venda de livros físicos, embora ultimamente tenha se falado em queda de venda de ebooks.

12. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

Crônicas de Nárnia.

13. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria? (nome da musica + cantor)

Enya, Caribbean Blue.

14. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

São alguns livros. Cito “Crônicas de Nárnia” e “A Menina que Roubava Livros”.

15. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

Estou escrevendo um juvenil/YA de temática urbana mesclada com fantasia… mundos paralelos… e também estruturando uma sequência de O MUNDO DE QUATUORIAN.

16.Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

Sim, e penso que são essenciais para a saúde do mercado literário!

17. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

Se C. S. Lewis fosse vivo e pudesse ler meu livro, adoraria ouvir dele que eu consegui criar um mundo envolvente e pleno como o que ele criou.

18. Qual a maior alegria para um escritor?

Uma coisa muito simples: Ouvir de um leitor uma frase empolgada dizendo que adorou a estória!

19. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

Repito algo que muitos escritores já disseram: Leia sempre e muito, e vários estilos. Depois, escreva muito, exercite sempre. Somente assim se pode almejar tornar-se um escritor.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here