Clarice Pessato

0
888

1. Fale-nos um pouco de você.

Nasci em uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul. No ano de 1981 com 18 anos, cursando o segundo ano de Psicologia, ativa e cheia de sonhos, vi minha vida se transformar quando fui vítima de um acidente automobilístico que me deixou tetraplégica.

Passei a conviver com as limitações físicas que mudaram minha história, porém a superação aconteceu através da fé e eu recebi forças para prosseguir, a cada dia e com cada situação fui aprendendo que as experiências mais dolorosas de nossa vida podem nos mostrar novos caminhos.

2.     O que vc fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?

Sou formada em Letras e escrevo uma coluna para um jornal local. Mesmo gostando muito de ler e escrever não pensava em escrever um livro, especialmente minha biografia. Expor nossa vida não é nada simples, porém, quando eu percebi que a minha experiência de vida poderia ser importante para ajudar outras pessoas, decidi compartilhar minha história.

3.       Qual a melhor coisa em escrever?

É poder transmitir algo que possa edificar a vida de outras pessoas.

4.    Você tem um cantinho especial para escrever? 

 Sim, minha sala onde eu tenho tudo que necessito para escrever.

5.    Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?

 Eu escrevo textos narrativos. Já tentei poesia! Mas acho que qualquer gênero pode ser bom e ajudar no aumento de vocabulário e ativar a imaginação, mas o livro deve ter como premissa transmitir conhecimento de vida. Independente do gênero, a escrita deve acrescentar na vida de quem o lê.

 6.   Fale-nos um pouco sobre seu(s) livro(s). Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?

 O livro que apresento é minha biografia. A alegoria da vida é demonstrada no livro desenhado na capa. A borboleta sem cor e o título do livro nos remetem a algo inacabado, representando a nossa vida sempre em processo de transformação. Nossas escolhas escreverão cada capítulo. Especialmente as escolhas feitas no penúltimo capítulo, pois elas decidirão o capítulo eterno com Deus.

 O título do meu livro ‘O Penúltimo Capítulo’ surge quando eu entendi que o último capítulo da nossa história não é escrito por nós. A nossa história não acaba no ponto final de um livro  porque o verdadeiro e eterno capítulo de nossa vida é escrito por Deus.

Nossas escolhas no penúltimo capítulo de nossa vida decidirão o capítulo eterno!

https://www.youtube.com/watch?v=wSUS9FZ8OGs

 7.    Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?

Como publiquei somente um livro e é minha biografia a pesquisa que fiz foi para a maneira de apresentar minha história lendo outros livros biográficos e fiz pesquisas na internet.

 8.    Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

Posso mencionar Joni Eareckson Tada e Nick Vujicik, pois são pessoas que me inspiram, não só pelo que escrevem, mas pelo seu testemunho de vida diário.

 9.    Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

Eu tive dificuldade, houve resistência. Não apenas por meu livro ser uma autobiografia, mas também porque a minha história fica sem sentido para aqueles que valorizam só o que é “perfeito” para este mundo. Assim, abrangendo um público mais reduzido, o retorno financeiro que, geralmente é o que mais importa para as editoras, é menor.

Mas a fidelidade de Deus vai além da sabedoria humana e o que parece de pouco valor para alguns se torna precioso e de grande valor para outros. O livro está sendo bem aceito pelo público em geral e superando as expectativas.

 10.   O que você acha do novo cenário da literatura nacional?

R: A literatura nacional evoluiu bastante, mas os interesses em lucro rápido estão superando o investimento na formação de bons escritores.

 11.  Recentemente surgiram vários pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

Como hoje qualquer pessoa pode escrever um livro e publicar encontramos alguns bons livros e muitos livros de pouca qualidade. Repito o que escrevi acima, é necessário que haja investimento na formação do escritor.  

 12.  Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

R: Os preços baixos só podem ser praticados pelas grandes editoras que tem tiragens de muitos exemplares e as pequenas editoras não tem como concorrer, nem baixar os custos das pequenas tiragens.                         .

13.   Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

O Peregrino – John Bunyan

 14.   Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria? (nome da musica + cantor)

 “Quando te encontro” (autor Kleber Lucas). Esta música me levou a refletir e a despertar sobre a importância de deixar a superficialidade e buscar uma vida mais profunda com Deus.

https://www.youtube.com/watch?v=CH6lRTkrPIc

 15.  Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

 Já li muitos livros bons e que marcaram minha vida, mas não posso deixar de mencionar o livro pelo qual eu tenho um carinho maior, pois ele mudou a minha história de vida para melhor: a Bíblia.

 16.   Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

Muitas pessoas tem feito essa pergunta e incentivado para tal. A maioria está sugerindo que eu desenvolva alguns assuntos como a dependência, a inclusão e a vida de fé. Eu já estou começando a fazer algumas anotações.

 17.   Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

 Os blogs literários são canais de auxílio indispensável, pois, além de servirem como divulgadores são excelentes espaços de discussão e análise dos trabalhos de todos os escritores. Acessados por um grande público, exercem um papel importante na formação de novos leitores e tornam-se instrumentos de grande efeito para alcançar o público-alvo de cada obra.

 18.  Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

 Eu gostaria que todos lessem meu livro, não tenho ninguém especial.

 19.   Qual a maior alegria para um escritor?

A alegria acontece quando eu recebo muitos emails e telefonemas de pessoas que testemunham que foram abençoadas com a leitura do livro. Mesmo com outras situações há uma identificação com a minha história.

20.  Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

  Publicar um livro exige muita dedicação e perseverança. Então, faça o máximo possível sozinho, procure todas as informações que puder, porque o socorro esperado pode não acontecer. Você poderá encontrar mais obstáculos do que ajuda. Tenha tudo escrito antes de procurar uma editora que possa se interessar pelo seu livro.

As decepções acontecerão, por isso não desanime. O que eu posso dizer, pela minha experiência, é que os impedimentos serão esquecidos. Pois a alegria que sinto, quando recebo o testemunho das pessoas que têm sido abençoadas com a leitura do meu livro, compensa qualquer dificuldade que tenha acontecido.

 Aos leitores digo que o meu desejo é que a leitura desse livro possa abençoar e edificar a vida de todos. Graça a Deus e a glória somente a Ele.

 Agradeço ao Arca Literária pela oportunidade de divulgar meu trabalho.

Divulgue aqui também! Clique aqui e saiba como! 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here