Chaiene Barbosa

0
794
  1. Fale-nos um pouco de você.

Sou dentista na cidade serrana de Nova Friburgo no Estado do Rio de Janeiro. Sou casado e tenho duas filhas. Gosto muito de ler e comecei a escrever em 2012. Escrevi um livro chamado Os Filhos do Tempo e em seguida, mais dois livros completando a Trilogia. O livro 2 se chama A Origem da Vida e o livro 3, A Batalha dos Deuses. Depois escrevi O Bisturi de Ouro, Palavras Perdidas de Um Anjo, Poesias e Poemas – Amar, Curtir & Compartilhar e outros livros de Contos. Já assinei contrato com 3 editoras . Também em 2015 a equipe da plataforma internacional canadense de publicação Wattpad que possui mais de 40 milhões de leitores me convidou para seu seleto grupo de livros em destaque. A obra escolhida foi Os Filhos do Tempo 1 e este é agora o livro mais lido em ficção científica na língua portuguesa no site com mais de 310.000 leituras. Estou caminhando para alcançar 2000 seguidores no Wattpad. Segue o link.

https://www.wattpad.com/stories/science-fiction/featured

  1. O que vc fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?

Sempre me dediquei a minha profissão na Odontologia. Cuido de minha família, meus cachorros e gosto de tocar violão e de ouvir músicas. A inspiração para escrever veio após muitas conversas com meus irmãos e meus amigos. Conforme expunha minhas ideias senti necessidade de escrevê-las para partilhar com os leitores.

  1. Qual a melhor coisa em escrever?

Acho que o melhor em escrever está no arrepio que se sente quando a obra está pronta. A vontade incessante de construir os personagens, o cenário e os conflitos é o combustível do autor e ele não se cansa do que mais gosta na vida – Escrever…

  1. Você tem um cantinho especial para escrever? 

Tem uma salinha na minha casa onde relaxo, sento com umas boas xícaras de café e mando brasa nas leituras e escritas.

  1. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?

Gosto de escrever ficção científica, no entanto gosto de outros gêneros literários. Escrevi um romance com um ar de mistério. A poesia me fascina porque aflora o sentimento e estou escrevendo um livro de fantasia. Como em todas as profissões o autor acaba por se especializar em um gênero literário. Eu, particularmente, sou movido por ideias e escrevo usando-as como combustível, independentemente do gênero literário.

  1. Fale-nos um pouco sobre seus livros. Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?

A inspiração é fruto do momento que você vive. Acrescente muitos sentimentos, leituras para aprimorar o conteúdo, pesquisas e revisões para manter a verossimilidade e você terá a receita para uma boa história. Gosto de colocar o título logo no começo da história. Isso me faz pensar e escrever orientado pelo tema mantendo um caminho para o meu conflito. Posso até mudar o nome do título e dos personagens, mas gosto de ter um mapa para saber para onde estou indo. Acho que esta analogia da escrita com um mapa tem tudo a ver, porque sem planejamento fica difícil saber para onde ir.

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?

Pesquiso tudo sobre a ideia. Desde a ortografia, geografia dos cenários, capas, outras obras, opiniões e converso com as pessoas sobre os assuntos dos livros que estou escrevendo. As informações, ideias e opiniões são sempre bem vindas. Gosto de ver as resenhas dos blogueiros e leitores, que expõem onde os livros podem melhorar. Uso betareaders e revisores para mostrar-me onde devo aprimorar.

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

Sim. Os autores têm estilos diversos e ler as obras deles nos ajuda a entender melhor sobre as suas técnicas de redação, uso de metáforas e criação de conflitos, cenários e personagens. Gosto de Dan Brown, Fiodór Dostoievsky e Stephen King entre muitos outros.

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

Sim. É difícil publicar livros por uma boa editora. Gostaria de encontrar um bom editor para aprimorar o universo dos meus livros. A experiência dos editores para melhorar as obras e atingir o mercado é sempre importante na carreira de um escritor. São laços que podem abrir as portas para o sucesso literário.

  1. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?

Estou gostando bastante da valorização da literatura nacional pelas editoras e das oportunidades que estão se abrindo para os autores nacionais. A proximidade do autor nacional com o leitor podendo participar de eventos e feiras e a interatividade proporcionada pelas redes sociais, mostram as editoras que valorizar a nossa literatura é um caminho interessante para elas aproximarem os livros do seu público alvo. Assim podemos unir as editoras com o investimento na produção dos livros, os autores com suas ideias e os leitores, estes os principais motivos da existência das obras, para formarem uma grande força no desenvolvimento cultural do país.

  1. Recentemente surgiram vários pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

Acho que a liberdade criativa é boa para a literatura. Caberá aos leitores fazer uma seleção da qualidade das obras.

  1. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

O mercado é regido pela lei da oferta e da procura. Creio que deve haver liberdade na formação dos preços regida pelo mercado. No entanto devem ser desenvolvidas políticas de fomento à leitura que possam ajudar no acesso dos cidadãos aos livros, principalmente, dos jovens que formam a base da estrutura cultural e são o futuro. Isso é de interesse nacional. Precisamos de educação e cultura para melhorar a sociedade como um todo.

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

A saga de Harry Potter.

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria? 

Dominik Hauser – Trilha sonora Sci-fi – fantasy

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

Gosto do Dan Brown – Código da Vinci

  1. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

Sim. O livro de Fantasia The Phanton Man – O Homem Fantasma. É um livro sobre magia que começa na idade média e continua no futuro em nossa época com a perseguição de um jovem (Philip) por um bruxo poderoso e perverso (Klaus). Quero também escrever O Bisturi de Ouro livro 2.

  1. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

Acho bacana que todos sejam livres para expor suas ideias sempre respeitando os direitos dos outros.

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

Luis Fernando Veríssimo

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

Ter seus livros lidos e reconhecidos pelo público leitor.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

Para os leitores: Leiam muito porque o conhecimento é maior tesouro de nossa época. Boa Leitura!

Para os escritores: O caminho é maravilhoso e o sentimento de ver a obra pronta, por si só, já torna todo o trabalho satisfatório. Aproveitem as redes sociais para divulgação. Se hoje é difícil atrair as editoras e os leitores, antes era muito mais, sem e-mails, PCs, mobiles e a Web. Busquem as oportunidades das plataformas de publicação para mostrar a sua obra, os contatos que podem fazer no Facebook, Twitter, Linkedin, etc. Procurem o público alvo, as feiras e os eventos. Fujam das armadilhas das publicações fáceis ou pagas. Não se esqueçam de que os livros mais famosos foram rejeitados várias vezes pelas editoras e, se o seu for rejeitado, haverá uma boa oportunidade esperando por você. Basta ser perseverante. Seja feliz escrevendo porque depois que você começa, dificilmente, será feliz de outro jeito. Boa Escrita!

Obrigado ao blog Arca Literária pela oportunidade de mostrar minhas ideias e por continuar a trilhar este caminho de divulgação da literatura nacional.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here