Fernando Mello

8 381

Máscaras cobrem nossos rostos com sorrisos e falsos sentimentos.

Servem para disfarçar a impuridade humana.

São essenciais para quem tem mau caráter.

No final de contas máscaras são usadas para esconder o verdadeiro Eu de cada um de nós.

É tão humilhante essa situação e sensação de necessidade de ter de pôr uma máscara no rosto para fingir que você está bem, assim como é extremamente ridículo usar máscaras para enganar as pessoas criando expectativas falsas nelas e as destruindo só para conseguir algo através delas.

Sim, máscaras são usadas de todas as formas. Algumas vezes para esconder o que se sente, outras vezes para esconder quem você realmente é e usualmente para mostrar uma imagem integra para sociedade.

Porque sem elas, todos nós estaríamos nus, vivendo infelizes, não é verdade?!

O quê?! Você discorda?

É sério?

Então me diga onde estou mentindo, cite-me, comente, Justifique.

Quem nunca usou ou usa mascaras que me atire uma pedra após ler isso.

O ponto é que estou farto disso em mim. Estou farto de enxergar isso ao meu redor. Estou farto de ter de conviver numa sociedade mascarada, onde é fácil atingir os outros sem ser realmente visto. Onde é fácil fingir ser alguém, sentir coisas que nem é capaz de sentir, mas por questões de querer alcançar objetivos acaba por usar isso passando por cima de pessoas, manipulando situações.

Também estou farto de não mostrar o que sinto, com medo de ser reprimido ou taxado de dramático ou inocente.

Estou cansando de usar minhas máscaras só para dizer que estou inteiro!

Notícia para todos: Ninguém é inteiro, somos apenas sobreviventes tentando mascarar alguma coisa errada em nossas vidas.

Vamos aprender a deixar de usar sorrisos falsos, sentimentos falsos e sermos REAIS.

Mostrar quem realmente somos sem medo de ser feliz.

22 716

Quem me conhece hoje e não sabe do meu passado não conhece bem minha relação inicial com a escrita. E quem me conhece há tempos sabe como isso foi essencial para eu está erguido hoje.

Pois bem, vou dizer a vocês como tudo isso começou…

Soa bem clichê assumir isso, mas tive uma infância e adolescência conturbada, e como eu driblava isso?

Resposta: Escrevendo. Tirando tudo de dentro de mim e expressando em palavras, em cadernos que eu fazia como anotações diárias – que tenho até hoje e faço isso até hoje, mas com menos frequência.

Embora eu já tivesse o hábito de escrever resumos de filmes de terror que eu gostava ou criar sequencias para tais por querer muito que o filme não terminasse sua história por ali, quando vi que também seria uma solução para tirar uma parte da minha alma do fundo do poço, não pensei duas vezes antes de usar esta arte como uma válvula de escape. Um lítio próprio.

O que antigamente um caderno durava seis meses para acabar todas as folhas, hoje em dia ainda tenho um que comecei em 2012 e que não está nem na metade.

O motivo?

O que anos atrás expressava apenas tristezas, mazelas, e dores, hoje em dia, tendo superado boa parte desses traumas e convivendo somente com cicatrizes, expresso alegrias e vitórias, além de desenhos. Sim também desenho, e através desta outra arte é que venço o tédio ou ansiedade, pois envolve tantos detalhes e paciência que o cérebro fica preso ao trabalho de deixar os traços perfeitos, desligando-se do resto do mundo.

 Imagem 001

Criar história para mim foi como viver em outros mundos, dá voz àquelas histórias que vemos acontecer que, no entanto, não vemos ser divulgadas para o mundo, sendo elas triste, alegres ou de superação. Gosto de dar voz ao que me traz um sentido emocional.

Posso dizer que a arte da escrita me salvou, claro além de Deus que me proporcionou esse dom. E sou grato por ser abençoado com isso e espero que outras pessoas sejam salvas com essa arte.

E foi assim que começou.

Não guardem as dores de vocês por medo de expressar para pessoas ou por não confiar nelas, expressem-se de alguma forma, exponham de alguma maneira para que isso não lhes consumam. A pior coisa da vida é ficar em total silêncio quando se precisa desabafar.

Expressem-se!

Libertem-se!

8 581

Quando se está bagunçado por dentro, meio a sentimentos incertos, oscilações emocionais, falta de consistência emocional, isso reflete no seu exterior.

Já reparou que quando se está nessa bagunça interna, você perde interesse em organizar sua vida pessoal, além de refletir até na organização do seu lar, do seu trabalho. Você automaticamente se desleixa, pois não vê motivo para manter ordem nas coisas uma vez que você mesmo não está em ordem.

Vários são os fatores que ocasionam isso, que vai desde uma decepção amorosa à profissional; uma perda simbólica que mexe com todo seu ser; a desmotivação que destrói seu ego; entre vários outros fatores.

A chave é saber identificar isso antes que evolua para algo pior, a depressão. É importante remediar este estado psicológico que só trará danos a você, aprenda a administrar o seu Eu e a observar as coisas ao seu redor, notando o que há de diferente e que não estar sendo resolvido por você.

Exemplo: Antônio está passando por um momento de estresse e desmotivação, pois além de terminar a faculdade, perdeu uma oportunidade de trabalho em sua área logo não conseguindo sua ascensão profissional que lhe ajudaria na suas metas pessoais. Isso o perturbar constantemente, pelo fato de fazê-lo sentir-se inútil, não ver mais sentido em continuar se esforçando a conseguir algo, e logo cai num estado de “tanto faz”, refletindo em um todo ao seu redor. Seu rendimento cai, sua organização pessoal perde rumo, seus interesses e metas de vida começam ser descartados. Se Antônio não procurar um plano de contingência isso acabará ganhando força e deixando-o no fundo do poço.

Não se deixe cair nessa bagunça!

8 549

Escrever para mim sempre foi como uma válvula de escape, por eu ser sempre tão tímido não sentia confiança em falar da minha vida – de qualquer área dela – para ninguém, mesmo na alegria ou na tristeza; mesmo nas turbulências e desastres. O que me mantinha integro e sem um mundo inteiro nas costas sempre foram meus cadernos de anotações, eles são meus melhores amigos que me conhecem de corpo e alma – além de Deus.

Agora… Por que estou relatando isso?

Estou rindo agora comigo mesmo galera, é que há exatos quatro anos eu tinha acabado de entrar na faculdade de Administração e me despertaram um interesse incomum – o amoroso. E tímido como sou… adivinhem… corri para meu caderno e relatei sobre, mas a questão é que não foi somente isso, junto do relato acabei escrevendo um poema, que agora relendo esta página de 4 anos atrás – 01/05/2013 – recordo-me claramente daquele dia e fico rindo sozinho aqui porque não deu em nada :). Pobre garoto Estudioso, Recatado e do Lar.

Eis o poema:

“Uma chance”

Te acho demais, sem precisar de muito

Te acho uma graça, mesmo longe do meu mundo

Será que não poderíamos

Nos conhecer um pouco mais?

Nada demais…

Quanto te vejo, é como naqueles filmes…

Um golpe de olhares, coração batendo forte

Sinto-me vivo, feliz, por essa sorte

Então, vamos sair por aí?!

Uma noite dessas, sem pressão

Apenas diversão

Então, veremos se vai

Nós dois dar certo, para algo mais

De apenas papo furado e aperto de mãos

Então, aceitar papear, ou só um aperto de mãos?

Quando te vejo, meu coração acelera

Não tão racional como se espera

Apenas quero ter uma chance com você

Te mostrar minha vida, te conhecer

Meus pensamentos ultimamente são sobre você

São irreversíveis as doses de querer um pouco de você

Então, vamos marcar algo e no perder

Em qualquer lugar, fugir, sorrir

E apenas aproveitar, dar chances ao que vier a rolar

Te vejo e esqueço até de mim

É como um feitiço submetendo-me a ti

Estou lendo Nicholas Sparks,

Um romance assim:

Dois corpos se encontram e se amam

Mas não é tão simples assim

Podemos ser nossos protagonistas aqui

Basta eu criar a coragem e você…

… Você querer…

Mesmo que seja só diversão, mas sendo

Você e eu… é tudo o que importa.

Só quero um pouco de ti

O bastante para sucumbir

Esse meu desejo de ti

Vamos caminhar por aí

Nos divertir e sorrir

Sem nos preocupar

Uma noite dessas,

Só eu e você e ninguém mais

Para atrapalhar o que na noite se faz.

 

Piegas né?! Concordo, pobre garoto inocente. Mas recordar é sempre bom.

Então, se você gostou comenta aí em baixo isso ajuda bastante e deixem também ideias do que querem ver nas próximas postagens :).

Abraços a todos!

Fernando Mello

Para quem quiser me conhecer melhor meus links estão aqui em baixo:

Facebook: https://www.facebook.com/fernando.melo.1696

Linkedin: https://www.linkedin.com/in/fernando-mello-7a7888120/

Skoob: https://www.skoob.com.br/usuario/1117420

Wattpad: https://www.wattpad.com/user/Fernandinhomello

 

11 762

Ultimamente ando deparando-me com momentos nostálgicos e alguns gatilhos emocionais – não ruins – que me fazem lembrar coisas que foram boas e na minha vida e que não voltará mais.

Pois é, é uma pena tudo o que já foi bom na vida não poder voltar.

Momentos… Coisas únicas que devem ser vividas naquele específico instante de maneira ávida antes que acabe e se torne apenas uma lembrança, uma futura nostalgia.

Esses momentos não se referem apenas a questões de coisas que foram boas, mas também de tempos em que não era preciso me preocupar muito com a vida e o futuro, de quando meu único dever era estudar, assistir desenho animado e brincar com meus amigos sem preocupações de como seria o amanhã e pelo quê deveria batalhar – responsabilidades que pudessem afetar o emocional.

Era tudo tão simples… Era tudo tão fácil…

Do que sinto falta?

alone-1868530_960_720

Sinto falta de quando tudo era bem mais interativo pessoa com pessoa, quando não havia internet e as brincadeiras eram bem mais criativas.

Quem nunca brincou de adedonha, pião, sete pecados, carimã ou queima, entre outros, mesmo sendo adulto? !

Sinto falta de estar junto com meus pais e tê-los por perto.

Quem não gosta de sentir o calor da proteção fraterna?!

Sinto falta de quando minha preocupação era eu conferir meus desenhos animados favoritos e filmes que passavam na TV na década de 1990. Eram os melhores para mim.

Tanto pelo o que ter falta e nada pelo o que ter de volta…

Daí, de repente, você se torna adulto e essas coisas passam e a vida muda, o mundo se transforma em outro tipo de atmosfera, modificando o seu mundo interno e tudo o que se pode fazer é seguir em frente aceitando suas atuais condições e lutando para que não caia em desgraça.

Sinto falta do mundo que eu conhecia em que as pessoas eram menos frias e cegas.

Do mundo em que ninguém sentia a necessidade de usar meios de comunicação como arma para ferir as pessoas. De quando tudo era menos violento e as pessoas não pareciam robôs.

E você… do que você sente falta?

Comenta aí!

0 366

Hoje irei falar sobre a importância de blogs como forma de divulgação para autores e editoras.

O primeiro blog foi criado pelo americano Justin Hall na década de 1994 sob o endereço de www.links.net.

Blogs são páginas da web que possuem conteúdo administrado por pessoas ou empresas e contendo vários temas com texto, imagem, vídeo, gráficos etc.

Podem ser considerados como bibliotecas em formato digital contendo o conteúdo, a experiência e visão dos influenciadores. É visível a situação que diferenciam micromídias de blogs. Como assim? Simples, nas micromídias as ideias são somente e raramente algo mais profundo se é mostrado já nos blogs são desenvolvidas e aprofundadas.

Embora haja um crescimento dos microblogs[1] e outras mídias sociais os blogs continuarão a se desenvolver, pelo fato de a divulgação de conteúdo sempre se expandir. Assim como, novas formas de divulgação já surgem a cada dia mais com o desenvolvimento do marketing digital, ampliando horizontes de quem divulga e de quem é divulgado.

Os principais meios de comunicação utilizados são a televisão e o rádio, apesar expansão da internet.

É notável que livros e a leitura ficam praticamente sem nenhum espaço na TV e em rádios. Ficam relegados a entrevistas esporádicas com escritores, a morte de algum escritor e eventos literários de grande porte como as bienais, e poucos programas de TV em canais abertos que são voltados para essa ala, um deles é o Papo Literário da TV Ceará.

E nesse cenário que surge a importância de Blogs Literários na internet sendo por meio de textos ou vídeos produzidos por leitores e amantes dos livros e até por autores, que servem como o principal meio de divulgação de escritores, resenhas, promoções e discussão sobre os livros.

Para os que querem manter um Blog em pleno funcionamento, é uma tarefa arduamente difícil, pois na maioria das vezes é fruto de trabalhos solitários, onde poucos conseguem algum apoio ou patrocínio, tendo de manter atualizações e muitas vezes arcar com dinheiro do próprio bolso para poder manter um domínio na network.

É graças as divulgações de blogs que autores nacionais conseguem ter seus trabalhos divulgados, assim como editoras terem suas marcas sendo mostradas ao público.

Alguns Blogs Literários, por causa de dificuldades de manter conteúdo, acabaram por ver os seus blogs como um meio de trabalhado para gerar receita, assim, cobrando por serviços de divulgação. Algumas pessoas enxergam como capitalismo, porém, se repararem bem, é um trabalho que merece seu devido valor, por todas as dificuldades que passam na maioria das vezes sem receber nada em troca, nem um feedback de quem está sendo divulgado, mesmo que incentivando as pessoas a descobrirem o prazer da leitura, prestando um serviço de valor inestimável para a cultura e educação.

 

Referências:

http://www.agenciasawi.com.br/blog/a_importancia_dos_blogs/

http://mrnews.com.br/2017/01/22/a-importancia-dos-blogs-para-literatura/

[1] Microblog é uma forma de blog, onde os usuários postam mensagens muito curtas para visualização por meio de uma rede de pessoas. O uso de um blog é considerado “micro” quando permite a inserção de textos de até 200 caracteres ou menos. Fonte: https://www.justaskgemalto.com/br/o-que-e-microblog/

 

10 1264

Esta semana o serviço de Streaming Netflix – uma de minhas paixões na terra – disponibilizou em seu catálogo de séries sua nova produção Original “13 Reasons Why”, e claro que eu não poderia deixar de conferir e dizer que… Está demais!!!

A série é baseada no livro “13 Reasons Why” mais conhecido no Brasil como “Os 13 Porquês” lançado pela Ática Editora, do autor Jay Ashe, onde tem como um dos narradores Clay Jensen, um rapaz que encontra na porta de sua casa uma encomenda endereçada a ele. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. Ao ouvir as gravações se dá conta de que foram feitas por Hannah Baker, uma garota que se suicidou semanas antes. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram ao suicídio. E Clay é um desses motivos e precisa descobrir como contribuiu nessa tragédia.

Aparentemente você pensa que será só mais uma série de que trata de dramas adolescentes, onde se encontra inseguranças, romances passageiros, personagens feitos para agradar a ala jovem, e o suicídio sendo usado como tema principal, algo para se chamar atenção… Porém, é muito mais que isso. O Suicídio ali serviu como âncora para pincelar muitos outros assuntos profundos – que pode até parecer algo irrelevante, mas que na sua essência pode ser catastrófico para algumas pessoas que não saibam lidar com certos assuntos – tais como o bullying, depressão, estupro, a auto aceitação, entre outros.

A série mantém o clima do livro e chega a ser melhor – minha opinião –, porque tiveram a preocupação deixar bem mais profundo os dramas internos que a história propõe, exploraram bem mais o contexto, além das boas atuações, não tem muitas reviravoltas, o que achei bacana, pois proporcionou mais tempo para o desenvolvimento dos personagens sem quebrar o ritmo deles. Pode até ser compara com outras tais como The O.C e Gossip Girl, mas tem uma essência singular.

Ela é produzida pela Cantora e Atriz Selena Gomez que comprara os direitos do livro e no elenco principal Dylan Minnette, interpretando “Clay”(e se você achar que o conhece de algum lugar, o mesmo ator interpretou o personagem “Alex” no filme “O homem nas trevas”) e a estreante Katherine Langford como “Hannah Baker”.

É divida em 13 episódios e está sendo um sucesso.

Vale a pena conferir.

0 483

Quem nunca se embriagou com um livro que tivera uma história tão intensa e que ao termino se sentisse sem chão? Ou então incapaz de sair do mundo da obra lida incapacitando que iniciasse outra leitura? Ou até mesmo ler um livro tão ruim que te deixasse com receio de ler outros?

Ela chega e te abraça como um urso e parece não querer largar tão cedo, isso ocorre sempre quando se ler livros com tramas que nos encantam, nos faz apaixonar pelos personagens, pelo contexto, por nos deixar marcados de alguma maneira.

Geralmente essa ressaca causa desinteresse para iniciar outra leitura, uma espécie de bloqueio de leitor. Sabe aquele luto que se tem quando se perde algo?! É praticamente a mesma sensação, onde se tem posteriormente: o impacto inicia, a negação, a raiva, aceitação e por fim o seguir em frente e embarcar em outra história.

Agora, como lidar com isso?

Quando a ressaca ocorrer procure descansar a mente até que que ela esteja completamente relaxada e pronta para lidar com outras histórias – aberta a novos horizontes literários. Após isso procure, com base na ressaca, equilibrar o seu emocional e sua mente, pois conseguindo manter controle sobre a ressaca, provavelmente na próxima vez ela não se manifeste tão forte evitando que lhe cause desinteresse na próxima leitura.

Procure ler calmamente dando espaço para que você absorva cada capítulo de forma equilibrada nas emoções preparando-se já para o fim, evitando a mesma sensação que na ressaca passada.

Se a sua ressaca for por causa de ter lido algum livro ruim ou vários em sequência, não perca o interesse e procure por livros que estão com maior grau de aprovação de temas que você gosta de ler e tente recomeçar sua rotina de leitura, nunca perca a esperança em encontrar livros bons para ler.

Existe um clico para a ressaca tanto para livros bons como para ruins:

 

Quando é bom:

 

  1. Início de um novo livro
  1. Se apaixonando pela trama e tudo o que há nele
  1. Amando, chorando, expectativa
  1. Termino

 

Quando é ruim:

 

  1. Início da leitura
  1. Tentando se prender a história
  1. Tentando não desistir confiando que pode melhorar
  1. Ódio por não ter sido bom
  1. Pegando outro livro para ler com a esperança que seja bom

Fonte do ciclo: Tirada da imagens do google

 

1 258

Hoje resolvi falar sobre uma das coisas que curto bastante nas minhas horas vagas: Séries de TV.

Quem aí nunca ficou viciado(a) numa série que mexesse com todo seu ser e fazendo com que se identificasse com algum personagem ou com o enredo da trama?!

Abaixo listo as cinco séries que considero favoritas para mim e que indico – e foi bastante difícil mensura, pois são dezenas que considero favoritas e que quero que todos vejam.

 

Número 5:

Buffy a caça vampiros

 

     Série criada por Joss Whedon, que foi aclamada pela crítica sendo considerada uma série cult. Estreou em 1997, no papel principal como Buffy a belíssima Sarah Michelle Gellar.

No contexto Buffy Summers torna-se a mais nova caçadora da linhagem, situação essa que é provocada após a morte da antecessora. Seu dever é combater vampiros, demônios e seres das trevas. Cada caçadora é coordenada e treinada por um instrutor que no caso de Buffy é Giles interpretado pelo ator Anthony Stewart Head, além de seus amigos que se unem para ajuda-la em sua jornada.

 

Sinopse:

     Buffy Anne Summers descobriu, quando ainda era uma adolescente, que não era uma menina comum. Buffy é uma das escolhidas para lutar contra o mal, forte e corajosa que tem um destino a cumprir: proteger o mundo de monstros. Assim, depois de ser treinada por seu Guardião, Giles, ela vai alternar sua vida entre matar vampiros e demônios e curtir sua vida em Sunnydale, uma cidade que abriga a Boca do Inferno, de onde saem os piores seres possíveis. Buffy conta ainda com a ajuda de seus amigos Xander e Willow.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Buffy_the_Vampire_Slayer

 

A série originou o Spin-off “Angel” – personagem que era um vampiro e era par romântico de Buffy

Rendeu 7 temporadas sendo finalizada em 2003.

 

Número 4:

How to get away with murder

(Como se livrar de um assassinato)

 

Estrou em setembro de 2014 pela ABC e criada por Peter Nowalk e tendo como produtora executiva Shonda Rhimes. Estrelada pela talentosíssima Viola Davis

 

Sinopse:

 

A série se desenvolve ao redor da vida pessoal e profissional de Annalise Keating, uma advogada de defesa criminal proeminente. Também professora de direito na Universidade de Middleton, na Filadélfia, Annalise seleciona cinco de seus melhores alunos para trabalharem com ela em seu escritório: Wes Gibbins, Connor Walsh, Michaela Pratt, Laurel Castillo e Asher Millstone. Em sua vida pessoal, Annalise vive com seu marido Sam Keating, um renomado psicólogo, mas também vive um relacionamento às escondidas com Nate Lahey, um detetive de polícia. Quando sua vida pessoal e profissional começa a entrar em colapso, Annalise e seus alunos se veem envolvidos, involuntariamente, em uma trama de assassinatos.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/How_to_Get_Away_with_Murder

 

Atualmente a série está na sua terceira temporada e já foi renovada para a quarta.

 

Número 3:

Game of Thrones

autopcioni binarie com  

Criada por David Benioff e D. B. Weiss,  é baseada na série de livros As Crônicas de Gelo e Fogo, escrita pelo gênio George R. R. Martin.

Essa eu considero uma obra prima que não canso de rever todas as temporadas.

 

Enredo:

 

A série de televisão segue as múltiplas histórias dos livros de A Song of Ice and Fire. Se passando nos Sete Reinos de Westeros, onde “verões duram décadas e os invernos uma vida inteira”, Game of Thrones mostra as violentas lutas dinásticas entre as famílias nobres para ter o controle do Trono de Ferro de Westeros. Enquanto isso, nas regiões desconhecidas ao norte da Muralha e nos continentes ao leste, ameaças adicionais começam a surgir.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Game_of_Thrones

 

Contém um elenco extraordinário que interpretam personagens marcantes durante toda a trama, com belas atuações convincentes.

Atualmente têm 6 temporadas com a sétima prevista para estreia em julho deste ano e com a oitava já aprovada para ser a última.

 

Número 2:

Tadalafil försäljning Demolidor

testimonianza opzioni binarie  

É criada para a Netflix por Drew Goddard que baseia-se no personagem de mesmo nome da Marvel e tem como estrela no papel principal  Charlie Cox como Matt Murdock. É a primeira de quatro séries que levarão quatro heróis a se juntarem numa minissérie denominada Os Defensores, onde as outras três são: Jessica Jones, Punho de Ferro e Luke Cage.

 

Sinopse:

 

Advogado durante o dia, Matt Murdock usa à noite seus sentidos aguçados, adquiridos em um acidente na infância que lhe deixou cego, para combater o crime nas ruas de Hell’s Kitchen, bairro onde cresceu em Nova York. A primeira temporada vê Wilson Fisk travando uma guerra de gangues com os russos e procura ascender seu poder político. Mesmo sem recursos, Murdock e seus aliados devem expor a verdadeira identidade de Fisk e derrotá-lo. Na segunda temporada, Murdock continua a equilibrar a vida como advogado e vigilante, enquanto cruza caminhos com Frank Castle, um vigilante com métodos muito mais mortais, assim como o retorno de sua ex-namorada – Elektra Natchios.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Daredevil_(webs%C3%A9rie)

 

Estreou em abril de 2015 na Netflix e está com duas temporadas.

 

Número 1:

كيف يمكن كسب المال Revenge

     Foi criada por Mike Kelley e estrelada por Madeleine Stowe e Emily VanCamp.

 

Sinopse:

 

Quando Amanda Clarke era criança seu pai foi preso sob a acusação falsa e injusta de terrorismo, sendo julgado e condenado à prisão, onde acabou sendo assassinado. Após alguns anos, Amanda – usando o nome Emily Thorne – volta aos Hamptons para se vingar das pessoas que destruíram sua família e causaram a morte de seu pai. Amanda sente que teve a vida destruída por essas pessoas que armaram contra seu pai, fazendo com que ela passasse sua infância no reformatório, uma detenção juvenil. Quando completou 18 anos, ela foi solta, mudou sua identidade e recebeu a herança de seu pai, além de uma caixa contendo detalhes sobre as pessoas que arruinaram a vida deles. Seu principal alvo é Victoria Grayson, matriarca da família Grayson, que amou e traiu seu pai.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Revenge_(s%C3%A9rie_de_TV)

 

Estreou em 2011 sendo finalizada na sua quarta temporada em 2015, é minha série favorita entre todas até que venha surgir outra melhor ainda.

É uma série que sempre revejo do começo ao fim sem pular episódios.

 

Quem me conhece também sabe que gosto de várias outras como: The walking dear, Arrow, The black list, Reing, The following, The vampire diaries, The originals, Sleep Hollow, The 100, Scream, The O.C, Dexter, Under the dome, Lost, Heroes, How a meet your mother, Teen Wolf, Pretty little liars, Prison Break, e assim vai quase que infinitamente…

 

0 405

 

De quem se distanciar?

 

De tudo aquilo que ti oprime, que lhe faz ficar na zona de desconforto, que põem em risco seu bem físico, mental e social; tudo o que pode ser descartável ou de papel, pessoas indesejáveis, lugares indesejáveis, situações indesejáveis.

 

Quem evitar?

 

A lista está na sua cabeça

Defina bem todos que você deve manter na geladeira.

 

O que evitar?

 

Pensamentos depressivos, desistência, opressão, baixo autoestima, fraqueza, soberba, autodestruição, orgulho, medo de lutar, tristeza sem motivo, autoconfiança demais, arrogância, ansiedade, palavrões, diálogos vazios, impaciência.

 

 

Para onde ir quando a onda de destruição vem?

 

Para um local ao que te transmita paz, ou conversar com quem te transmita confiança e conforto, mas nunca se trancar internamente. O que tiver de ruim dentro de ti tem de sair.

 

O que pôr na cabeça quando tudo parecer embaraçoso e difícil demais para suportar?

 

Deus. Fé. Procurar enxergar a beleza que há na vida, embora tudo se mostre cair na sua frente, mesmo que todos os obstáculos surjam diante de você.

 

Ao que se apegar?

 

A tudo e todos que querem ti ver bem, que ti amem, que eu ame, que você admire, e que ti admire. Ao que lhe edifica e a quem você edifica.

 

Em quem confiar?

 

Somente, unicamente em Deus e Jesus.

 

Quem amar?

 

Nesta Terra primeiramente a você.

Posteriormente ainda você.

E quando se sentir confiante permitir-se amar as pessoas ao seu redor.

 

O que fazer na presença de obstáculo?

 

Vencê-los sem deixar de ser humilde.

 

Onde pôr pessoas que deve evitar?

 

Não excluí-las, apenas deixá-las isoladas de você mesmo que perto. Não deixar de torcer pelo bem delas, ou pelo sucesso. Desejar sempre o bem.

 

Como lidar com pessoas que estão em último plano?

 

Não interagindo totalmente, com o tempo essas pessoas verão que você não precisa ter vínculo com elas.

 

Onde encontrar a força?

 

Na fé, na vida, na luta diária, no desejo das coisas que quero conquistar no futuro, na segurança das suas escolhas.

 

0 247

Hoje o assunto abordado será algo que várias pessoas do ramo do bloguer, autores, resenhista, acadêmicos, compositores, etc., já foram vitimas: O Plágio.

Como autor e resenhista ponho uma enorme pressão em criar algo 100% original do qual eu não venha a ter problemas futuros, procurando sempre averiguar assuntos que eu venha a abordar ou pontos de vista, para ver se não tem algo igual pela rede ou já existente em outros meios de comunicação, é o mínimo que posso fazer sendo um profissional da área.

Agora: o que é Plágio?

Segundo disponibilizado no site Wikipedia na fonte https://pt.wikipedia.org/wiki/Pl%C3%A1gio): “O  binary options hedge forex plágio (diz-se também  opcje binarne zyski plagiarismo ou  opzioni binarie chi e affidabile plagiato) é o ato de assinar ou apresentar uma obra intelectual de qualquer natureza (textomúsica, obra pictóricafotografia, obra audiovisual, etc) contendo partes de uma obra que pertença a outra pessoa sem colocar os créditos para o autor original. No ato de plágio, o plagiador apropria-se indevidamente da obra intelectual de outra pessoa, assumindo a autoria.”

E para complementar, segundo o Dicionário Aurélio, plagiar é “Assinar ou apresentar como seu (obra artística ou científica de outrem).”

É um roubo de ideia original do criador, em que tal autor é lesado pelo plagiador que toma para si sua ideia e todo seu ponto de vista, sendo desde uma obra literária a cientifica, artística, ou obra intelectual, ou seja, uma copia não autorizada que é considerado crime federal previsto no código Penal Brasileiro, lei 9610 de 19 de fevereiro de 1998.

É um ato de má conduta e falta de ética, além de falta de criatividade.

Na Lei de Direito Autoral n. 9.610, de 1998, art. 108. Diz que: “Quem, na utilização, por qualquer modalidade, de obra intelectual, deixar de indicar ou de anunciar, como tal, o nome, pseudônimo ou sinal convencional do autor e do intérprete, além de responder por danos morais, está obrigado a divulgar-lhes a identidade da seguinte forma: I – tratando-se de empresa de radiodifusão, no mesmo horário em que tiver ocorrido a infração, por três dias consecutivos; II – tratando-se de publicação gráfica ou fonográfica, mediante inclusão de errata nos exemplares ainda não distribuídos, sem prejuízo de comunicação, com destaque, por três vezes consecutivas em jornal de grande circulação, dos domicílios do autor, do intérprete e do editor ou produtor; III – tratando-se de outra forma de utilização, por intermédio da imprensa, na forma a que se refere o inciso anterior”.

Irei abordar abaixo alguns meios de plágios:

O plágio de obra literária consiste em quando uma obra com autoria é copiada sem autorização por uma terceira pessoa mal intencionada visando beneficio próprio usufruindo da ideia do real autor, omitindo os créditos dele, geralmente ocorre mais em plataformas digitais onde autores expõem seus textos originais, muitas vezes ainda não registrados na BN – o que é muito importante de se fazer para ter em mãos o documento que comprova sua real autoria sobre a obra.

O plágio artístico ocorre quando alguma música, letra ou melodia, ou obras artísticas, desde fotos a pinturas, sejam copiados por terceiros também sem autorização.

O plágio acadêmico é mais comum, ainda numa geração imediatista que quer resultados rápidos e coisas fáceis, o que acaba por fazer esses formandos, optar pelo plágio de teses no ato de desespero para conseguir concluir o curso, exemplo disso foi o caso do secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, João Grancho, que se demitiu em 2014, após ser descoberto um caso de plágio praticado pelo próprio em 2007. Este tipo de ato acaba por causar a cassação do diploma do plagiador além de ter que arcar com a justiça.

No artigo disponível no link ( binära optioner demo www.puc-rio.br/sobrepuc/admin/vrac/plagio.html) é ressaltado que segundo o professor Lécio Ramos, citado por Garschagen (2006), existem, pelo menos, três tipos de plágio:

trade hour options Integral, onde a cópia de um trabalho inteiro, sem citar a fonte.

Purchase maxalt cod cash delivery Parcial, onde a ‘colagem’ resultante da seleção de parágrafos ou frases de um ou diversos autores, sem menção às obras.

trade4 me Conceitual, onde a utilização da essência da obra do autor expressa de forma distinta da original.

Esse tipo de crime também ocorre no meio dos blogs em que Resenhistas sem originalidade, ou que tenham pressa em mostrar serviço acabam por copiarem alguma resenha já pronta – e antes postada e assinada por outro resenhista – assinando como autoria própria, ou seja, alegando ser o seu ponto de vista, sendo que não consegue nem sequer conseguir expressar a perspectiva do que leu.

Para quem tiver duvidas sobre o assunto ou querer saber mais sobre direito autoral aconselho a pesquisar sobre a lei 1910 no Google, ou acesse o link http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9610.htm, onde a lei se encontra detalhada.

 

 

Fontes:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9610.htm

https://www.publico.pt/2014/10/17/politica/noticia/secretario-de-estado-demitese-apos-noticia-do-publico-sobre-plagio-1673296

 

 

 

1 501

Criar um muro na frente de nossos sentimentos nem sempre é a melhor forma de se esquivar de sofrimentos prováveis e nem de dores inevitáveis.

Deixar-se calar, ou não deixar que ninguém alcance você além desse muro, é deixar-se à parte das pessoas ao seu redor, criando uma bolha de “mantenham distância em qualquer circunstância”.

Não seja radical a tal ponto, assim como também não é preciso abrir-se de modo amplo. Saiba medir as coisas dentro de você para que não acabe afogando-se em sua introspecção.

Aprenda a medir sentimentos que precisa compartilha, sorrisos que são necessários soltar. Deixe essa parede à altura do pescoço de vez em quando para que possam ver seu rosto e admirar a beleza que existe dentro de você – nas profundezas de seus olhos.

Aprender a deixar sentir as coisas e deixar que outros apreciem um pouco de você é essencial para que não se prenda a uma vida solitária.

Sinta a vida.

Sinta a sintonia ao seu redor e deixe-se equalizar-se aos outros.

7 775

Desmotivação é um sentimento pesado que abala nossos sonhos, certezas e foco.

É um tipo de sentimento pessimista qu

e deixa as pessoas cabisbaixas, sem querer interagir com as outras ao seu redor, vendo problemas em tudo o que não há problema. Cansando-se da rotina. Saturando-se de tudo. E isso tudo trata-se da desmotivação abraçando-te e consumindo-te

tons 1
Fonte: Google imagens

Não deixe isso causar desanimo ou frustração em você

É um sentimento que desestrutura seus ideais e te destrói aos poucos. Causando frustrações e conflitos que se elevam ao nível exterior, logo provocando desconforto com quem está ao seu redor.

Sentir-se desmotivado(a) é deixar de acreditar no próprio querer; perder a fé na prosperidade e afundar-se num oceano de “tanto faz agora”.

Conseguir driblar isso é difícil, porém não impossível.

Existem x variáveis que acarretam isso tanto no âmbito pessoal, familiar, como no profissional. Embora sejamos nós que temos que nos mantermos motivados, sempre deixamos as coisas externas derrubarem esta ideia, e invadir nossa mente com negatividade.

Nosso corpo reage a esse sentimento, você fica desanimado, seu corpo fica pesado, a dor de cabeça surge constantemente, você não sente ânimo de seguir em frente.

tons 2
Fonte: Google Imagens

Reverter esse quadro é essencial para que não te destrua e logo quem está a sua volta, porque uma pessoa infeliz gera infelicidade, assim como uma pessoa feliz esbanja a felicidade por onde passa.

Então prefere se sentir sempre em estado de derrota e em constipação?

Acredito que não.

Sugiro que reaja!

Aprenda a lutar pelo o que seu coração tanto deseja, passando por cima dos obstáculos de forma prudente. Não deixe a peteca cair perante uma queda.

Deixe fluir a positividade, e sonhe e procure realizar aquilo que tanto quer para sua vida, logo deixando a motivação sempre a altura de seus olhos e sua vida uma felicidade constante!

14 1538

Antes expor meu ponto de vista darei uma leve introdução.

     A saga opzioni binarie tobin tax 50 tons de cinza é bem conhecida no mundo inteiro pelo seu enredo sexual. Seu sucesso se dar pelo marketing bem feito para promover a história, e por também se tratar de uma “adaptação” de uma fanfiction baseada em “ forexpros eur chf Crepúsculo” que fez muito sucesso na internet sob o título de Master of the Universee onde continha personagens diferentes e que logo a autora foi contata com a proposta de fazer uma releitura de sua fanfiction para transformar no que é hoje a trilogia 50 tons de cinza.

tons 1
Fonte: imagens Google

     O primeiro livro da trilogia – opcje binarne porady 50 tons de cinza – foi adaptado para os cinemas com a direção da Sam Taylor-Johnson, e nos papeis de Ana e Christian: Dakota Johnson e Jamie Dornan. E foi lançado em fevereiro de 2015 fazendo um enorme sucesso com o público internacional e nacional apesar das críticas variadas e polêmicas durante sua exibição.

     Este mês, a tão aguardada sequência – http://www.akcor.com.tr/?spayki=%D8%A7%D9%84%D8%AE%D9%8A%D8%A7%D8%B1%D8%A7%D8%AA-%D8%A7%D9%84%D8%AB%D9%86%D8%A7%D8%A6%D9%8A%D8%A9-%D8%A7%D9%84%D8%A8%D8%B1%D9%85%D8%AC%D9%8A%D8%A7%D8%AA-%D9%88%D8%B3%D9%8A%D8%B7&2aa=3a الخيارات الثنائية البرمجيات وسيط 50 tons mais escuros – chega aos cinemas numa grande expectativa tanto para o público como para as partes interessadas no faturamento, prevendo um sucesso maior que o seu antecessor.

tons 2
Fonte: imagens Google

     Neste segundo longa o marketing está sendo feito em cima de provocações misteriosas do tipo como “ binary signals app se entregue a algo um tom mais escuro” ou “ strategia perfetta opzioni binarie experimente algo fora do comum”, causando fervor nas fãs. Chega aos cinemas dia 9 de fevereiro.

     Estou aproveitando esta âncora para falar sobre a trilogia literária e minha opinião sobre ela.

     O primeiro volume 50 tons de cinza, nos mostra a jovem Anastasia Steele – 21 anos, insegura, e nunca teve um namorado, recém-formada em literatura – tendo seu primeiro interesse amoroso, que é Christian Grey, o rico empresário intimidador que chama sua atenção e que ao passar da história e o entrosamento entre ambos o leitor vai se deparando com cenas de sexo explícito com linguagem chula, e ao mesmo tempo com uma relação amorosa peculiar, onde envolve o BDSM[i].

     Minha opinião sobre a trilogia é a seguinte:

     Não é apenas sexo!

     No fundo existe uma trama – mal estruturada, mal escrita e mal desenvolvida – boa, mas existe.

     Gostei dos livros porque existem dois personagens extremamente opostos e que juntos se edificam.

     Como assim, Fernando?!

     Anastasia Steele é uma mulher que recentemente chegou a sua fase adulta, acaba de se formar e tem de lidar com uma vida desconhecida por ela. Insegura, nunca teve relacionamentos sexuais com caras, apaixonada pela literatura e amante de livros de autores como Jane Austen e Thomas Hardy, é frágil por não ter experiências em sua vida. Quando ela conhece Christian tudo isso acaba por mudar, porque tudo ali é novidade para ela: a relação sexual, a atração por um homem, a paixão e seus sentimentos até então desconhecidos pela própria. Então Ana se depara numa situação em que tem de se virar para saber como lidar com tudo isso, e ao passar de sua relação incialmente abusiva com Christian, ela vai ganhando confiança nela mesma – o que é importante para uma pessoa – e começando a entender de que no seu interno existe voz e que tem o poder de aceitar o que quer e como quer; de não se deixar ser 100% submissa.

tons 3
Fonte: imagens Google

     Já o Christian é um personagem que tem uma personalidade peculiar e isso é o que chama atenção, pois o leitor nas primeiras impressões o ver como um “louco” ou “monstro”, porém esta é a imagem que ele quer passar – não sei se a autora sabia o que estava fazendo quando construiu o personagem, se sim ou se não, deu certo nessa questão. Ele tem tudo para ser o cara dos sonhos de todas as mulheres: é bonito, bem-sucedido, fundador de uma empresa, quase nos trinta, dono de uma imensa fortuna e uma personalidade reservada. Sim, tudo isso é atraente, porém são superficialidades.

     O Grey tem uma alma em vários tons mais escuros, ele é um homem destruído por dentro por causa de seus traumas de infância, onde desde cedo vivenciou a crueldade humana quando teve de ficar preso com o corpo de sua mãe morta apodrecendo, logo causando um estado catatônico nele que foi adotado por um casal rico e que aos poucos foi saindo de sua bolha pessoal, porém cheio de marcas psicológicas. E como forma de superação foi lhe mostrado o poder da dominação, que no livro é mostrado como doença em vários trechos pelo próprio personagem, como se ele fosse um doente por gostar dessas coisas. De um lado acho compreensível já que não foi algo que surgiu naturalmente de seu instinto, ele apenas aderiu de maneira compulsória, como forma de “tratamento”.

     Então quando ele conhece a Ana – existe todo um motivo por detrás de sua paixão por ela, que só quem ler sabe, e não darei esse spoiler – e sabe o que sente por ela, mas não entende o motivo, e de início não quer aceitar para não ser “vulnerável” porque a fraqueza pode trazer quedas, no caso dele internas(e numa posição em que se encontra tendo já “superado” tudo e ser um homem forte), Christian não quer isso para ele, mas não funciona bem assim. Quanto mais a conhece mais ele aprende a reviver, deixando-se viver melhor, fazendo-o ver que a vida tem mais cores e tons do que o cinza nublado que é sua vida interior. Que ele pode amar, se libertar, deixar-se ser feliz de verdade; a conseguir se completar e ser inteiro.

     A parte do BDSM, eu vi como uma rota de fuga do Grey de fugir de tudo o que o atormenta e a “violência” praticada ali é como uma alusão ao desabafo de toda a dor que ele sente.

     Então durante a evolução do enredo de 50 tons de cinza até chegar ao final de 50 tons de liberdade, você ver a evolução da Ana passando de uma garota frágil e insegura a uma grande mulher forte, decidida, tendo sua vida pessoal e profissional em controle, assim como o Christian que passar a imagem de um homem “imbatível” começar a mostrar suas fragilidades, deixando-se mostrar por debaixo de sua armadura, mostrando-se aos poucos, deixando-se sentir sentimentos nunca antes sentidos e vendo o sentindo de sua vida – a vitalidade. Por isso digo que é uma edificação dual.

     Insisto em dizer: não é apenas sexo, tem todo um processo de evolução interna nos personagens.

     Só é uma pena a autora não ter escrito de forma melhor, evitando excessos e cenas descartáveis.

     Sinceramente vejo uma grande problemática nessa indústria literária que só visa lucrar em cima sem se importar com a qualidade, acredito que se a editora que trabalhou em cima da obra quando ainda era um rascunho tivesse tido mais carinho com a história teria direcionado a E L James para uma escrita melhor.

     Mas no todo, eu gosto da história, só o último livro – 50 tons de liberdade – que deixou a desejar para mim, porque pelo título eu esperava mais coisa, mais emoções internas, diferente do primeiro que me prendeu bastante. O segundo achei razoável.

     A nova edição de 50 tons mais escuros vem com fotos e comentários da autora. E para quem gosta de livro com capa de filme – assim como eu – é uma boa oportunidade.

     Sinceramente espero gostar do segundo filme assim como gostei do primeiro.

tons 4

     Então é isso, próxima semana volto para mais.

     Não se esqueçam de deixar seus comentários que serão sempre bem-vindos.

     Abraços e até a próxima!

[i] BDSM é um acrónimo para a expressão “Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo” um grupo de padrões de comportamento sexual humano Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/BDSM

1 301

Nota: O texto abaixo foi feito a partir da livre expressão do autor através do seu ponto de vista.

A leitura é fonte de cultura independente do autor e do gênero e do tempo, claro que existem obras menos proveitosas assim como existem as mais ricas, mas isso são detalhes. Cada pessoa tem sua própria preferência e seu próprio ponto de vista sobre o que considera proveitoso ou não.

A literatura não é singular ela é plural, pois não se fecha a uma só coisa; ela se expande. O que há de singular na literatura são algumas obras, geralmente clássicos, por sua estrutura textual, personagens impares e contexto bem definidos.

Hot, sobrenatural, medieval, policial, romance, terror, suspense, biografia, etc., são gêneros literários que contém suas específicas obras que podem ser consideradas de cults a famosos clichês, isso dependendo de quem ler.

Vejo muitos homens, sofrendo preconceito por ler livros que são considerados voltados para a ala feminina tais como Trilogia 50 tons de cinza, trilogia A seleção, obras da Silvia Day, Saga Crepúsculo, Clarice Lispector, entre vários outros. Por serem obras “femininas” na maioria sendo narrado por uma personagem feminina e acabam sendo visto como livros somente para mulheres, pois existe a questão do sentimentalismo, a expressão do amor, abordagens internas, como se homens também não sentissem e vivenciassem tais situações ou tenham tais sentimentos.

Algo interessante é que a ala feminina não sofre tanto com isso quando leem livros de ação ou aventura, o que deixa bem claro que o próprio machismo também afetam os homens de forma negativa.

Também existe o preconceito literário quando se trata de livros “modinha”, visto como livros fúteis sendo desqualificados pelos os amantes dos clássicos ou cults, assim como existe para os de autores atuais desconhecidos por não terem muitas referências e pouca visibilidade no cenário da literatura e logo suas obras são condenadas à falta de interesse dos leitores.

No meu ponto de vista a literatura está passando por uma reforma atualmente, e claro que é bom que apareçam novos autores e novas obras, que a literatura vá se expandindo e se reinventando, renovando-se e óbvio que terão autores ruins assim como bons e obras ruins assim como terão as de sucesso. Mas todos merecem espaço, os ruins para conseguirem melhorar e os bons para atingirem ainda mais sucesso.

Pois bem, a leitura de um livro e não define o que você é, ele te capacita a ter um bom vocabulário, criar opinião bem formulada, a escrever bem e se expressão bem. Apreciar qualquer livro de qualquer autor(a) é direito de todos.

Não existe essa de obras feitas exclusivamente para o sexo masculino e o feminino, toda a literatura é aberta para todos os sexos.

A leitura deve ser incentivada sempre, ao invés de ser um mundo fechado apenas para intelectuais, os horizontes devem ser explorados e compreendidos, e as opiniões devem ser para melhorar o sistema literário ao invés de polarizá-lo.

Seja contra todas as formas de preconceito.

Então é isso, próxima semana volto para mais.

Não se esqueçam de deixar seus comentários que serão sempre bem-vindos.

Abraços e até a próxima!

4 678

Já parou para pensar que você é o(a) capitão(ã) da sua história e dono(a) do seu próprio destino?!

É verdade!

É você quem escreve sua própria história: o roteiro da sua vida é determinado por você. Começo, desenvolvimento e fim.

liga

Uma de suas dádivas é poder criar e escolher o seu destino final, e esse “destino final” não é preso a somente um sonho, mas em vários.

Pode escolher ter um futuro brilhante e conseguir, ter uma família grande, viajar o mundo todo, ter um romance que considere épico, entres várias outras coisas.

Cada realização sua tem seu alcance, mas não é porque alcançou que irá acabar sua vida por aí, pois, esse é o destino final de uma de suas metas.

Nunca caia na zona de conforto após realizar o que tanto deseja e achar que já atingiu o que queria e por ali mesmo parar e conviver apenas com isso, porque zona de conforto é inércia, falta de produtividade.

Você escreve sua história! E quando finalizar um ciclo aproveite-o bem e conviva com ele, porém, nunca deixe de iniciar outro ciclo, pois a vida tem vários caminhos bons a seguir até se concluir o final.

E quando é que chega a conclusão final da minha história?

Não se prenda a isso, viva intensamente sua vida e tudo aquilo que almeja alcançar, e sempre trace novas metas e tenha novos sonhos. Terá momentos em que você perderá o rumo – problemas –, mas terá horas em que conseguirá se encontrar novamente no meio do caminho certo, nas descrições do seu próprio enredo.

Você escolhe o tema da sua história e o desenvolver dela, e pode viajar por vários outros temas, pois ninguém é obrigado(a) a fica preso(a) num único mundo literário.

liga

Idealize um romance para você e o estruture, vivencie a aventura, ponha ação, desfrute dos momentos hot, viva o desenvolver da sua trama embora possa existir algum drama, e pode acreditar que terá, e no fim você conseguirá ter sua ascensão e ser feliz tornando sua autobiografia algo peculiar.

A sua vida é seu manuscrito. Lancei-o para que o mundo o veja e deixe sua marca eternizar durante os séculos.

Então é isso, próxima semana volto para mais.

Não se esqueçam de deixar seus comentários que serão sempre bem-vindos.

Abraços e até a próxima!

 

 

6 415

Literatura atual(contemporânea) trata-se de obras do final do século 20 até a primeira metade do século 21, trazendo consigo novos métodos de escrita e inovação entre os gêneros literários  onde muitas de suas caraterísticas relacionam-se com o movimento modernista.

     A literatura atual do movimento modernista tem como exemplos alguns autores bem conhecidos como: Monteiro Lobato, Augusto dos Anjos, Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Alcântara Machado, Manuel Bandeira,  Carlos D. de Andrade, Cecília Meireles, Vinicius de Morais, Rachel de Queiroz, Jorge de Lima, José Lins do Rego, Clarice Lispector, Guimarães Rosa, Olavo Bilac, Mário Quintana, Jorge Amado, Érico Veríssimo, entre outros.

     Porém, do meio da década de 2000 até o presente momento vem surgindo uma leva de obras que são feitas para consumo rápido, onde editoras visam mais o lucro que possa atingir pela obra do que enriquecimento cultural. É claro que as pessoas iram preferir histórias mais fáceis de ler com temas de fácil entendimento e contextos lúdicos e muitas vezes surreais, onde na maioria das vezes segue servindo apenas como um meio de entretenimento. Por tal impaciência dos jovens e de boa parte das pessoas, inexperiência e distrações, livros atuais são mais atrativos.

     Porém muita dessa literatura atual – nessa década – as pessoas deparam-se e se focam na literatura internacional, onde é nítido o cenário americano ganhar mais força do que o nacional.

     Os leitores de hoje em dia preferem obras de autores mais recentes e internacionais, ou de nacionais que seguem uma linguagem mais americanizada – onde se tem nomes, cenários como ambiente geral da trama e cultura tudo internacional.

     Literatura Clássica: Retrata contextos históricos importantes, a escrita é impar, a estrutura textual onde diálogos são tratados com aspas ao invés de travessões, conseguem descrever com bastante precisão sentimentos humanos, a trama se conecta com o leitor, geralmente até ajudando a entender certas coisas de nossas vidas. Os parágrafos contém harmonia e são bem estruturados. Ela uma viagem de reflexões internas e externas.

     Em duas das citações sobre clássicos Italo Calvino diz que:

     “7. Os clássicos são aqueles livros que chegam até nós trazendo consigo as marcas das leituras que precederam a nossa e atrás de si os traços que deixaram na cultura ou nas culturas que atravessaram (ou mais simplesmente na linguagem ou nos costumes).” (Por que ler clássicos – página 11 – Italo Calvino – 1991)

     “14. É clássico aquilo que persiste como rumor mesmo onde predomina a atualidade mais incompatível.” (Por que ler clássicos – página 15 – Italo Calvino – 1991)

     E é comum a situação em que alunos(as) de escolas, ou até mesmo quando as pessoas vão prestar vestibular, tem a obrigação de lerem clássicos brasileiros como forma de enriquecimento cultural, agregando valor ao que é da cultura nativa, mas será que essa leitura compulsória é constantemente feita por prazer ou só por pressão?

     O grande problema em jovens não terem muito interesse nesse tipo de leitura é a linguagem usada muitas vezes impactando com a forma linguística atual que com a evolução da tecnologia vem sendo cada vez mais informal e modificada, onde os meios de comunicação tornam-se portas de acesso para que as pessoas se expressem com palavras mais curtas ou com alusões, isso tem causado uma “revolução” na linguagem jovem.

     Contudo, os clássicos perdem o foco dos leitores atuais que preferem conferir obras mais fáceis de serem compreendidas, como de autores atuais que adotam uma linguagem mais jovem usando de artifícios como a tecnologia e linguagens figurativas, autores estes que estão em alta (moda), e de fácil entendimento que não precise de muita interpretação para pegar o fio da meada (diferente dos clássicos onde se tem toda uma trama que precisa analisar e logo o leitor consegue ter um senso critico mais sóbrio ao invés de vago), mas que poucas vezes tem a riqueza que um clássico contém. Não estou condenando todas as obras atuais, pois existem algumas que contém um conteúdo de ótimo proveito podendo ser comparados a grandes clássicos.

     A leitura de obras clássicas não deve ser encarada como obrigação, mas sim como complemento de riqueza cultural, pois nele contém ambientes históricos, linguagem histórica, elementos textuais mais profundos, e de grande fonte de conhecimento.

     Portanto é importante dar espaço para ambos os tipos de literatura como meio de ganhar mais conhecimento e enriquecimento de um senso critico mais refinado, amplo e singular.

 Então é isso galera e até semana que vem! Abraços.

 Fonte:

FARACO & MOURA, Língua e Literatura, vol. 3, 26ª edição, Editora Ática, São Paulo –Sp.

 Por que Ier os Classicos / ltalo Calvino ; tradução Nilson Moulin, São Paulo, Companhia das Letras, 1993

 Referências:

https://www.todamateria.com.br/caracteristicas-da-literatura-brasileira-contemporanea/ Disponível em 04/01/2017  20:38

 https://pt.wikipedia.org/wiki/Literatura_do_Brasil Disponível em 04/01/2017  21:26

 http://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2014/02/1415701-noticias-da-literatura-brasileira-no-seculo-21.shtml Disponível em 05/01/2017  21:30


Apresentação: Meu nome é Fernando Mello sou graduando em Administração, e sou amante da escrita e da literatura, pois acredito que são duas coisas que conseguem extrair de nós tudo o que silenciamos. Notei em mim a arte de escrever quando ainda criança e desde então não parei mais. Tenho três livros publicados: “Uma nova chance”, “Sob o domínio do silêncio” e “A garota por quem me apaixonei”. Agradeço ao Arca Literária pela oportunidade de ter esta coluna onde irei escrever sobre tudo o que envolva literatura, escrita, artes, cinema, e afins. Espero que gostem.

%d blogueiros gostam disto: