Bruxos e Bruxas – James Patterson

0
673

Olá pessoas bonitas ^^

Hoje, lhes trago a resenha do livros Bruxos e Bruxas. Este é o primeiro volume da série distópica de James Patterson e Gabrielle Charbonnet.

 “É como entrar em um pesadelo. Do nada, você é retirado de sua casa, preso, e acusado de bruxaria. Parece século 17, mas é o governo da Nova Ordem, e está acontecendo agora!”

Abordando dois temas polêmicos – ocultismo e bruxaria – num futuro distante, Bruxos e Bruxas conta a história de dois irmãos Whit e Wisty Allgod – o que aliás, por serem nomes muito parecidos, se torna um pouco confuso durante a história -, que têm suas vidas viradas do avesso da noite pro dia ao serem taxados como bruxos pela Nova Ordem (N.O.), ou melhor, pelo Único Que É O Único.

O livro possuí capítulos bem pequenos, porém com uma narração leve e rápida, o que faz com que se torne uma leitura bastante agradável e até mesmo surpreendente, uma vez que a história se passa num mundo totalmente inimaginável. Tentem imaginar um mundo sem livros, sem filmes, sem música, sem liberdade de expressão. É exatamente neste mundo em que Whit e Wisty vivem.

 A história é narrada em primeira pessoa, alternando entre Whit e Wisty.Whit é um personagem um tanto estereotipado, ao meu ver rs’: Um rapaz alto, lindo de morrer e forte de 17 anos que tem uma namorada “fantasma”. Já a irmã dele, Wisty, foi uma surpresa. Aparentando a primeira vista ser frágil, a ruiva é super decidida, determinada e cativante e tem um senso de humor plausível. Adoro o sarcasmo dela!

O Único Que É O Único é um personagem com muito destaque desde o inicio. Ele é o governador da Nova Era que se instalara, ele quer todo o poder e seus ideais são pregados através de uma profecia onde tudo acaba de uma mesma forma. Esse personagem realmente me lembrou Hitler!

 Mas, voltemos aos irmãos… Após serem repentinamente tirados da segurança de sua casa no meio da noite, os jovens irmãos são sequestrados e levados para uma clínica psiquiátrica aterrorizante, que na verdade é uma assustadora prisão onde os bruxos ficam temporariamente, até sua execução. A primeira vista, eles não fazem a mínima idéia de que realmente são Bruxos, mas com uma baqueta e um livro em mãos, eles acabam descobrindo os seus poderes e do que são capazes, causando muita confusão. Acreditem!

E apesar da bruxaria estar muito presente, o que mais me chamou a atenção na história foi a Nova Ordem. Como uma pesquisadora assídua do ocultismo, posso dizer que James Patterson criou uma obra quase que totalmente fiel a ideologia da Nova Ordem Mundial, mais conhecida como os Iluminatis. Autores como Dan Brown já abordaram esse tema antes, inclusive, obras como Anjos e Demônios e O Código da Vinci, ganharam adaptações para as telonas de Hollywood. É um tema bastante interessante para se abordar, porém, muito delicado e ao mesmo tempo, ousado.

A primeira vista, os irmãos Allgod parecem ser frágeis e extremamente protegidos pelos pais, porém ao decorrer da história eles evoluem muito, junto com a magia que há dentro deles. O mais legal, é que os “rebeldes” da história são os adolescentes. Eles são os maiores inimigos da Nova Ordem, assim podemos dizer. Achei super interessante a evolução dos personagens ao longo da história e estou louca para ler os próximos livros.

Gostei muito dos protagonistas e até mesmo dos personagens secundários.

 Opressão, magia, sarcasmo, bom humor, cães infernais, ação, submundos e muito mais é o que devem esperar aqueles que arriscarem a se aventurar pelo Livro Proibido pela Nova Ordem.

Com um toque teen no estilo Harry Potter e Percy Jackson, recomendo este livro a todos aqueles que tiverem espírito aventureiro gostarem de uma boa dose de adrenalina nas veias ao mergulhar em um mundo surreal.

Vale a pena conferir!

Sem mais delongas, adorei a capa do livro. A letra B em chamas com o formato dos rostos dos irmãos em meio as labaredas foi bastante criativo. Meus parabéns ao capista!

 Já estou com O Dom em mãos, e em breve trago minha opinião sobre o segundo livro da série a vocês.

Beijos e até a próxima ?

Resenha de Luna Brandon, resenhista parceira do Arca Literária e participante do blog Paraíso das idéias

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here