Bom dia Sr. Mandela – Zelda la Grange

0
605

Bom dia Sr. Mandela é uma biografia emocionada de Zelda la Gange, uma mulher branca, nascida na Africa do Sul em período de do Apartheid, que passou a sofrer pressão de sua família e o afastamento de seus amigos por trabalhar como secretaria de um negro. De forma emocionada a autora costura sua história à de Mandela e vai nos apresentando diversos aspectos da vida do líder sul-africano. Sua relação de profunda admiração por Mandela, a quem chamava de Khulu (termo abreviado de Tata um’khulu, cujo significado é avô).

“Esta não é a sua história. É a minha história, e estou feliz com ela. Mas o leitor pode ficar desapontado se espera que eu lave muita roupa suja em público. Eu não desrespeitaria a confiança que Nelson Mandela depositou em mim. Essa é a maior honraria que ele poderia ter me oferecido – confiar em mim -, e eu pretendo prezar isso pelo resto da minha vida. O que decidi contar, e o que decidi omitir, no que lhe diz respeito, é baseado nessa confiança.”

A leitura é leve, envolvente e fluída. Aqueles que não costumam ler biografias e tem determinadas restrições ao gênero podem deixa-las de lado neste caso. Zelda conseguiu espantar o fantasma da monotonia e prende o leitor com as lições de Mandela. De certa forma, sendo a escrita tão desprovida de imparcialidade o rigor de pesquisa é posto de lado, por isso talvez, a leitura não tenha um ar pesado das biografias comuns. A narrativa em primeira pessoa tem um tom intimista que nos permite aproximação a figura de “Mandiba” e desvela um homem simples, com conflitos familiares além de suas grandes questões humanitárias. É comovente os relatos de Zelda, a maneia como tem sua vida transformada pelo convívio e as lições de Mandela, torna compreensível sua tamanha dedicação. A proximidade entre ambos era tamanha ao ponto de a secretaria cuidar de suas contas pessoais.

Chamou-me a atenção a maneira direta da escrita da autora, sem muitos rodeios ela se expõe e apresenta desde de seus preconceitos iniciais até sua profunda fascinação pela figura de Mandela. Sua dedicação por vezes pode causar estranhamento, mas rapidamente colocamos isso de lado diante dos acontecimentos que provocam a mudança de pensamento de Zelda.

”Sou uma bilionária emocional, e, se mais nada extraordinário acontecer no resto de minha vida, ainda estarei contente com essas lembranças até o dia da minha morte. Tive uma vida rica. A maioria das pessoas jamais experimentará o que testemunhei, portanto, minha história é de transformações, de lentas metamorfoses mentais e do sistema de crenças onde me encontro hoje”

Bom dia Sr, Mandela é um livro que recomendaria sem dúvida alguma para qualquer tipo de leitor. Devo dizer que é no mínimo inspirador.

Resenha de Andreza Amarante, resenhista do Arca Literária e do blog Letras com Cafeína

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here