Ao meu ídolo, com amor – Mariana Pereira

0
490

Sinopse: Ao meu ídolo, com amor conta a história eletrizante e apaixonante da investigação de um misterioso assassino em série.
Bernardo Monteiro é um jovem ator queridinho de todas as meninas do país. Sua vida parecia perfeita, até que, misteriosamente, suas namoradas começam a ser assassinadas.
A experiente investigadora de polícia Ana Maria Paviani, que já solucionou casos praticamente impossíveis, tem o desafio de desvendar esse mistério, que parece não ter solução! Esses assassinatos só não lhe tiravam mais o sono do que a necessidade de contato entre ela e Bernardo.
Dizer que não se gostavam era pouco para duas pessoas que não tinham a menor vontade de passar mais de dois segundos no mesmo ambiente. Mas eles não terão muita escolha depois do plano que ela e sua equipe desenvolveram. Essa história envolvente vai abalar as estruturas da vida de Bernardo e Ana Maria, principalmente quando alguém começar a se apaixonar…


Resenha:

Bernardo Monteiro, ator e queridinho das adolescentes brasileiras, teve sua namorada assassinada. Na cena um bilhete foi encontrado com os seguintes dizeres: Ao meu ídolo, com amor. Os investigadores não conseguem pistas, o ator e a investigadora responsável, Ana Maria Paviani, se estranham e o caso fica em aberto. Quase dois anos depois temos uma soma de três namoradas assassinadas, um número curtíssimo de pistas, nenhum suspeito e a mesma mensagem.

Um dos policiais sugere um plano arriscado: uma policial treinada seria a quarta namorada desse ator, eles aguardariam a próxima tentativa de assassinato e pegariam o culpado. Mas essa policial não suporta o ator em questão e o sentimento é recíproco. O que poderá sair disso? Confusão, romance e muito tiro.

Ao ver o livro no site da editora, fiquei interessada pela possibilidade de uma perseguição das boas em terras nacionais. O que eu encontrei foi surpreendente, pois é um pouco do que pensei e um pouco chick-lit. Se você se pergunta como é possível, eu explico.

Há perseguições, cenas com vários tiros e mortes, tentativas de encontrar um suspeito e muitas armas. Desenvolvendo-se um mistério interessante, pois a falta de pistas instigou até certo ponto, mas em alguns momentos a investigação ficou meio em segundo plano. Tendo foco no relacionamento da Ana com os amigos, com Bernardo e com o próprio passado. Ou seja, parte do enredo envolveu os crimes e outra parte a vida pessoal da protagonista. Dai minha louca classificação de chick-lit policial.

A narrativa em primeira pessoa foi feita pela investigadora Ana Maria que tem a tendência a fazer brincadeiras ou comentários sarcásticos.

O enredo envolve basicamente cinco personagens: Ana Maria (investigadora), Bernardo (ator), Ricardo (delegado), Ian (policial) e Agatha (jornalista). Os demais personagens fazem algumas participações relativamente pequenas, o que dificultou ainda mais fazer uma lista de suspeitos. Pois não havia como pensar em motivações convincentes.

Falando em motivação, a dos assassinatos possui uma lógica bacana, mas eu realmente esperava algo mais. Ou ainda acho que a autora poderia ter explorado mais o motivo que criou.

O exemplar é resistente, a diagramação simples e com tamanho de fonte agradável. A capa ficou bem bacana e chama bastante atenção em um primeiro momento devido aos contrastes. Eu li relativamente rápido e não me lembro de algum erro de revisão ter desviado minha atenção.

 E aí, ficou com vontade de ler? Eu espero que sim, porque apesar dos “poréns” que destaquei anteriormente, a leitura foi bem proveitosa e o livro me conquistou.

Resenha de Anna Gabriella, resenhista do Arca Literária e do blog Letras & Versos

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here