Antonio H. Fernandes

0
779
  1. Fale-nos um pouco de você.

R – Sou escrivão de polícia há quase 25 anos, fiz faculdade de Letras – Inglês, ou seja, sempre trabalhei com a escrita. Fui casado durante dez anos e tenho uma filha de 11 que também gosta muito de ler.  Gosto de escrever bem e gosto muito da nossa Língua, apesar de ter feito faculdade de Inglês. Tenho 43 anos de idade e uma vida inteira pela frente para novos rumos na literatura.

  1. O que vc fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?

R – Como Respondi anteriormente sou Escrivão de Polícia e trabalhando com redações, relatórios e textos era praticamente impossível não escrever. A primeira vez que escrevi foi na escola, para um trabalho de Artes, fiz um livro policial. Claro que atualmente trabalhando na Polícia isso é muito relevante na hora de escrever e é tema de três livros que eu escrevi, sendo que o terceiro ainda está em andamento.

  1. Qual a melhor coisa em escrever?

R – A liberdade. Liberdade criativa.

  1. Você tem um cantinho especial para escrever?

R – Na mesa da copa. É o lugar preferido.

  1. Qual seu gênero literário? já tentou passear em outros gêneros?

R – O Principal é o gênero Policial, mas como escritor eu tenho um leque maior e sim, passeio em outros gêneros sem problemas. Tem um livro adolescente em andamento e um de ficção cientifica. Vamos ver o que o futuro reserva.

  1. Fale-nos um pouco sobre o livro “Hotel Vitória”

R – A origem da estória do Hotel Vitória foi um sonho, em que eu visualizava um hotel, meio que pairando sob uma neblina forte e daí surgiu a idéia, que inicialmente seria um conto, e depois foi crescendo e acabou se tornando um livro. A criação dos personagens principais Paulo e Roberta foi natural.

  1. Onde encontra inspiração para os nomes dos personagens?

R – É uma coisa engraçada, os personagens, alguns deles, eu me inspiro em amigos ou conhecidos, mas na hora do nome a coisa complica um pouco, mas depois chego a uma conclusão e pronto. Vai.

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?

R – No caso do Hotel Vitória, eu pesquisei hotéis e o que faz um repórter investigativo. Na parte policial eu já tenho a experiência necessária.

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

R – Todos os livros que eu li de alguma forma me inspiram, mas eu tento imprimir algo já meu, um estilo de escrita próprio. E espero que dê certo e seja reconhecido por isso.

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

R – Bom, estou publicando o primeiro livro e até agora não tive dificuldade alguma, e espero que continue assim.

  1. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?

R – Para ser bem sincero estou muito surpreso. Agradavelmente surpreso, é claro, pois vi que muitos autores nacionais estão surgindo, e com obras de qualidade. De primeiro time.

  1. Recentemente surgiram vários pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

R – Acho necessário. Depois que a poeira baixar permanecerá o bom autor e assim o leitor poderá ter livros nacionais com mais qualidade. E torço para que os que não são cheguem ao mesmo patamar.

  1. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

R – Isso é algo que ainda precisa ser visto. Com a palavra as editoras.  Eu acredito que dá pra publicar livros com preços mais acessíveis ao leitor. E mesmo que haja e-books com preços mais baixos nem todo mundo tem acesso a um e-reader. E facilita para a pirataria…  que é prejudicial tanto ao autor quanto para a editora.

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

R – Todos de fantasia. hehehehe

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria?

R – Pergunta complicada. Mas seria uma música clássica. Gosto de ouvir o Bolero de Ravel.

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

R – O livro que me deixou com ressaca, e que tive que ler de novo foi O Senhor dos Anéis, a trilogia. Foi fantástica a leitura. Me perdi na Terra Média.

  1. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

R – Tenho sim. Tenho outras idéias para colocar em prática, livros que já estão em andamento e fazer uma coletânea com meus contos que estão publicados no wattpad. Tem mais um livro policial pronto e um adolescente  em andamento. E há idéias em andamento que pretendo terminar.

  1. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

R – Acompanho e acho super válido, porque o Blogueiro lê e tem certa influência com seus seguidores. É uma crítica válida e embasada.

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

R – Olha, essa é uma pergunta muito difícil. Sou fã de Stephen King, mas isso seria praticamente impossível hehehe.

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

R – Um elogio de um leitor. Uma crítica positiva. E seu livro fazendo sucesso, com certeza.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

R – O que eu posso dizer àqueles que querem se aventurar nesse mundo é que acreditem; principalmente no seu potencial. Tudo é possível quando a gente acredita. Se tiverem uma estória que seja digna de ser contada, faça. Escreva. Acredite.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here