Ana Lemos

0
562

  1. Fale-nos um pouco de você.

Sou uma leonina, natural de Caxias do Sul, RS, onde vivo até hoje com minha família (marido e dois filhos). Apaixonada por leitura, desde que aprendi a ler, descobri no Direito a minha vocação, tendo me formado e prestado concurso para o Poder Judiciário, onde trabalho desde 1990. Minhas paixões são livros, viagens e cachorros.

  1. O que vc fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?

Eu trabalho como Escrivã no Foro de Caxias do Sul. A inspiração para a escrita veio de muitas histórias maravilhosas que li e me marcaram, além de alguns momentos do meu passado.

  1. Qual a melhor coisa em escrever?

É a possibilidade de nos transportar para outros mundos, viver outros amores e dar vida a personagens.

  1. Você tem um cantinho especial para escrever? (envie-nos uma foto)

Eu costumo escrever na sala da minha casa, porém instalada em mesa e com boa postura para evitar problemas de cervical e preservar meus braços, porque tenho tendinite funcional.

  1. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?

Sou uma romântica incurável, embora goste de ler vários gêneros. Ainda não pensei em escrever em outros gêneros além do romance.

  1. Fale-nos um pouco sobre seu(s) livro(s). Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?

Tenho dois livros:  Sempre Foi Você e Um Amor Inesperado. O primeiro teve inspiração em alguns fatos do meu passado e também do meu ambiente de trabalho. O segundo veio como uma sequência, pois os personagens principais já haviam sido criados no primeiro livro. Os nomes foram escolhidos por representar o cerne da história contada em cada um deles. Alguns dos personagens possuem inspiração em pessoas conhecidas, do meu cotidiano ou que passaram por minha vida, enquanto que outros são criações para compor a história.

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?

Eu pesquiso alguns locais específicos que vou descrever com mais detalhes no livro, e o restante fica por conta da imaginação e da criação. A história dos meus dois livros se passa em Nova Iorque, que é uma cidade que já visitei algumas vezes e que eu adoro, pela diversidade cultural e pela sua beleza.

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

Acredito que qualquer autor carrega como bagagem tudo aquilo que leu e que lhe marcou. Eu tenho meus autores e livros favoritos e, com certeza, em algum momento a marca que eles me deixaram estará nas minhas histórias.

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

Costumo dizer que sou uma novata que teve sorte. Eu comecei a escrever no wattpad em 2014 e foi lá que minha história ficou conhecida e estourou em leituras. Depois disso ficou fácil conseguir meu primeiro contrato com a editora Novo Século e, posteriormente, a segunda edição do Sempre Foi Você e o lançamento de Um Amor Inesperado com a editora Pandorga.

  1. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?

A literatura nacional ganhou muita visibilidade nos últimos anos, mas temos um longo caminho a percorrer. Muitos autores excelentes não possuem condições de arcar com os custos da publicação do livro físico e acabam optando pelo livro digital, o qual vem sendo alvo de pirataria. Esse cenário acaba desestimulando muita gente e isso é triste de se ver.

  1. Recentemente surgiram vários pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

Não gosto muito de falar sobre isso, porque sempre se corre o risco de ser mal interpretada, mas lá vai… Por exemplo, eu gosto de romances eróticos. Sim, já fui muito criticada por dizer que gostei da trilogia Cinquenta Tons, que alguns odiaram. Para mim, esses livros abriram caminho para um olhar diferente sobre o desejo que permeia as relações amorosas ou meramente sexuais, despertando um público feminino que estava sedento por histórias mais picantes. Alguns autores/autoras são mestres em descrever tais relações e despertar a curiosidade e a sensualidade de muitas mulheres. Acontece que todo mundo achou que poderia começar a escrever romance erótico e muitas pessoas perderam a mão, passaram do sensual para o vulgar, o grotesco. Já abandonei diversos livros  por não possuírem história/enredo, apenas uma sucessão de cenas de sexo, com palavras chulas e de mau gosto. Acredito que com o tempo o próprio mercado vai selecionar o que dá para ser lido e o que não presta, e isso em todos os gêneros.

  1. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

O grande problema é que no nosso País se paga muito por tudo e se ganha pouco. Apesar desse cenário, os leitores brasileiros buscam alternativas para comprar seus livros. A gente aperta daqui, estica dali e acaba encontrando uma promoção ou um parcelamento que nos permita comprar pelo menos os livros mais desejados. Deveria ser diferente? Claro que sim, mas há interesse de quem poderia mudar esse cenário em disponibilizar cultura para o povo?

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

Muitos!!!  Cada vez que leio Nora Roberts fico espantada com a mente privilegiada dessa mulher. E o mesmo acontece com vários outros autores que amo.

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria? (nome da musica + cantor)

Eu sempre termino um livro com sua playlist, porque gosto muito de escutar música enquanto escrevo e também de encontrar músicas que possa incorporar na vida de determinado personagem. Então, várias músicas e cantores estão na trilha dos meus livros.

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

Vários livros me deixaram marcas muito profundas em determinadas épocas da minha vida, por isso não tenho um só livro, mas várias fases e vários livros muito importantes.

  1. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

Meu projeto é terminar a trilogia Amores Traçados a partir para algo novo, é um ciclo que preciso encerrar para começar novas histórias.

  1. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

Este ano em função do meu trabalho estou um pouco afastada das redes sociais. Tive pouco tempo para escrever, um  bom período sem poder escrever por causa da tendinite, mas posso dizer por experiência própria que os blogueiros representam um papel super importante na vida dos autores. Tenho mais de 100 parceiros de blogs, tive pouquíssimos problemas e uma divulgação ótima.

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

Nora Roberts.

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

Saber que as pessoas gostaram da sua história, que riram, choraram ou se emocionaram com aquilo que você criou.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

Se você ama ler e escrever, aventure-se.  Criar uma história e vários personagens é dar vida aos sonhos. Ler é viver a vida em outros personagens, cenários e amores.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here