Amar ainda vale a pena (Recomeçar) – Luana Barros

0
630

O enredo de Amar ainda vale a penaRecomeçar inicia-se com a protagonista Luíza narrando as delícias e angústias da maternidade.

 Há pouco mais de um mês para se casar com Gustavo, Luíza cria ao lado dele a querida Malu em filha de Gustavo e Natalie.

Gustavo e Natalie sequer chegaram de fato a namorar e através de um rápido envolvimento após algumas baladas, Natalie anuncia a gravidez.

Apesar de fazer de tudo para ter Gustavo junto a si, ao perceber que a estratégia não surtira o efeito esperado, Natalie decide ir embora para a Itália e abandona a recém-nascida aos cuidados do pai-e de Luíza, que adota de coração a menina, a quem se afeiçoa profundamente.

É quando nossa história realmente começa: Malu já está com dois anos, chama Luíza de mãe, ainda balbuciando as primeiras palavras.

 Luíza vai morar com Gustavo e montam para a menina a “sala de brincar” onde Lu (Luíza) passa muito tempo, ou quase todo o tempo que é possível com Malu, já que não pode tirar a licença maternidade no jornal onde trabalha porque Natalie voltou de repente do exterior para o Brasil, exigindo cuidar da menina-como se o tempo não houvesse passado- o que dificultou o processo de adoção.

É quando entra na trama o Fábio e conhecemos outra face dessa história.

Luíza, algum tempo antes de conhecer Gustavo havia se envolvido com Fábio e namoraram bastante tempo.

Mas Fábio a traía com outras mulheres inclusive com Natalie.

Quando o relacionamento de Luíza e Fábio acaba,  Luísa tempos depois  se envolve com Gustavo para logo em seguida descobrir-se às voltas com a maternidade e com o casamento iminente.

Fábio percebe que finalmente ficara sem espaço no coração de Luíza e embora esteja namorando Amanda- num moderno relacionamento aberto- resolve que era Luíza a mulher da sua vida, e decide reconquistá-la.

Então, é nesse momento que Fábio une-se a Natalie para criar uma armadilha e assim conseguem envolver Luíza num sentimento de culpa de estar destruindo uma família, já que a mãe biológica da menina- Natalie -a quer de volta e criam uma situação constrangedora que interrompe o casamento antes que ele se realize.

Apesar de tudo ser armado e Luíza ser alertado por amigos do casal e pelo próprio Gustavo que tudo não passava de uma armadilha, Luíza decide que precisa de um tempo para reavaliar seus sentimentos.

Decide ir embora para Londres, e é onde inicia a segunda parte do enredo;

Em Londres Luíza faz novos amigos, aos poucos consegue criar novas relações de amizade inclusive com Eduardo- um brasileiro que possui uma loja com o curioso slogan que “não precisa ser mineiro para gostar de pão de queijo”.

É Eduardo quem consegue aos poucos tirar Luíza da tristeza infinita em que se encontra e devolver um pouco de alegria para ela.

Mas Gustavo não vai desistir de provar sua inocência e ter de volta o amor de sua vida.

Fábio também que quer reconquistar Luíza e Natalie, por sua vez, não sabe bem o que quer, mas acha que ter Gustavo é a realização de seu capricho-não está acostumada a ser contrariada- e decide que quer ter Gustavo e Malu para si.

A trama se adensa mais e cada vez fica mais difícil ter um posicionamento isento de paixões.

Um grande trunfo desse romance é que ele é contado através de vários POV- Pontos de Vista- e aos poucos vamos conhecendo as tramas que o destino reserva para cada personagem, mas especialmente seus jeitos de pensar e reavaliamos suas condutas.

Assim, entramos em contato com a história pela perspectiva de Gustavo, da própria Luíza e de Fábio.

Só senti falta da voz de Eduardo na trama, embora ele, de fato, não deixe Luíza nem um momento quando ele está com ela. Mas não desconfiamos de suas intenções reais, daquilo que se passa em seu coração, mas ainda assim somos tomados de encantamento dessa confusão de sentimentos que une Eduardo e Luíza.

Durante a leitura do romance meu coração romântico pendeu para vários lados na trama e, se essa fosse uma história real, não sei como seria um final feliz.

Creio que a autora soube trabalhar bem com os diversos pontos de vista, criou perfis psicológicos fortes e a ambientação londrina é um encanto, a descrição de cenários e a ambientação em si são muito boas: senti-me num pub londrino tomando tequila-e eu nunca tomei tequila!rs

Gostei bastante das tramas e subtramas, os personagens secundários também são bem trabalhados e as relações entre personagens principais e secundários são estruturadas e coerentes.

A menina Malu que praticamente nada fala, porque ainda não sabe falar, é um encanto.

A Narrativa é coesa com personagens complexos,tramas e subtramas,diversos pontos de vista  e ainda assim a leitura de Amar ainda vale a pena- Recomeçar  é leve e prazerosa.

Nenhuma ponta solta fica perdida na trama, tudo é bem amarrado.

Um único detalhe quase ao fim do livro: um segredo não revelado deixou uma pontinha de certeza de que mesmo os maiores romances -e românticos- precisam manter sua individualidade… Não posso falar mais que isso para não dar spoiler.

Recomendo!

Resenha de Michelle Louise Paranhos, resenhista do Arca Literária e do blog Café Literatura

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here