Alessandra Vale

1
1088
  1. Fale-nos um pouco de você. 

Sou carioca, viúva, tenho 44 anos, e dois filhos que amo mais que chocolates rsrsrsrs.  Sou muito crítica de uma forma geral, mas principalmente comigo. Amo estar com a família, mas viajar e conhecer o mundo é um dos meus maiores sonhos. Acredito no amor, em Cristo, em um Deus Eterno e Bom, mas tenho que me controlar quando assisto a determinadas reportagens, tenho uma vontade louca de amaldiçoar as pessoas que roubam o dinheiro do povo para utilizar em beneficio próprio com luxo e ostentação (se eles querem ser ricos vão trabalhar ao invés de roubar), pronto falei!

Sou uma mulher prática, com uma pitada de romantismo, dramática com uma pitada de bom senso.

  1. O que vc fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita? 

Antes de começar a escrever eu trabalhava como secretária, hoje trabalho com produtos infantis; A inspiração veio do dia a dia, meu e das pessoas, nossos traumas, medos e inseguranças, enfim nossas histórias, são as minhas maiores inspirações, as alegrias que gostaríamos de viver e as decepções que temos que passar; me lembro que eu estava tomando banho e pensei, “já imaginou se uma pessoa que está morta levanta no meio do seu velório?” ai surgiu a ideia do livro Simplesmente Amigos.

  1. Qual a melhor coisa em escrever? 

Poder transmitir mensagens que tocam os sentimentos, levar pessoas a sonharem, saber que por alguns momentos alguém embarcou comigo em uma viagem louca, mas linda! É algo simplesmente fascinante…

  1. Você tem um cantinho especial para escrever?

kkkkkkkkk, tenho não… me desligo do mundo a minha volta em qualquer lugar, e escrevo.

  1. Qual seu gênero literário? já tentou pensar em outros gêneros? 

Sou romancista assumida e declarada, acho que não conseguiria escrever outro gênero, porem tem um detalhe, creio que dou um toque muito sutil de autoajuda, mas é apenas um toque, quem me dera eu fosse inspirada a escrever coisas que mudassem o comportamento humano.

  1. Fale-nos um pouco sobre o livro “Simplesmente amigos”. Onde encontra inspiração para os nomes dos personagens? 

Quando o livro Simplesmente amigos surgiu, eu já havia escrito outros dois (que serão reescritos) ai eu achei a ideia boa, a escrita fluía com facilidade e a cada capítulo que eu mandava para Valdirene “minha secretária voluntária”, ela ansiava pelo próximo. Agora, nome de personagem é um dos meus maiores problemas… tenho que tomar muito cuidado com isso, já dei dois nomes diferentes a um mesmo personagem, ou no livro seguinte coloco o mesmo nome de um personagem anterior sem perceber… Aff! Era pra ser algo tão simples, mas pra mim, não é. Então, no caso de Simplesmente amigos, usei nomes com iniciais de nomes de amigos ou alguém da família, pra eu não esquecer.

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro? 

Se eu for falar de algum assunto que desconheço, lugar que nunca fui, ou qualquer coisa que não esteja familiarizada, vou até o são google e pesquiso, rsrsrsrs

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever? 

Honestamente não, procuro até não ler no momento que estou escrevendo para não me sentir sugestionada, mas já aconteceu de eu estar lendo uma distopia e a escrita ser tão boa que me influenciou com algumas palavras.

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

Dificuldade? Jesus! A maior dela é a falta de dinheiro. Na verdade hoje estou reunindo recursos para publicar o meu segundo livro, não é nada, absolutamente nada fácil! Você pode até ter uma boa história, mas se não te conhecem, esquece… não querem comprar o seu livro, só os amigos não pagam todos os seus gastos, então a dificuldade de publicação como autor independente é grande!

  1. O que você acha do novo cenário da literatura nacional? 

Descontrolado.

  1. Recentemente surgiram vários pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom? 

Complicado, o fato de nascerem novos talentos é maravilhoso, com certeza tem muita gente boa, com uma história incrível, e se dedicando a trazer o melhor para as pessoas, mas ver a falta do bom senso na escrita de outros é triste, e como você mesma disse os livros são desesperadores… isso é lamentável! sobre esse assunto gostaria de dizer uma coisa, boas inspirações não garantem bons livros, as vezes a história não é nem tão boa ou não traz nenhuma novidade, mas nos envolvemos com a escrita, por isso, é muito importante um acompanhamento de alguém que gosta do gênero que a pessoa está escrevendo e uma boa correção…  isso reduz significativamente o desastre literário e para finalizar rsrsrs quem me conhece sabe que eu jamais poderia ser cantora, tenho uma voz péssima para isso, então, é importante descobrir qual é a sua vocação para não ter que lidar com a frustração!

  1. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais? 

Essa é uma excelente pergunta. Vou responder como autora independente. Tenho que custear todo gasto, eu não sei se todos têm ideia, mas vamos lá, pago para registrar na BN e no ISBN, por uma correção ortográfica, alguém para diagramar, outra pessoa para catalografar, um designer para fazer a capa e o mais caro de tudo a gráfica para impressão de um livro que tenha mais de 300 paginas, detalhe, (gostaria de pagar uma segunda revisão, pois as vezes na primeira continua com erros), isso tudo para, mesmo sendo o mais em conta, oferecer um trabalho digno de um leitor; mas dependendo da tiragem o valor do livro é desanimador, por isso, como autora independente poderia dizer que os livros deveriam ser mais baratos, porém eu sou a primeira a não poder fazer isso, por que não quero? Nãooooo. Por causa do valor que a gráfica cobra se for uma tiragem de até mil livros. Quanto menos livros peço mais caro fica o valor do livro.

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”? 

A cabana

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria? 

Tem tantas que é covardia escolher apenas uma, mas uma musica que todas as vezes que escuto me parece um amor de livro é, prisão sem grade de Jorge e Mateus.

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”? 

Já li livros que me marcaram, mas dizer esse é o livro da minha vida, ainda não… rsrsrs

  1. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles? 

O meu projeto e escrever cinco livros de Alice (já tenho todas as historias), e depois uni-los em uma única trama misturada à minha vida real. Já tenho o inicio do livro rsrsrsrs, mas preciso lançar todas antes de escrever esse, já tenho inclusive o titulo.

  1. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? o que você acha sobre isso? 

Procuro acompanhar não só de blogueiros como também de leitores, acho valido as opiniões, e fico feliz quando vejo que no mesmo livro tem gente que ama e gente que detesta. Não sou muito de opinar para não criar polemica, mas procuro entender as críticas de cada um, sendo com educação e bom senso, levo em consideração.

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria? 

Marian Keyes.

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

São aqueles dias que você está pensando em desistir, porque tudo é muito difícil e você nem é tão boa escritora assim, ai aparece alguém que nunca te viu, não é sua amiga particular e não faz parte da sua família e te diz: “Aleeee, eu terminei o livro hoje. Amei, amei e amei… Você é uma grande escritora” (só coloquei o inicio e o fim do que ela escreveu no meu instagran) todas as vezes que isso acontece é uma grande, imensa, mega alegria! A certeza de que estou no caminho certo.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

 Bem aos iniciantes eu digo, primeiro tenha uma boa história isso é de verdade o começo, mas não é tudo… você precisa pesquisar, viver o que vai escrever como se fosse real, ouvir opiniões (não de todos, pelo amor de Deus, saiba quem ouvir), fazer a correção de seu livro e procurar com que ele tenha um mínimo de cara de livro profissional, os leitores merecem esse respeito.

Aos leitores eu gostaria de dizer, que faço meus livros com o intuito de promover uma bela viagem literária, por isso, se não consegui isso com você me desculpe, entendo que, o quê seria do azul se todos gostassem só de cinza, rsrsrsrs gosto não da pra discutir, agora aos que embarcaram na minha história, riram, choraram, se emocionaram e viveram juntos com Alice, essa realidade quântica, meu muito obrigada, vocês me proporcionam momentos únicos de realização pessoal e profissional, e que eu possa continuar fazendo parte de sua vida com todos os outros livros que vou lançar, quero conquistar você cada vez mais… Mil beijos a todos

Um comentário

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here