Aldivan Teixeira Tôrres

0
769

1. Fale-nos um pouco de você.
Meu nome é Aldivan Teixeira Torres mas também sou conhecido como vidente,filho de Deus e pequeno sonhador.Tenho 32 anos e sou do interior de Pernambuco duma pequena vila que fica perto da divisa entre o sertão e o agreste.Sou um cara bacana,otimista e cheio de valores sólidos que aprendi com meus pais e com Deus.Quero através da minha arte encantar corações e ensinar boas lições morais para um mundo tão necessitado.Enfim,o objetivo maior é conquistar o mundo.

2. O que vc fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?
Sou filho de agricultores,cresci num mundo de opressão,miséria e desamparo.Em meio a tantas dificuldades,eu perguntava-me se meu sonho seria possível.Esta impossibilidade foi o combustível para que eu estudasse e alcançasse minhas metas.Tenho nível superior e especialização,o único da minha família.Eu participei de concursos públicos e fui subindo na escala da hierarquia pública.Nunca foi problema para mim conciliar trabalho,estudos e meu sonhos.Quando nós queremos muito uma coisa,abre-se um leque de possibilidades.Atualmente,sou funcionário público federal e amo o que faço.A literatura é minha segunda atividade principal e tudo o que eu vivo serve de inspiração para meus livros:Conversas,fatos importantes,visões,pesquisa,lapsos mentais. A experiência em si é muito importante para que eu escreva.Se eu tivesse que dar um conselho a meus colegas escritores eu diria que escreva sobre o que mais você tem afinidade encontrando nossa própria verdade e somente ela é quem nos liberta e nos faz autênticos.

3. Qual a melhor coisa em escrever?
A minha escrita é um desabafo e uma aventura no tempo e no espaço.Escrever é um ato de coragem e é necessário para minha alma sedenta de mudanças.Entrar neste mundinho especial nem que seja por breves momentos por dia me faz sentir livre e feliz.Eu sou um contador de histórias.

4. Você tem um cantinho especial para escrever? 

No momento minha casa está em reformas e estou ocupando um quarto do fundos que transformei em escritório.Este é o local atual da minha escrita,longe de tudo e de todos,em que estou rendendo mais.

5. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?
Eu sou um escritor eclético.Escrevo romances,contos curtos,gênero auto ajuda,poesias,religiosos,ligados a sabedoria entre outros.Posso escrever qualquer gênero a exceção de livros de terror e eróticos.

6. Fale-nos um pouco sobre seu(s) livro(s). Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?
Se não me engano eu já tenho mais de vinte títulos somente em português.Além da Língua Portuguesa,já tenho títulos em inglês,espanhol,francês e italiano.A maioria ainda não foi publicado o que deve ser feito este ano.A minha série principal chama-se o vidente é uma série que já tem seis livros prontos.O título de um livro é o principal e é a primeira coisa que me vem a mente.Já os personagens não tem um rito especial de escolha de nomes,simplesmente acontece e tento não repeti-los.

7. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?
Bem,dependendo do tema abordado,faço pesquisas básicas para orientar-me.Também costumo fazer o esqueleto das cenas e dos capítulos antes de começar a escrever.Quando o livro é longo, o que estou tentando evitar a todo custo nas últimas oportunidades,também delimito aspectos psicológicos e físicos dos personagens para não entrar em contradição.

8. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?
Desde cedo,eu sempre tive o hábito da leitura e busco ler os clássicos nacionais e internacionais.Faço isso por questão de estudo do estilo de outros autores.Admiro no Brasil as figuras de Jorge amado,Machado de Assis,José de Alencar e Paulo coelho.

9. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?
Eu entrei no mercado editorial sem nenhuma idéia de como ele funcionava.Assinei alguns contratos que me deram dor de cabeça e que me frustraram bastante.A minha opinião atual é que o autor deve assumir o comando de sua própria produção literária e valorizar seu próprio trabalho.É tremendamente injusto o autor esforçar-se tanto para ganhar dez por cento de comissão como é oferecido na maioria das editoras.É preferível ganhar menos e ter a liberdade e controle do processo.Hoje,temos as plataformas on lines gratuitas.Então não há o que se falar em dificuldades de publicar um livro,o difícil é alcançar as pessoas.

10. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?
Nós temos uma diversidade de cultura maravilhosa mas pouco explorada.O Brasileiro ainda lê pouco e as grandes editoras simplesmente desprezam os autores desconhecidos nacionais e preferem investir em Best Sellers estrangeiros.Então um conselho seria aprender pelo menos o inglês para tentar novos horizontes lá fora.Em relação aos agentes literários,esta é uma cultura que praticamente só funciona lá fora.

11. Recentemente surgiram vários pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?
Quanto mais pessoas escrevendo,vai ser melhor.Ninguém nasce pronto e a arte da escrita é algo que pode ser trabalhada ao longo do tempo.O que devemos é incentivar estes novos valores para que produzam cada vez mais.

12. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

Isto acontece na maioria das vezes pela baixa tiragem que a maioria das editoras médias e pequenas fazem.Além disso,Os preços da matéria prima subiram este ano devido a uma inflação galopante.Aliado a uma crise estrutural interna,revela-se um cenário pouco prometedor para o mercado livreiro este ano.

13. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?
Nunca me passou isso pela minha cabeça.Se uma coisa eu não tenho é a inveja.Também sou confiante o bastante para entender a qualidade do meu trabalho.Eu estou muito satisfeito com meus livros e para meu olhar de criador eles são os melhores.

14. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria?
Bem,cada livro tem sua especificidade e em conseqüência sua trilha sonora.Mas em geral gosto muito das músicas das cantoras Paula Fernandes e Laura Pausini.Em especial a música “Eu sem você” que retrata como eu me sinto em relação a uma certa pessoa.Talvez eu nunca tenha uma chance de viver esta felicidade mas vou vivendo minha vida com fé em Deus e esperanças.Sei que o futuro o qual me espera é glorioso.

15. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?
O livro que vem a minha mente é a bíblia,fonte de toda inspiração.

16. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?
Estou sempre em atividade.O que posso dizer é que estou trabalhando no sétimo livro da minha série principal.

17. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?
Eu acho que todo mundo tem o livre arbítrio de opinar.No entanto,é preciso manter o respeito com o trabalho do outro.

18. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?
Escolheria minha tia,Josefa Teixeira de carvalho,pois foi primeira leitora.

19. Qual a maior alegria para um escritor?

Ter seu trabalho reconhecido de alguma forma mesmo que isso demore.

20. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.
Eu diria para nunca desistirem dos seus sonhos.Se for do seu merecimento,o sucesso e a felicidade chegarão.Obrigado pela oportunidade de expor um pouco da minha alma e do meu trabalho.Um abraço,paz e sorte a todos!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here