Ahtange Ferreira

1
851

  1. Fale-nos um pouco de você.

Eu, sou mãe de cinco  adoráveis criaturinhas; Histarley, Lorenna, Linnara, Odete ( cachorra) e Alessandersom ( gato).  Adoro ler, ouvir música, dançar, vinho e,  dormir. Sou uma romântica incorrigível.

  1. O que vc fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?

Sou professora de Educação Infantil, sou palestrante.  A inspiração para escrever veio a partir das experiências e dificuldades no espaço de sala de aula; a observação e constatação de que as crianças que apresentavam distúrbios ou dificuldade de aprendizagem sempre tinham problemas familiares, então passei a olhar mais detidamente para estas questões e então me lancei de corpo e alma neste universo.

  1. Qual a melhor coisa em escrever?

Ah está é difícil de responder, amo cada escrita até aqui.

  1. Você tem um cantinho especial para escrever? 

Sim minha biblioteca é meu infinito particular.

 

  1. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?

Sou romancista, mas meus romances tratam muito de temas reais, em cada um deles eu trago um distúrbio de comportamento. Minha matéria prima é a sexualidade enquanto comportamento. Tentei uma participação em SORAIA último lançamento em parceria com o escritor Histarley Monte Negro, escrevi a parte de fantasia, mas acho que não levo muito jeito. Tenho vontade e sou bastante cobrada para escrever para a galerinha mais jovem, mas ainda não consegui.

  1. Fale-nos um pouco sobre seu(s) livro(s). Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?

Meus livros são histórias relativamente curtas, não gosto de enrolação, sou bem dinâmica, até para não cansar o leitor. Cada um trago um elemento que foi objeto de estudo, pesquisa ou observação.

Marcas Indeléveis é baseado em fatos; trago violência psicológica.

Psicopatia;  trago a psicopatia e TDAH. ( Transtorno de Déficite de Atenção e Hiperatividade)

Clandestino Amor; trago TOC( Transtorno Obsessivo Compulsivo)

Teu Olhar ; trago distúrbio de personalidade.

Soraia ; bissexualismo, bullying, suicídio etc. Quanto aos títulos é a primeira coisa que penso, traço a sinopse e só depois penso nos personagens, nome, idade, personalidade etc.

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?

Assisto filmes relacionados, leio, pesquiso na net e principalmente observo, entrevisto, faço até estudo de caso para extrair com mais propriedade as nuances de cada personagem e situações.

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

Minha principal fonte de inspiração é o comportamento humano ( a sexualidade)

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

Sempre tem dificuldades, muito investimento para pouco reconhecimento, fiz o lançamento de Soraia na última Bienal de São Paulo e estou penando para lançar a segunda edição.  Tenho alguns já prontos, mas o capital não permite.

  1. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?

Vem mudando e vamos conseguindo nosso espaço, esta Bienal de São Paulo para mim foi muito boa, tenho um público alvo e a aceitação está sendo maravilhosa. A grande maioria dos meus leitores hoje, são professores, pais e mães de adolescentes,   e até psicólogos, fui procurada por alguns na Bienal que queriam meus livros por motivos específicos. Bom, precisa melhorar muito, mas acredito que tem espaço para todos, embora as modinhas continuem em alta. E o brasileiro continue insistindo em não valorizar o autor nacional, já podemos ver que uma boa parcela desses leitores já descobriu que temos muita coisa boa no mercado.

  1. Recentemente surgiram vários pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

A “facilidade” de publicação permitiu esse boom, um dos problemas que vejo é que algumas editoras deixam por conta do autor revisão, diagramação etc.  Eu, por exemplo, crio as histórias, mas não sou revisora, eu mesma tenho passado por dificuldades com o item revisão e diagramação. Há a necessidade de um cuidado maior, e tempo é algo  que precisa ser levado em conta. O cuidado com cada etapa é muito importante.  E mesmo as editoras que se responsabilizam por revisão, por exemplo, não tem tido o cuidado necessário.  Além do mais as plataformas online também permitem jogar na rede qualquer coisa.

  1. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

Ah isso para mim é o pior, e acontece justamente pela falta de valorização, de respeito e também pelo mercado. Tudo fica muito caro, capa, revisão, diagramação e por fim a impressão o último orçamento que fiz  um exemplar sairia por  R$ 32, 00 COMO ASSIM GENTE? Falta investimento e incentivo. E  para participar de uma feira ou Bienal o autor tem que vender um rim, arca com tudo, ainda  deixa, 30, 40, e até 50% p o livreiro é de matar.

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

Hum não lembro agora

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria? (nome da musica + cantor) Ah, todos os meus livros tem trilha (rsrs) Vento no litoral ( Legião Urbana)

Clarisse ( Legião Urbana)  Perto de ti ( anjos banda portuguesa)  Amor clandestino ( banda gaúcha)  todos tem uma música.

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

O segredo de Eva de Adriana Vargas

  1. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

Sim tenho o livro II Marcas  Indeléveis desfiando limites para publicar em Portugal tão logo esteja pronto. E  Viajei no tempo só por vc.  Em andamento.

  1. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

Já dei muita importância e até já sofri muito com isso, hoje não me importo, não faço mais parceria, pois já perdi muitos livros os quais não tive retorno do parceiro, já tive  comentários negativos lá no início em 2010, um segundo que nem dei importância pois descobri que a garota nem leu o livro, pois no comentário ela até havia errado o nome do personagem e não tinha conhecimento de causa para falar, por outro lado meus livros não seguem modinha, escrevo a partir de meus estudos tenho um projeto muito maior no qual venho trabalhando, não escrevo só por vaidade, mas por um propósito, então tenho seguido de bem com meus livros e ganhando cada vez mais leitores que realmente buscam o que escrevo.

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

Queria que Bruno Galiasso lesse Psicopatia, a série dupla identidade foi perfeita e na época Psicopatia esgotou numa feira, pois as leitoras estavam relacionando e foi muito legal. O Bruno seria um Alex Fontes perfeito.

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

Receber o carinho do leitor, como este que recebi hoje bem cedo.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

Primeiramente # FORATEMER

Segundamente, muito obrigada pela oportunidade, adorei responder a entrevista, foi com todo carinho. Aos leitores, minha eterna gratidão por cada um de vocês, que compartilha deste sonho tão precioso e por vezes tão sofrido. Leiam cada vez mais autores nacionais, tem muita gente boa e muito para ser descoberto. Hoje minha leitura é 90% nacional e cada vez mais tenho me apaixonado. Bjos e muito obrigada.

Um comentário

  1. Olá minha querida, passando para agradecer o carinho. Foi um prazer, grata pela oportunidade, precisamos muito do apoio e carinho de pessoas como você, que incentiva e batalha pelo escritor nacional.
    Abraços!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here