A cidade

0
833

large (9)

A cidade com pressa de chegar, não se sabe bem aonde, suspira o bonde, acelera o motor, ardor, dor, ninguém imagina o que se passa por detrás da vidraça de um carro, de um rosto, de uma pequena janela no último andar na rua de cima.

Todo mundo quer carinho, ninho, esquecer, beijar, ser feliz só por hoje nunca mais. Mais, muito mais, sempre, não, isso não é pedir demais. A cidade ensina, sina – de tudo ela é capaz.

Mas e o amor, do que é que ele é capaz?

E qual a cura para a própria cura…?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here