A chama da esperança-Parte 1 – A princesa renegada – M.V.Garcia

3
851

Sinopse: Movidos pelo preconceito, pela sede por poder e pela perda, humanos e feiticeiros eram inimigos desde os primórdios de Yuan, gerando guerras e destruição.
Durante uma terrível guerra, que ficou conhecida como a Grande Guerra de Willford, Kaira perdeu o seu lar e sua família. Quando uma nova guerra se inicia, ela não faz ideia do que está por vir, mas a jovem feiticeira recebe a difícil tarefa de reunir os cinco clãs de feiticeiros da nova República em um único e poderoso exército. Será que ela vai conseguir?
Em uma aventura que percorre as planícies de Ghennas, a montanha gelada de Liore, os desertos de Rockaxe e as margens do rio Armon, Kaira, seu melhor amigo Garo e dois companheiros mais do que improváveis descobrem que há muitos segredos que alimentaram o ódio entre os dois povos.


Resenha:

Nas terras de Yuan, os humanos viviam como selvagens, quase animais.

Um dia, O Deus do sol, Yu Shang e a deusa da Lua, Minna Yu,desceram à terra de Yuan.Apaixonados,abençoaram a terra e dos descendentes dos deuses e humanos nasceram seres muito especiais:os feiticeiros.Esses semideuses poderiam manipular os cinco elementos:fogo,terra,água ,terra,ar e trovão.A principio, moravam em Willford,mas por questões políticas, cada clã de feiticeiros,ao ser expulsos do reino pela realeza,buscaram uma terra adequada para se estabelecerem,de acordo com os elementos que manipulavam.

Muitos séculos se passaram sem que houvesse um confronto direto entre humanos e feiticeiros.

Quando a guerra finalmente foi declarada encontrou não só os humanos inimigos dos feiticeiros como uma pequena guerra civil entre os próprios clãs feiticeiros, que rivalizavam entre si.

Durante muito tempo houve acusações mútuas- tanto os feiticeiros culpavam os humanos quanto os humanos culpavam os Falcões negros pelo início da guerra.

Falcões negros eram uma ordem de feiticeiros que se rebelaram contra  o domínio mantido  pela família real,composta durante séculos apenas por humanos- Os Seres.Os Falcões negros desejavam  que os feiticeiros alcançassem finalmente o poder.

Eis que no começo da trama ficamos sabendo que Rosaria- uma feiticeira –apaixona-se pelo príncipe Albert Seres. Apesar de que seu avô sahir condena o casamento entre Rosaria e Albert, ela irá se tornar rainha do reino de Willford. Sahir a criou assim como a Adill,como se fossem irmãs,por uma revelação que não posso aqui detalhar para não fornecer spoiler.

Mas, a mãe de Albert, Dolores, é a conhecida como “Perseguidora” (de feiticeiros) e, para que esse relacionamento possa acontecer, Rosária arquiteta junto ao seu amado uma explicação para convencer a mãe de Albert que ela não é feiticeira, pois seus olhos são cor de rubi, característico dos feiticeiros de fogo.

Não se sabe ao certo quem denunciou a rainha, mas assim que principiou a guerra, Rosária foi expulsa de willford.

Durante a fuga, a rainha entrou em confronto direto com os falcões Negros na floresta de Abdur e ao lançar uma magia o feitiço custou-lhe a vida.

A recém- nascida Kaira,protagonista da trama,será recolhida abandonada na floresta por Adill e sahir,que escondem dela por quinze anos as suas origens.

Mas está no destino de Kaira não só descobrir esse grande segredo como reunir os cinco clãs numa batalha mais uma vez contra os humanos.

O livro possui um inicio interessante com a criação da lenda dos deuses e a formação dos povos, tanto feiticeiros quanto humanos.

Embora o subgênero de romance –fantasia- não esteja entre meus estilos preferidos, já li ou mesmo assisti a filmes, quase sempre baseados em livros- cujos elementos foram facilmente identificáveis na trama como fonte de inspiração para este livro.

“O universo do livro lembra à de algumas mídias, como as séries de animação: Avatar- A lenda de AAng e Avatar- A lenda de Korra; o filme” O sétimo Filho” baseado no livro de Joseph Delaney e ainda as Crônicas de gelo e Fogo,nas questões de poder/política ,do autor G.R.R. Martin.”

Do meio para o final o livro conquista um novo fôlego e surpreende positivamente com o amadurecimento da personagem Kaira e com o fechamento de algumas pontas soltas abertas durante o encadeamento do enredo, embora nem todas as explicações soem convincentes ou mesmo estabeleçam um elo de verossimilhança com a realidade, necessário às obras- mesmo as de ficção.

Um livro que irá certamente agradar aos aficionados do estilo fantasia e que irá proporcionar agradável leitura e reflexão numa leitura mais aprofundada nas questões sociais, preconceitos social e racial e conspiração e bastidores da política.

Resenha de Michelle Paranhos, resenhista do Arca Literária e do blog Café Literatura

3 Comentários

  1. Como posso fazer para que você faça uma resenha do meu livro aqui no seu blog? Não tenho experiência com essas coisas, você cobra para falar dos livros?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here