A Babá Gótica – Adriana Igrejas

6
825

Imagine se na seguinte situação: Você está desesperado em busca de uma babá para sua filha, mas infelizmente nenhuma candidata parece ser boa o suficiente para o papel. Então quando suas esperanças estão quase se esgotando, aparece uma jovem com as seguintes características:

“Uma mulher que correspondia à descrição de uma bruxa de filme de terror – toda de preto, com maquiagem pesada: sombra e batom pretos nos lábios, piercings no nariz e correntes pesadas em sua cintura. “

Você a mandaria embora sem pensar duas vezes. Certo? Errado. Ou pelo menos não foi isso que Analice fez. Analice é uma mulher de 30 anos de idade mãe de Ana Beatriz de 5 anos e madrasta de Lourenço de 20, se vê nessa situação quando recebe uma proposta de emprego irrecusável e não tem outra escolha a não ser aceitar. Ela precisa de uma babá que não se importe em fazer horas extras ou trabalhar aos finais de semana. Mas encontrar a babá ideal está se tornando cada vez mais difícil e com o tempo esgotando, ela começa a acreditar que não encontrara alguém capaz de cumprir seus requisitos. Porém, através de indicações de suas melhores amigas que já conhecem o trabalho de Lucinda ela aceita entrevistá-la mas não imaginava que a garota seria tão excêntrica. Apesar da sua desconfiança, Analice resolve dá uma chance a Lucinda, a babá gótica.

Lucinda é uma jovem de 19 anos que possuí uma certa particularidade, ela não é como outras jovens da sua idade e apesar de se vestir como uma gótica ela não possuí nenhuma tribo, o que causa uma certa estranheza para as pessoas com quem ela convive. Ela é uma garota misteriosa e por vezes contraditória. E todos querem saber o motivo de uma garota doce e delicada como ela estar se vestindo daquela forma. O preconceito que ela sofre são vários, sendo por vezes hostilizada e até considerada uma bruxa para aqueles que não a conhecem, por causa da sua forma se vestir. Quando a família começa a acostuma-se com o seu jeito excêntrico, Lourenço, o meio irmão de Ana Beatriz, retorna para casa pra passar os finais de semana com a família, como já é costume deles. No entanto ele não esperava encontrar uma “esquisita” cuidando de sua irmã, e isso causa uma certa revolta nele, pois não aceita que seu pai tenha concordado com uma “aberração” para cuidar de sua meia irmã (Palavras dele, não minha. Kkkkkkk) E insiste que a garota seja demitida com urgência, mas é ignorado por todos, já que Lucinda ganhou a simpatia de todos que a rodeiam.

Lourenço é o típico mauricinho de universidade. Com 19 anos ele é estudante de medicina e bastante esforçado para alguém da sua idade, o único porém é que ele repudia pessoas como Lucinda que se “escondem” atrás de roupas e maquiagem. E ver alguém assim cuidando de sua irmã ele teme que isso possa afeta-la de alguma forma. Então ele começa a investigar o passado da babá ao mesmo tempo que começa a sentir uma atração por ela. Mas como o ditado diz: quem procura, acha. Ele acaba descobrindo informações que eram para serem mantidas em sigilo, pois podem prejudicar ele, sua família e principalmente: Lucinda.

Sabe aquele momento quando você termina de ler um livro e não sabe mais o que fazer. Sem nenhuma ideia de como prosseguir e quer voltar no tempo para poder ler novamente, só que dessa você seria mais cuidadoso e aproveitaria cada momento. Então, foi assim que eu me sentir ao terminar babá gótica. Quando eu comecei a ler eu evitei de todas as formas receber spoilers, tanto que eu não li resenhas e nem a última página do livro, como já é de costume. Eu queria algo novo e que me surpreendesse do início ao fim. E ler a babá gótica me proporcionou isso, principalmente porque ele é um livro que envolve romance, suspense, mistério e ainda tem uma pitada de sobrenatural.

O livro é escrito em terceira pessoa mas Adriana Igrejas conseguiu desenvolver uma escrita tão fluente que você acaba nem percebendo. E um ponto positivo sobre isso é que ficamos a par sobre os pensamentos de todos os personagens, o que te prende ainda mais no livro. A estória não é somente sobre o amor improvável de Lucinda e Lourenço, ela é muito mais que isso. Ela nos leva a conhecer e a refletir um pouco sobre: bullying, preconceito, depressão, suicídio, drogas, violências e chega a abordar um pouco sobre religião.

Lucinda nem sempre foi uma pessoa boa, assim como ela gosta de dizer: nem toda bruxa está vestida de preto, ou de forma assustadora. As vezes ela pode ser aquela garota meiga e delicada que está ao seu lado, mas no fundo e quando você não está presente ela se transforma em uma pessoa horrível, capaz de fazer atos inimagináveis. E foi por causa dessas atrocidades que Lucinda cometeu no seu passado não tão distante, ela precisa cumprir algumas penitências. (Penitências que vocês só vão descobrir quando leem o livro hahahaha! ) E o que eu mais posso dizer sobre esse livro é que separem uma caixinha de lenços porque além dele proporcionar muitos risos, lágrimas são inevitáveis. E o que você mais vai querer quando terminar o livro é poder entrar para dá um abraço bem apertado em Lisânia.

 signature

6 Comentários

  1. Fico emocionada em ler esses cometários!
    E sim, esse livro é surpreendente e encantador e te leva refletir um pouco mais sobre sobre a nossa vida
    E se estamos agindo de forma”correta” com as pessoas ao nosso redor.

  2. Que resenha interessante, fiquei curiosa agora para saber quem é Lisânia…hahaha…parece bem diferente e surpreendente o livro.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here