Corações nas Sombras – Allan Francis

1
1188

Prepare-se! Prepare-se para viajar ao mundo de Ifíanor. Onde Dragões alados, elfos, anões guerreiros, humanos e outros seres possuem seus próprios reinos e convivem em paz. Onde há um mundo paralelo chamado de Agonia repleto de monstros, trolls e seres híbridos que estão aprisionados depois de uma grande guerra, que extinguiu os Centauros.

Talismãs mágicos começam a ser roubados. Orcs começam a atacar vilas. Uma maga poderosa é capaz de tudo para conseguir o seu objetivo. Um feiticeiro luta por uma causa. Uma Feiticeira, Selene, luta para se livrar de um demônio que está nascendo dentro de si. Uma guerreira no dilema, se deve se casar para salvar seu reino. E onde uma autor nos mostra até onde pode chegar a sede pelo poder.

Essa é a série Corações nas Sombras, do autor mineiro Allan Francis Salgado. Esse é o Livro 1: Presságios de Guerra, publicado pela Chiado Editora.

“O grande Dragão Negro era uma visão singular – duas grandes asas fortes e altivas, escamas que pareciam o aço negro forjado pelos anões de Gringor. Deve ter uns dezoito metros de altura, tem no mínimo o dobro de um dragão comum – pensou” (Capitulo 9, Pág. 92)

São 736 páginas, uma leitura que tinha tudo para ser arrastada e demorada. Felizmente, não foi. São páginas e mais páginas de pura ação, onde a cada capitulo conhecemos um grupo diferentes de personagens, que tem muito para ser contado.

Quando peguei o livro pela primeira vez, me perguntei: O que tanto um autor tinha para conta em um primeiro volume de uma série de livros? Ainda teria história para contar nos próximos? Pensei comigo mesmo que seria uma leitura cansativa. Me enganei. A medida que adentrei nesta fantasia criada pelo autor, entendi o porque de tantas páginas.

Neste primeiro volume, tendemos a conhecer melhor os personagens que nos acompanharam. Descobrimos seus anseios, medos e até sentimentos mais profundos. Mas Allan não se arrasta em detalhes chatos, tudo é explicado enquanto a ação ocorre no decorrer do enredo. E ação é o que não falta durante este livro, sempre cheio de mistérios e segredos a serem desvendados.

“…Foi ai que ele viu uma pequena mão de criança negra – dedos finos, havia garras no lugar das unhas – timidamente saindo pela boca de Selene…” (Capitulo 19, pág. 169)

Prepare-se para conhecer o mundo complexo onde se passa a série. Você irá se sentir dentro deste mundo, irá se identificar com cada personagem. É difícil não ler e torcer por cada vitória ou para que o segredo enfim seja revelado. Difícil não ler e não querer descobrir os próximos acontecimentos, e cada capitulo traz uma nova surpresa, um novo segredo e um novo perigo. Você não se sentirá fatigado, você irá querer mais e mais e nem sentirá todas as páginas passarem, e quando acabar vai pedir por mais.

A todo momento o leitor fica na dúvida, de quem é o verdadeiro vilão. Quem estaria no lado certo? Será que o vilão, não era tão vilão assim? Perguntas que ainda ficaram para serem respondidas em outros volumes. E que deixam o leitor ávido por uma continuação.

“…O hibrido que mais causou horror em Ilron era uma mulher com o pescoço virado para trás, no qual somente se via o seu couro cabeludo na frente, e no lugar de mamilos nos seios havia olhos, olhos de algum parasita de Agonia, três pares deles…” (Capitulo 38, pág. 478)

Allan Francis possui uma escrita leve e um dom sem igual de aproximar os personagens do leitor. Em uma linguagem jovem e clara, ele consegue nos apresentar seu mundo complexo, sem deixar nada confuso.

A diagramação da editora está impecável, a Chiado fez algo primoroso com folhas amareladas, e que apesar das letras um pouco pequenos, consegue deixar a leitura agradável. A capa defini bem o que você encontrará no livro. Logo no inicio há um mapa dos reinos, assim você consegue se situar durante a leitura.

Tentei não deixar a resenha muito grande, e tomei um cuidado extremo de não passar spoilers, espero que você possa viajar até Infíanor e ao lado de guerreiros e mágicos poderosos lutar contra dragões e orcs

Resenha de Mairton Salvatore, resenhista do blog São tantas Coisas

(resenha disponibilizada pelo autor para efeito de divulgação)

Um comentário

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here